Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

poetaporkedeusker

poetaporkedeusker

UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) , autora no Portal CEN, e membro da Associação Desenhando Sonhos, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
07
Nov16

LIVRO(S) DE MÁGOAS

Maria João Brito de Sousa

Florbela Espanca - retrato desenhado.jpg

 

ESTE LIVRO

 

Este livro é de mágoas. Desgraçados,

Que no mundo passais, chorai ao lê-lo!

Somente a vossa dor de Torturados

Pode talvez senti-lo... e compreendê-lo.

 

Este livro é pr`a vós. Abençoados

Os que o sentirem, sem ser bom, nem belo!

Bíblia de tristes, ó Desventurados,

Que a vossa imensa dor se acabe ao vê-lo!

 

Livro de Mágoas... Dores... Ansiedades!

Livro de Sombras, Névoas e Saudades!

Vai pelo mundo... (trouxe-o no meu seio...)

 

Irmãos na dor, os olhos rasos de água,

Chorai comigo a minha imensa mágoa,

Lendo o meu livro só de mágoas cheio!

 

 

Florbela Espanca

In "Livro de Mágoas"

 

 

 

ALMAS GÉMEAS

 

 

Destes sonetos meus, que ousei escrever,

Também brotaram mágoas - porque não? -,

Mas muito além da mágoa, vi nascer

Uma mesma incomum comum paixão

 

E da mesma paixão  nos vi morrer...

Entendo-te a precoce rendição,

Irmã dos mil sonetos que eu tecer

Pr`além dos que me nascem sem razão,

 

Mas como condenar-ta, se entender

Que a dor que te matou teve a função

De engendrar teus sonetos? Que fazer,

 

Se te bendigo a própria maldição?

Florbela, eu que te sei, sem te saber,

Como glosar-te, assim? Sonhei-te, então?

 

 

Maria João Brito de Sousa - 07.11.2016 - 13.58h

 

(Inédito, respondendo ao soneto "Este Livro", de Florbela Espanca)

 

ALMAS GÉMEAS.jpg

 

31
Out16

DE NOVO; FLORBELA E EU...

Maria João Brito de Sousa

florbela a ler.jpg

 

MARIA DAS QUIMERAS

 

 

Maria das Quimeras me chamou

Alguém... pelos castelos que eu ergui,

Plas flores de oiro e azul que a sol teci

Numa tela de sonho que estalou...

 

Maria das Quimeras me ficou;

Com elas na minha alma adormeci,

Mas quando despertei, nem uma vi,

Que da minh`alma Alguém tudo levou!

 

Maria das Quimeras, que fim deste

Às flores de oiro e azul que a sol bordaste,

Aos sonhos tresloucados, que fizeste?

 

Pelo mundo, na vida, o que é que esperas?

Aonde estão os sonhos que sonhaste,

Maria das Quimeras, sem quimeras?

 

 

Florbela Espanca

In "Livro de Soror Saudade"

 

 

MARIA SEM CAMISA

 

 

Maria sem Camisa, chamo-me eu,

Usando de ironia - ou talvez não... -

E espelhando, no nome, a condição

Do pouco, ou quase nada, que há de meu...

 

Desse ´baptismo` insólito nasceu

- não saberei dizer por que razão... -,

Da vossa parte, alguma confusão,

Da minha, a força hercúlea que me ergueu,

 

Pois, sem camisa, embora enregelada,

Sobrevivo há ´milénios`, produzindo,

E de oiro(s) me cobri, não tendo nada;

 

Das infindas carências vão surgindo

Os versos que, no metro bem escorada,

De oiro e de seda azul, me vão cobrindo...

 

 

Maria João Brito de Sousa - 30.10.2016- 17.00h

 

 

(Inédito, respondendo ao soneto "Maria das Quimeras", de Florbela Espanca)

digitalizar0041.jpg

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em livro

Links

O MEU SEBO LITERÁRIO - Portal CEN

OS MEUS OUTROS BLOGS

SONETÁRIO

OUTROS POETAS

AVSPE

OUTROS POETAS II

AJUDAR O FÁBIO

OUTROS POETAS III

GALERIA DE TELAS

QUINTA DO SOL

COISAS DOCES...

AO SERVIÇO DA PAZ E DA ÉTICA, PELO PLANETA

ANIMAL

PRENDINHAS

EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE POETAS

ESCULTURA

CENTRO PAROQUIAL

NOVA ÁGUIA

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL

SABER +

CEM PALAVRAS

TEOLOGIZAR

TEATRO

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D

FÁBRICA DE HISTÓRIAS

Autores Editora

A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!