Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

poetaporkedeusker

poetaporkedeusker

UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
07
Dez10

UM POST SÓ PARA OS QUE ENTENDEREM MUITO, MUITO BEM O QUE EU QUERO DIZER COM ISTO. SEI QUE OS HÁ...

Maria João Brito de Sousa

 

QUE TENHAM UM FELIZ NATAL E QUE O MENINO JESUS VOS POSSA ENCHER O SAPATINHO DE... DISCERNIMENTO!

 

 

Não pensem que vos desejo pouco. Não queiram ser como a senhora do conto de Baudelaire que ficou muito triste e se sentiu prejudicada quando a Fada Madrinha ofereceu à sua filha o dom de “agradar”…

O discernimento é importante. Tão importante que, sem ele, o próprio amor – falo do amor oblativo, do que promove e se concretiza na gratificação de DAR – não faria grande sentido e vós correríeis o risco de “Dar” aquilo que menos útil, ou mais prejudicial, pudesse ser a alguém, completamente alheios ao velho ditado; “de boas intenções está o inferno cheio”. Não que eu acredite muito nessa coisa do inferno, com caldeirões e tudo… nesse aspecto sou muito Kantiana e acredito que o que conta são mesmo as boas intenções… mas só para a consciência de quem as pratica, claro, porque o pobre “alvo” da tal “boa intenção”, esse, estará completa e irreversivelmente “lixado”. Por isso e porque estando, neste momento, mais exausta e“lixada” do que nunca, me sinto no dever de contribuir, nem que seja apenas através deste meu desejo de Natal, para que alguns de vós ganhem muito, muito DISCERNIMENTO e para que se possam evitar novas vitimizações deste “lixamento” nos natais que estão por vir…

Sou Poeta. Poeta porque eu quero, claro está, mas acima de tudo porque – não duvidem! Que a vossa hipotética ignorância poética vos não impeça de Ver! – nasci com esse dom. Nasci com outros, também, porque desde muito pequenina e antes que alguém pudesse transmitir-me quaisquer conhecimentos ou técnicas, já desenhava como muitos adultos o não conseguem, nem conseguirão nunca fazer… mas essas são outras águas e, agora, o que me interessa é este dom, esta competência congénita para a Poesia que me levou a adoptar este nick de Poeta porque Deus quer.


Post scriptum – Não, não há espaço para a cama, para a roupa,para os sonhos, para a árvore de Natal… não há espaço para coisa nenhuma e, muito menos, espaço para produzir sonetos de qualidade. Sem qualidade não me interessa escrevê-los. A alma não mos pede e a mente rejeita-mos com repulsa. Acreditem que não existe nada pior para um artista do que sentir repulsa em relação ao pouco – quase nada… - que o conduzem a poder fazer.*

Não há uma linguagem comum, não há uma cultura partilhada, não há objectivos por que lutar – nem as formas de alcançar o que poderia ser um objectivo seriam minimamente semelhantes - porque, como para a esmagadora maioria, o estatuto óptimo será ter boas roupas, jóias, dinheiro com fartura, um bom carro e uma banheira de hidromassagem.

Apesar de tudo foi muito cansativo mas gratificante ter contribuído para o desenvolvimento espacio-conceptual de uma criança. Foi só.



*A dignidade pode ser a única coisa que justifica uma desistência de vida. Lembram-se dos cristãos de Masada?

 

 

NOTA - A quem não entender mesmo nada - também os haverá, decerto - peço mil desculpas. Este post é "explosivo" e fruto de uma noite em branco. Não, não é um problema de insónia. Há muitos anos que não tenho insónias! É um problema "problema mesmo"... ou centenas de outros problemas que podem nem ser meus, mas passaram a dizer-me respeito. Fica, para todos, o desejo de um FELIZ NATAL!

27 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em livro

Links

O MEU SEBO LITERÁRIO - Portal CEN

OS MEUS OUTROS BLOGS

SONETÁRIO

OUTROS POETAS

AVSPE

OUTROS POETAS II

AJUDAR O FÁBIO

OUTROS POETAS III

GALERIA DE TELAS

QUINTA DO SOL

COISAS DOCES...

AO SERVIÇO DA PAZ E DA ÉTICA, PELO PLANETA

ANIMAL

PRENDINHAS

EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE POETAS

ESCULTURA

CENTRO PAROQUIAL

NOVA ÁGUIA

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL

SABER +

CEM PALAVRAS

TEOLOGIZAR

TEATRO

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

FÁBRICA DE HISTÓRIAS

Autores Editora

A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!