.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Segunda-feira, 9 de Novembro de 2009

UM PAPEL NA CONSTRUÇÃO

 

Um pouco mais de sede e eu, deserto…

Um pouco mais de fome e morreria

Da morte que, em voltando, elevaria

Minh`alma, esse tão longe… esse tão perto…

 

Um pouco mais de além, em voo incerto,

Um pouco, um tudo-nada, eu saberia

Do mais, do pouco mais que bastaria

P`ra colocar-me o resto a descoberto…

 

Então seria um anjo! Alcançaria,

Na eterna partitura, esse concerto

Da Vida; -Melodia e Criação!

 

Escolhi, porém, ficar. [Pois quem faria,

Se liberta de um corpo em desconcerto,

Por cá, o meu papel na Construção?]

 

 

 

Imagem retirada da internet

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 15:45
link do post | "poete" também! | favorito
4 comentários:
De a 9 de Novembro de 2009 às 17:11
Ai minha amiga, Se todas as minhas escolhas tivessem sido tão acertadas como essa...
Mas sinto por aí alguma nostalgia.
Eu hoje também acordei assim, cinzenta como o dia.
Beijinhos
De poetaporkedeusker a 9 de Novembro de 2009 às 17:34
Esdte é o meu estado de espírito normal num dia de hospital, Fá. Fico sempre, sempre, irritadiça quando lá tenho de ir... ah! Mas o soneto é de ontem, é verdade! Não. Ontem não estava muito nostálgica... e muito menos irritada... bem, é claro que estou sempre a lembrar-me do Sigmund... talvez seja por isso.
Bjo!
De a 9 de Novembro de 2009 às 18:05
É como lhe digo, isto hoje está assim. Tudo me passa ao lado. Mas ainda bem que não soube "ler".
Menos bem essas idas ao hospital e o que elas lhe causam, mas dos males o menor e o que tem que ser tem muita força.
As melhoras.
Beijinhos
De poetaporkedeusker a 10 de Novembro de 2009 às 10:30
Pois tem, mas eu, de vez em quando, tenho vontade de nunca mais voltar a pôr lá os pés! O pior é que me lembro das idas de urgência, que são sempre horríveis porque já vou bastante mal e ninguém entende lá muito bem da doença que eu tenho e depois enviam-me para outras quinhentas consultas das diversas especialidades... é o que está a acontecer agora. :( Mas lá que estou a ficar "alérgica" a hospitais, lá isso estou! São horas e horas em filas e salas ou corredores de espera, são pequenos erros de articulação interna que fazem perder ainda mais horas e podem dar origem a erros graves de diagnóstico, são as pessoas que estão, na sua maioria, em sofrimento e eu não consigo deixar de sentir tudo o que elas sentem... bem, chega de desabafos! Isto mais parece um livro de reclamações :)))
Beijinho!
PS - A tacinha está muito bem guardadinha, à espera!

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

.posts recentes

. QUASE, QUASE, QUASE...

. A TODOS OS CRAVOS DE ABRI...

. O FEITIÇO DA ÁGUA

. "IMAGINE"

. SOB ATAQUE (14.04.2014)

. PERMANÊNCIAS

. FADO CHOVIDO

.arquivos

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. Pai

. À luz da lua

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

.FÁBRICA DE HISTÓRIAS

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds