Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

poetaporkedeusker

poetaporkedeusker

UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
27
Set10

SÁBADO, DOMINGO E SEGUNDA FEIRA XIX

Maria João Brito de Sousa

 

 

FICCIONANDO

 

 

Eu amo a Poesia e a Verdade

E o meu pior pecado é não mentir…

Ficcionar? Tudo bem, se permitir

Que a ficção venha a ser realidade.

 

 

Se ficcionando  alcanço a liberdade

- tanto quanto eu a posso pressentir... –

Já dela não me quero redimir,

Nem dela me afastar pela vontade.

 

 

Veloz, a poesia, me precede

E seguindo atrás dela nunca hesito

Em chegar onde alcança um simples verso;

 

 

Uma mesma vontade nos concede

Tentar ir `inda além do infinito

E vir a conhecer outro universo…

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 26.09.2010 – 15.32h

 

 

 

"I`M EVERY WOMAN..."

 

 

Eu sou cada mulher que vai morrendo

C`o filho adormecido nas entranhas,

Cada gesto do grito em que me acendo

E em que ensanguento os cumes das montanhas.

 

 

Por cada uma delas me apedrejam,

Por cada uma delas ressuscito,

Por cada uma exijo que me vejam

E reafirmo aquilo em que acredito.

 

 

Eu sou cada mulher. Ela também.

Sou filha, companheira, amante e mãe

De cada pulsação desse teu peito.

 

 

Sou quem te complementa e te ultrapassa,

Bicho moldado dessa mesma massa

De que, afinal, também tu foste feito...

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 26.09.2010 – 14.34h

 

 

 

FADO [MUITO] MALANDRO

 

 

 

Era noite, rompia a madrugada

Com a Lua já quase a adormecer,

Quando, enfim, acordei, alvoroçada,

Porque o Sol estava já quase a nascer,

 

 

Veio a Lua encontrar-me ali deitada,

Olhando para ti, mas sem te ver,

Jurando não te querer nada de nada

Pois sempre que te quis foi só “por querer”…

 

 

Ouviam-se uns acordes de guitarra

E o dia acontecia sem saber

Se a Lua se deitara amargurada

 

 

Porque o Sol começava a enrubescer

Ou se, ao invés, se rira à gargalhada

Daquilo que ali estava a acontecer…

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 25.09.2010 – 22.39h

 

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em livro

Links

O MEU SEBO LITERÁRIO - Portal CEN

OS MEUS OUTROS BLOGS

SONETÁRIO

OUTROS POETAS

AVSPE

OUTROS POETAS II

AJUDAR O FÁBIO

OUTROS POETAS III

GALERIA DE TELAS

QUINTA DO SOL

COISAS DOCES...

AO SERVIÇO DA PAZ E DA ÉTICA, PELO PLANETA

ANIMAL

PRENDINHAS

EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE POETAS

ESCULTURA

CENTRO PAROQUIAL

NOVA ÁGUIA

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL

SABER +

CEM PALAVRAS

TEOLOGIZAR

TEATRO

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

FÁBRICA DE HISTÓRIAS

Autores Editora

A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!