Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

poetaporkedeusker

poetaporkedeusker

UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
07
Fev08

MARIA-SEM-CAMISA XIV

Maria João Brito de Sousa

 

Maria é toda fé... e tem razão,

Que a vida é, por inteiro, uma passagem

E quem se aventurar nessa viagem

Sempre estará fazendo alguma opção...

 

Maria sabe bem que uma "estação"

Ou é ponto-final ou é paragem

E que o "bilhete" exibe uma mensagem,

No "comboio" que leva à redenção

 

 Pois tudo o que for feito no "transporte"

Irá, na bagageira, ao Terminal

P`ra ser avaliado e ser medido

 

E não se engana nunca, o fiscal Morte;

O volume da "mala" é, no final,

A coima tributada ao novo "arguido"...

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa - 07.02.2008 - 11.54

05
Fev08

MARIA-SEM-CAMISA XII

Maria João Brito de Sousa

 

Maria-Sem-Camisa traz consigo

Memórias desse Céu que visitou

No tal dia em que a morte a convidou,

Lhe deu a mão e a levou consigo ...

 

 

 

Ficou a conhecer o Mundo-Antigo

Que o Tempo-dos-Primórdios engendrou

E todos os futuros que inventou

O Tempo-por-Chegar, seu grande amigo...

 

 

Por isso é que Maria vive em paz

E nunca teme nada nem ninguém

Nem chora o que passou e o que há-de vir;

 

 

Aquilo que já fez é o que faz

E passa pela vida como quem

Repete a  caminhada e vai por ir...

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa - 05.02.2008 - 16.49h

05
Fev08

ALTER-EGO

Maria João Brito de Sousa

Se sáficos, se heróicos, estes versos...

Importa-me é que falem do que sinto,

Que, às vezes, os poemas são travessos

E mentem-me bem mais do que eu vos minto...

 

 

Quantas vezes as tónicas me fogem,

Quantas outras me encontram, no soneto?

Que mágoas tão distantes me consomem,

Ou que estranha vitória vos prometo?

 

 

Meu palco é de ilusões, de sonhos loucos!

Invento-me a mim mesma e, sem saber,

Recrio a minha dor no meu cansaço

 

 

E, ao prometer-vos tanto, dou-vos pouco,

Pois tudo posso, mesmo sem poder

E sem nunca entender porque é que o faço...

 

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa - Fevereiro  2008

04
Fev08

MARIA-SEM-CAMISA XI

Maria João Brito de Sousa

 

 

Maria... muitos dizem que ela é tonta,

Mas conhece do mundo o principal

E não há ser humano ou animal

Que não tenha Maria em boa conta

 

Porque ela não critica nem aponta

Os erros a quem viva um ideal

E, sabendo demais, é afinal

A que mais nos perdoa e nos desconta...

 

 É, acima de tudo, imparcial

E, por não querer julgar, é acusada

Daquilo que não faz nem nunca diz...

 

É esse o seu pecado capital:

Saber tudo o que sabe e estar calada

Sendo, apesar de tudo, assim feliz!

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa 04.02.2008 - 14.17h

03
Fev08

MARIA-SEM-CAMISA X

Maria João Brito de Sousa

 

 

Maria-Sem-Camisa já morreu

De morte natural e verdadeira

E foi, provavelmente, ela a primeira

A voltar pr`a contar como é o Céu...

 

Quem disser que Maria se perdeu

Na viagem final e derradeira,

Só terá levantado essa poeira

Pr`a cegar quem jamais a conheceu...

 

 Anda de cá pr`a lá, e, se voltou,

Obedeceu à ordem pontual

De ir exercendo os dons que traz em si

 

E, quem possa encontrá-la, nem sonhou

Quanto caminho instável, mas real,

Percorre essa Maria, agora, aqui...

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa

27
Jan08

MARIA-SEM-CAMISA IX

Maria João Brito de Sousa

Maria-Sem-Camisa está gordinha!

Empanturrada em versos nem tem fome...

Ninguém pode engordar do que não come

E ela mal petisca e não cozinha...

Não come e, no entanto, é redondinha!

Não pode "arredondar" quem nunca tome

Do alimento vivo o doce polme,

Pois quem vive do ar... sempre definha!

Maria come pouco, quase nada...

Se engorda é porque assim o decidiu

Ou porque não lhe interessa emagrecer...

Talvez o "poetar" de madrugada

Seja o tal "nutriente" que ingeriu

E não precise mesmo de comer...

 

Maria João Brito de Sousa

 

22
Jan08

MARIA-SEM-CAMISA VII

Maria João Brito de Sousa

 

Maria-Sem-Camisa é muito rica!

Partilha o que não tem com toda a gente

E já ninguém, por cá, fica indiferente

À estranha caridade que pratica...

 

Daquilo que emprestou jamais critica

Uma devolução menos urgente

E não há nada que ela não invente

Quando a necessidade o justifica...

 

Maria faz-de-conta, a sem-camisa,

Só dá o que faz falta no seu lar

E como tudo falta... tudo dá,

 

Mas só dá o que dá a quem precisa!

A quem venha pedir sem precisar

Maria vai dizendo que não há...

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa - 22.01.2008 - 13.39h

 

18
Jan08

MARIA-SEM-CAMISA IV

Maria João Brito de Sousa

digitalizar0045.jpg

 

Maria-Sem-Camisa é tão feliz
E passa pela vida tão contente
Que vai contagiando muita gente
Que julga ser loucura o que ela diz...

 

O Mundo bem tentou; ela não quis,
Em troca de riquezas, ser prudente
Ou vender-se por honras de regente
Que a fizessem mudar de directriz

 

Porquanto alia a mente ao coração
E é nisso que norteia a sua vida....
Com glória e com riquezas, nada quer,

 

Nem lhes presta, sequer, muita atenção,
Cuidando de não ser repreendida...
No fundo... é mais poeta que mulher!

 


Maria João Brito de Sousa - 18.01.2008 - 14.45h

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em livro

Links

O MEU SEBO LITERÁRIO - Portal CEN

OS MEUS OUTROS BLOGS

SONETÁRIO

OUTROS POETAS

AVSPE

OUTROS POETAS II

AJUDAR O FÁBIO

OUTROS POETAS III

GALERIA DE TELAS

QUINTA DO SOL

COISAS DOCES...

AO SERVIÇO DA PAZ E DA ÉTICA, PELO PLANETA

ANIMAL

PRENDINHAS

EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE POETAS

ESCULTURA

CENTRO PAROQUIAL

NOVA ÁGUIA

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL

SABER +

CEM PALAVRAS

TEOLOGIZAR

TEATRO

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

FÁBRICA DE HISTÓRIAS

Autores Editora

A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!