Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

poetaporkedeusker

poetaporkedeusker

UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) , autora no Portal CEN, e membro da Associação Desenhando Sonhos, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
31
Dez21

POR UM MELHOR 2022!

Maria João Brito de Sousa

2022.jpg

POR UM MELHOR 2022!
*


Rogamos ao Futuro um bom futuro

Cansados já do ano que é passado

Ao qual pagámos o bem alto juro

Do que sonhámos... e nos foi negado
*


Criámos uma ponte? Um novo muro

Nela se ergueu - caminho bloqueado! -

E a cada passo dado, o chão, de duro,

F`riu-nos de morte assim que foi pisado...
*


Ainda assim sonhámos e sorrimos,

Acreditámos no que nunca vimos

E seguimos em frente. É isto, a vida...
*


Nós, pedacinhos dela, nós, que amamos,

Ignoramos as pedras e escalamos

Os grandes muros da Razão perdida.
*

 


Mª João Brito de Sousa

31.12.2021 - 19.15h

***

29
Dez21

PÁSSARO DE LÍTIO

Maria João Brito de Sousa

goldfinch.jpg

PÁSSARO DE LÍTIO
*


Meu reino por um teste negativo!

Soa ao longe este apelo que é pungente

De alguém que não conheço e, de repente,

Tudo é fugaz, incerto, inconclusivo
*


Pra mim, que já não saio nem convivo

E que não posso ser senão prudente

Por força do que o corpo me consente

Desde que por inépcia está cativo...
*


No céu, voa um pardal de asas de lítio

Pronto a pousar, ou não, em qualquer sítio

Em que descubra verso onde pousar
*


E brota o verso, a custo, das sementes

Duma incerteza que nos cerra os dentes

Sobre a paixão que no-los faz rilhar...
*

 

Mª João Brito de Sousa

29.12.2021 - 13.00h

***

 

 

27
Dez21

SEM TÍTULO III

Maria João Brito de Sousa

SEM TÍTULO III

*


Quando o Verão voltar, se cá estiver,

Se me somar ainda aos resistentes

E se puder escolher o que escrever

Com estas mãos tolhidas e dormentes
*


Talvez fique melhor e nem sequer

Me renda à triste sombra dos ausentes...

Vá, coração, não pares de bater

Se um pouco mais de vida me consentes!
*


Mas se o que ora te peço transcender

O alcance dos teus frágeis componentes,

Descansa, não te irei repreender;
*


Quem se não verga aos corações ardentes

Que nem sequer a morte ousou deter

E que tão loucos foram quão valentes?
*

 

Mª João Brito de Sousa

27.12.2021 - 10.30h

***

 

copas.jpg

25
Dez21

MAIS UM NATAL (reedição)

Maria João Brito de Sousa

MAIS UM NATAL
*


Natal! Como se o Céu pudesse agora

Modificar de um sopro a Terra inteira,

Reconstruindo o Mundo de maneira

A decidir quem nasce e a que hora...
*

 

Como se o Sol, que a todos revigora,

Fosse o supremo fim desta canseira

E a luz que dele emana a derradeira

Tábua de salvação de quem cá mora...
*


Natal! Como se as águas não jorrassem,

Como se as terras virgens não pulsassem

Na gestação selvagem dos seus lírios
*

 

Como se as pedras não desmoronassem

Nem as chamas acesas se apagassem

Geladas nos pavios dos gastos círios.
*

 

Maria João Brito de Sousa
*

18.12.2011 – 15.17h

***

 

Imagem - Tela de Candido Portinari

portinari-criança-morta.jpg

23
Dez21

FELIZ NATAL!

Maria João Brito de Sousa

azevinho.jpg

FELIZ NATAL!
*


Prometi que olharia este Natal

Tal qual via o Natal quando menina...

Embora agora assim o não defina,

Será na minha infância que, afinal,
*


Acharei a semente original,

O pouco do qual tanto se origina,

Longínquo e tão profundo quanto a mina

Na qual cresceu a gema do meu sal;
*


Daí vêm o musgo e a lareira,

O conforto que enchia a casa inteira

E o forte aroma a seiva e rabanadas...
*

Hoje, sobra-me a baga de azevinho

E um cacto que reluz em cada espinho

Pra celebrar os meus pequenos nadas.
*

 

Mª João Brito de Sousa
*
23.12.2021 - 12.30h

 

 

22
Dez21

SE OS TEUS DEDOS DESENHAM....

Maria João Brito de Sousa

SE OS TEUS DEDOS DESENHAM...
*


Se os teus dedos desenham sobre a areia

O errático esboço de uns anseios

Que em gestos vagos, breves devaneios,

Pareçam transformar-se numa teia,
*

 

Logo a Musa se chega e regateia

E configura, por seus próprios meios,

Os traços teus que não lhe sendo alheios

Não são exactamente o que ela anseia...
*

 

Poderosa na sua inexistência,

Personifica a própria incoerência,

Esse não-sei-o-quê que te transcende,
*


Que se te entrega ou foge sem razões

E ora te traz a paz ora os tições

De um fogo que te abrasa mal se acende
*

 

Mª João Brito de Sousa

03.11.2021 - 11.30h

1972.jpg

21
Dez21

SEM TÍTULO II

Maria João Brito de Sousa

diego-rivera-paineis-1-a-5.jpg

SEM TÍTULO II
*


Inda a serenidade não chegou

Ao cais invicto da nossa vontade

Nem esta imensa barca se livrou

Do torpor abissal da ambiguidade
*

 

Que veio sorrateira e se infiltrou

Como se (in)filtra o sol por uma grade

Pra subjugar a quantos enganou,

Confundida que foi com liberdade...
*


Mais tarde chegará! Virá de rubro

Em braços proletários, como Outubro

Floriu em tempos num país distante,
*


Ou como na tomada da Bastilha

Quando a Revolução se fez partilha

De uma luta tão justa quão constante.
*

 

Mª João Brito de Sousa
*
20.12.2021 - 19.30h

***

 

Imagem - Mural de Diego Rivera

 

 

 

 

diego-rivera-paineis-1-a-5.jpg

16
Dez21

SEM TÍTULO

Maria João Brito de Sousa

15697392_1421495877875022_7668187346720268587_n.jp

SEM TÍTULO
*


Nossa barca, de sonhos construída,

É do mar que retira os alimentos

E, mal ou bem, enfrenta os elementos

Com que se confrontar. É morte ou vida!
*


Vogara outrora por ânsias movida

De novas terras, glória e condimentos

Que o tempo era então tempo de portentos

E esta humana nave era aguerrida
*


Cresceu, porém, a barca. A do presente,

Navega noite e dia um mar diferente

E já não será glória o que procura,
*


Que antes avança em busca da Verdade;

No bojo leva a própria humanidade

E a força que hoje a move é razão pura.
*

 

Mª João Brito de Sousa

16.12.2021 - 10.30h

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em livro

Links

O MEU SEBO LITERÁRIO - Portal CEN

OS MEUS OUTROS BLOGS

SONETÁRIO

OUTROS POETAS

AVSPE

OUTROS POETAS II

AJUDAR O FÁBIO

OUTROS POETAS III

GALERIA DE TELAS

QUINTA DO SOL

COISAS DOCES...

AO SERVIÇO DA PAZ E DA ÉTICA, PELO PLANETA

ANIMAL

PRENDINHAS

EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE POETAS

ESCULTURA

CENTRO PAROQUIAL

NOVA ÁGUIA

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL

SABER +

CEM PALAVRAS

TEOLOGIZAR

TEATRO

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D

FÁBRICA DE HISTÓRIAS

Autores Editora

A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!