Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

poetaporkedeusker

poetaporkedeusker

UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) , autora no Portal CEN, e membro da Associação Desenhando Sonhos, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
13
Fev08

KICO E OUTROS NÃO-HUMANOS...

Maria João Brito de Sousa

 

Boas tardes!

Chamo-me Kico! O meu primeiro nome ninguém o sabe e nem já eu me lembro...

Corria o ano da graça de 2001 quando me abandonaram na autoestrada que liga Cascais a Lisboa. Assustei-me deveras! Os carros passavam por ali a uma velocidade aterradora e eu bem tentava correr mais do que eles... um deles acabou por me atingir e fiquei estendido no asfalto, cheio de dores e impossibilitado de andar. Passou-se muito tempo, mas um desses carros acabou por parar e saiu um jovem casal que pegou em mim e me levou a um veterinário.

- Fractura da coluna. Nunca mais anda!

- Mas nós não podemos ficar com um cão paralítico. Faça favor de abater!

- Os senhores é que sabem...

Mas não sabiam nada! Nesse consultório trabalhava- e trabalha -a irmã da minha dona e embora não estivesse, também ela, muito disposta a carregar o fardo de um animal paralítico, sabia que a irmã não conseguiria recusar...

A minha dona estava, então, a tomar conta de uma idosa que morava em Paço de Arcos, perto do consultório.

- Olá. Vem cá num instantinho, que eu quero mostrar-te uma coisa...

- Mostrar-me o quê? Estou a trabalhar!

- Não digo... mas vem que vais gostar!

E lá vem a palerma da minha dona (que ainda o não era...) sem saber o que a esperava...

- Olha, o teu sobrinho chama-lhe "Quasimodo". Vai ser abatido esta tarde e eu não consigo dá-lo a ninguém...

Sempre me gabaram a doçura do olhar... e eu gostei daquela humana logo à primeira vista. Foi tiro e queda. Paixão "assolapada". À noite já eu estava em sua casa a levar injecções de vitamina B12 e a refastelar-me com latinhas da Pedigree Pall.

Claro que estava incontinente e não podia andar, mas tanto eu como ela somos sobreviventes por natureza e não nos rendemos facilmente às adversidades da vida.

Três meses depois já andava e corria. Muito coxo, pata aqui, pata ali, o que me valeu das pessoas do café mais próximo, as alcunhas de "saltitão", "coxinho", "dançarino",etc. Mas todos gostam de mim porque sou, de natureza, meigo como poucos e, embora sendo muito pequeno, sou um acérrimo defensor da minha dona e da minha "irmã" Lupa.

Hoje vim aqui falar-vos dos meus irmãos que não tiveram a sorte que eu tive. Porque estas coisas de solidariedade também são importantes para nós, que nos movemos sobre quatro patas, mas não deixamos, como vós, de SENTIR. Porque nós sentimos mesmo! Dor, felicidade, orgulho, tristeza, amizade e abandono. Somos

produto de uma biologia tão perfeita como a vossa e gostaríamos de fazer exercer os nossos (poucos) direitos. A minha dona já vos falou da ANIMAL. É uma ONG que dá voz àqueles que, como eu, sofreram na pele a crueldade de alguns humanos.

Hoje a ANIMAL manifesta-se às 14h, na Lapa, em Lisboa, contra as atrocidades cometidas sobre os meus irmãos na China. Amanhã será em frente ao Campo-Pequeno, pela abolição das touradas. Porque nenhum de nós pode ficar indiferente ao apelo de quem, como eu, tem tanta ternura no olhar...

 

 

Maria João Brito de Sousa

...

13.02.08

2 comentários

  • Pois é Maria, este foi um sortudo. Mas há por aí milhares que sofrem as piores barbaridades.
    Beijinho.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Em livro

    Links

    O MEU SEBO LITERÁRIO - Portal CEN

    OS MEUS OUTROS BLOGS

    SONETÁRIO

    OUTROS POETAS

    AVSPE

    OUTROS POETAS II

    AJUDAR O FÁBIO

    OUTROS POETAS III

    GALERIA DE TELAS

    QUINTA DO SOL

    COISAS DOCES...

    AO SERVIÇO DA PAZ E DA ÉTICA, PELO PLANETA

    ANIMAL

    PRENDINHAS

    EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

    ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE POETAS

    ESCULTURA

    CENTRO PAROQUIAL

    NOVA ÁGUIA

    CENTRO SOCIAL PAROQUIAL

    SABER +

    CEM PALAVRAS

    TEOLOGIZAR

    TEATRO

    Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2017
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2016
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2015
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2014
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2013
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2012
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2011
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2010
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2009
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2008
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D

    FÁBRICA DE HISTÓRIAS

    Autores Editora

    A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

    AO 90? Não, nem obrigada!