Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

poetaporkedeusker

poetaporkedeusker

UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
21
Jan13

SONETO LUNAR ou L`IMPORTANT C`EST LA ROSE...

Maria João Brito de Sousa

(Em decassílabo heróico)


Da natureza emerjo e sou quem sou
Consciente de aqui estar, mas tão serena
Que, ao espelhar-me em luares de lua plena,
Aguardo receber quanto lhes dou

E moldo cada raio que brilhou
Sem me sentir culpada, ingrata, obscena,
Por espinho, dissabor ou qualquer pena,
Que ressurja na flor que dele brotou…

Então, repasso o disco semi-gasto,
Das pétalas do mundo em que me basto
E hoje serei lunar porque me apraz

Ter um corpo distante, inerte e casto,
Do qual, sem dar por isso, só me afasto
Se me acontece querer sem ser capaz…





Maria João Brito de Sousa – 19.01.2013 – 19.43h

18
Dez12

SONETO À MINHA LOUCA, LOUCA INSPIRAÇÃO...

Maria João Brito de Sousa

(Em decassílabo heróico)

 

Venho tarde e más horas porque venho
de um momento lunar que desconheces
no despontar da teia em que te teces
há mais do que a noção que tens de antanho

 

Se firo, qual maleita ou corpo estranho
e me alheio do tanto que padeces,
é por puro desdém das gastas preces
que te confesso já, nego e desdenho!

 

Matéria, anti-matéria… o que me importa
se, ao ser razão de ti, me quedo absorta
pr` assombrar-te depois, sem mais razão,

 

E, sempre que me julgues quase morta,
te invadir, derrubando a frágil porta
que usaste pr`a fechar-me o coração?

 

 

Maria João Brito de Sousa – 18.12.2012 – 02.47h

 

NOTA – Soneto reformulado a 20.06.2015

 

IMAGEM - "Mulher em Molho de Luar", Maria João Brito de Sousa - 1999

17
Ago09

DÁDIVA LUNAR

Maria João Brito de Sousa

 

Não te pedi, ó lua, a lucidez

De um breve e claro raio de luar.

Antes quisera, ó lua, questionar

A minha sempre certa insensatez.

 

Não te pedi um sonho que, talvez

Me pudesse acolher ou consolar.

Antes quisera, ó lua, perguntar

Sobre as coisas da vida e seus porquês...

 

O raio de luar que me enviaste

Tem as suas razões. Eu tenho as minhas

E este gozo que assumo ao descobrir.

 

Deste-me a luz e não me perguntaste

Sobre os enigmas, sobre as adivinhas

Deste estranho mistério de existir...

 

 

Imagem retirada da internet

01
Jul09

HOJE A LUA...

Maria João Brito de Sousa

 

Hoje a Lua está mágica e crescente…

Parece o astro-rei que, embranquecido,

Se tivesse entregado, já vencido

Por esse halo de prata transparente.

 

Hoje, a lua reluz omnipresente!

Seduz o astro-rei que, já rendido,

Parece ter-se, enfim, comprometido

Num enlace irreal, incongruente.

 

Hoje a lua – se é lua o que ali vejo –

Vestiu-se de brancura e de desejo,

Conquistou meia Terra e, já cansada,

 

Despediu-se de mim, roubou-me um beijo,

Foi-se deitar assim que teve ensejo

E deixou-me a sonhar estando acordada…

 

 

 

 

Imagem retirada da internet

 

 

Uma sugestão literária no http://premiosemedalhas.blogs.sapo.pt/

Passem por lá - é só fazer click no link! - e encomendem!

 

30
Out08

A MISSÃO

Maria João Brito de Sousa

Há um planeta inteiro p´ra salvar!

As Musas deste céu que me ilumina

Deram-me esta missão quase divina

Numa noite de estrelas e luar...

 

Assumo esta missão, sem hesitar,

E encontro outro Quixote em cada esquina,

Mas é Sancho, afinal, quem me fascina

Ao vir lembrar-me a hora do jantar...

 

Viro costas às Musas, já rendida

(a carne é poderosa, quando chama...)

E volto ao aconchego do meu quarto.

 

Talvez noutro amanhã... talvez a vida

A traga, de bandeja, à minha cama,

Quando saciado esteja o corpo... e farto.

 

 

Maria João Brito de Sousa - 30.10.2008 - 14.57h

 

 

 

(Imagem retirada da internet)

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em livro

Links

O MEU SEBO LITERÁRIO - Portal CEN

OS MEUS OUTROS BLOGS

SONETÁRIO

OUTROS POETAS

AVSPE

OUTROS POETAS II

AJUDAR O FÁBIO

OUTROS POETAS III

GALERIA DE TELAS

QUINTA DO SOL

COISAS DOCES...

AO SERVIÇO DA PAZ E DA ÉTICA, PELO PLANETA

ANIMAL

PRENDINHAS

EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE POETAS

ESCULTURA

CENTRO PAROQUIAL

NOVA ÁGUIA

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL

SABER +

CEM PALAVRAS

TEOLOGIZAR

TEATRO

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

FÁBRICA DE HISTÓRIAS

Autores Editora

A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!