Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

poetaporkedeusker

poetaporkedeusker

UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
27
Jul15

UMA FROTA DE ILUSÕES

Maria João Brito de Sousa

 

6129864_8gzce.jpeg

 

 

(Soneto em decassílabo heróico)



Da frota de ilusões, destaco, ao fundo,

bojuda vela em barca pequenina,

rumando à colisão, rasgando o mundo,

a silhueta frágil da menina



Que, num primeiro olhar, quase confundo

com tantas que encontrei de esquina em esquina

e de cujas memórias quase inundo

o verbo que me embala e me fascina...



Tão firme, a vasta frota de ilusões!

Avança devagar, mas sempre avança

num mar que não lhe aponta obrigações,



Senão a que lhe cumpre; ser criança

e transportar, na barca, as vocações

escondidas em porões que nunca alcança...



Maria João Brito de Sousa – 27.07.2015 – 16.25h

 

20
Jul15

CONVOCATÓRIA (Adiando tanto quanto puder)

Maria João Brito de Sousa

521_5345_771.jpg

(Soneto em decassílabo heróico)

 

Convoco-te, poema, em cada verso,
em cada estrofe enquanto não tecida,
em cada afirmação, no seu reverso,
no sopro que conduz do verbo à vida,

 

E sempre que comigo, em mim disperso,
te encontro e vou moldando já rendida,
perder-te-ei depois, depressa imerso
num mar cuja maré me traz perdida,

 

Mas essa sensação de, em tempo adverso,
estar presa, acorrentada e sem saída
num beco já distante e bem diverso,

 

Quando olhada de frente, foi vencida
no desdobrar final deste universo
que em versos multiplico, dividida...

 

 

Maria João Brito de Sousa – 20.07.2015 – 14.34h

16
Jul15

DEMOCRACIA(S)

Maria João Brito de Sousa

10404880_10201857357710029_4856223275890411026_n.j

 

(Soneto em decassílabo heróico)



Que capa ostentas tu, Democracia?

Conforme à “barricada” lhe convém,

assim te vais vestindo de ousadia,

ou de odalisca presa em pleno harém



Pois se, acaso, te abraça a tirania,

a capa desbotada é que irá bem

com essa com que a astuta oligarquia

disfarça a escravatura em que te tem



Mas, sendo uma questão de perspectiva,

dizer que és mesmo tu, vendo-te assim,

louvada por alguns, quando cativa,



Não sei, Democracia, se és, pr`a mim,

mera lembrança de outra que vi, viva,

vestida de vermelho e... livre, enfim!





Maria João Brito de Sousa, 16.07.2015 – 15.04h





 

 

08
Jul15

UM SONETO A SANCHO PANÇA

Maria João Brito de Sousa

sancho-panza.jpg

 

(Em decassílabo heróico)



Foge-me o pensamento do soneto,

salivo e penso em pão. É mesmo assim,

pois quando a fome aperta eu não prometo

dedicar-me ao soneto até ao fim,



Embora seja um crime o que cometo

se o frémito, ao passar, me toca a mim

e eu, por estar famélica, o remeto

pr`a depois de uma sopa ou de um pudim...



São as coisas mesquinhas que o esqueleto

impõe a todos nós, neste ínterim

da “crise” que nos faz ver tudo preto.



Absurdo, amigos meus, seria, enfim,

negar que o corpo dita o que é correcto

ao trocar, por um pão, musa e jardim.

 



Maria João Brito de Sousa – 23.06.2015 – 15.01h

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em livro

Links

O MEU SEBO LITERÁRIO - Portal CEN

OS MEUS OUTROS BLOGS

SONETÁRIO

OUTROS POETAS

AVSPE

OUTROS POETAS II

AJUDAR O FÁBIO

OUTROS POETAS III

GALERIA DE TELAS

QUINTA DO SOL

COISAS DOCES...

AO SERVIÇO DA PAZ E DA ÉTICA, PELO PLANETA

ANIMAL

PRENDINHAS

EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE POETAS

ESCULTURA

CENTRO PAROQUIAL

NOVA ÁGUIA

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL

SABER +

CEM PALAVRAS

TEOLOGIZAR

TEATRO

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

FÁBRICA DE HISTÓRIAS

Autores Editora

A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!