Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

poetaporkedeusker

poetaporkedeusker

UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
25
Dez15

RAZÕES PARA TODAS AS MÃOS DESTE MUNDO - Sonetilho imperfeito

Maria João Brito de Sousa

O mundo, sem ter razão,

Tem tanta que eu já pensei

Render-me à contradição

Deste mundo em que ela é lei.

 

Faltou-me a razão, porém,

A tão estranhas intenções

E às razões que o mundo tem

Só oponho estas razões;

 

Ao nascer de cada dia

Opõe-se o gesto contrário

Que quebra a monotonia

 

E passa o pão que se cria

Das mãos do Poeta-Operário

Pr´ás mãos que alguém lhe estendia

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa - 29.09.2011 - 11.30h

 

 

 

NA FOTOGRAFIA - Manuel Ribeiro de Pavia, 1956

8 comentários

  • Imagem de perfil

    Maria João Brito de Sousa 03.10.2011 20:19

    Pronto, Poeta! Quando vinha para casa, deu-se um fenómeno qualquer que eu não sei explicar muito bem mas que deve ter a ver com o facto de o Francês ter sido a minha segunda língua materna e, começaram a nascer-me rimas de sete sílabas métricas. Os erros vão continuar a estar presentes porque eu, ainda por cima, não sei onde pára o meu dicionário de Francês... mas, se quiser ter a bondade de os emendar, eu só lhe agradeço! Aqui vai, segundo as regras, em redondilha maior;


    C`est la façon du poême
    Nous dire, d`une autre façon,
    Qu`il se môque de sa peine
    Pour mieux chanter sa chanson

    Il, en chantant, se proméne
    Dans les bras d`une ilusion,
    Nous parle de la bohême,
    Il ne dit, jamais, que non...

    Mais, quand il est solitaire,
    En changeant sur son contraire,
    Il s`oublie de ces mots

    Car il est comme les nuages
    Qu`en passant sont toujours sages;
    Pleurent sans avoir des yeaux...
  • Imagem de perfil

    PaperLife 04.10.2011 19:20

    Tive 2 ou 3 anos de francês, mas não percebo grande coisa :$
    Mas se o poeta zarolho diz que não tem erros, é porque não tem :D E mesmo que tivesse, o que interessa é a intenção :)
  • Imagem de perfil

    Maria João Brito de Sousa 05.10.2011 00:18

    Aqui não tinha qualquer hipótese, Paper... tive mesmo de recorrer ao Francês da minha infância e tentar confiar nele... nem sequer sei onde pára o dicionário que tenho cá em casa e não confio nem um bocadinho nos tradutores online... se houver algum que seja bom, eu não o sei utilizar e, em poesia, é praticamente impossível usá-los.
    Beijinho e obrigada! :D
  • Imagem de perfil

    PaperLife 05.10.2011 12:59

    De nada Maria :D
    Agora tens de fazer um em inglês ;)
  • Imagem de perfil

    Maria João Brito de Sousa 05.10.2011 13:14

    :)) O Inglês é muito mais fácil para mim... mas ainda não pensei se a prosódia da língua é, ou não, compatível com a dita redondilha :))
    Tenho, por aí, já não sei em que blog, um poemazito em inglês... mas não me lembro que tipo de métrica usei nele...
    acho que até tenho mais do que um...
    Até já, Paper! Beijinho!
  • Imagem de perfil

    PaperLife 05.10.2011 13:19

    Tens de me mostrar, quando o encontrares :D
    Até já Maria ^^
    Beijinho*
  • Imagem de perfil

    Maria João Brito de Sousa 05.10.2011 13:53

    :D Já está! Chama-se FAITH e o link é este http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt/30942.html

    Beijinho e obrigada!

  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Em livro

    Links

    O MEU SEBO LITERÁRIO - Portal CEN

    OS MEUS OUTROS BLOGS

    SONETÁRIO

    OUTROS POETAS

    AVSPE

    OUTROS POETAS II

    AJUDAR O FÁBIO

    OUTROS POETAS III

    GALERIA DE TELAS

    QUINTA DO SOL

    COISAS DOCES...

    AO SERVIÇO DA PAZ E DA ÉTICA, PELO PLANETA

    ANIMAL

    PRENDINHAS

    EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

    ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE POETAS

    ESCULTURA

    CENTRO PAROQUIAL

    NOVA ÁGUIA

    CENTRO SOCIAL PAROQUIAL

    SABER +

    CEM PALAVRAS

    TEOLOGIZAR

    TEATRO

    Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D

    FÁBRICA DE HISTÓRIAS

    Autores Editora

    A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

    AO 90? Não, nem obrigada!