Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

poetaporkedeusker

poetaporkedeusker

UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
08
Fev09

E AGORA?

Maria João Brito de Sousa

E agora? – Foi a primeira coisa que pensou quando abriu a conta da banda larga daquele mês e os olhos lhe pousaram na descrição do débito total.

Já estava na blogosfera havia mais de um ano e nunca uma simples conta de banda larga tomara aquelas proporções. Mais de cento e setenta euros!

Exactamente menos nove euros do que o que recebia mensalmente do subsídio de inserção social e que, pagas as contas de água, luz e gás, mal lhe davam para jantar durante uma semana. Pousou a carta sobre o tampo da secretária e foi aos seus afazeres. Outras coisas a preocupavam naquele momento e, embora tendo vendido uma tela havia poucos dias, não conseguira pagar nem metade das dívidas que acumulara ao longo dos últimos meses.

Lembrava-se do dia em que recebera o vale da última tela, de quão gratificada se sentira, da ilusão pontual de poder sobreviver com um mínimo de dignidade. Lembrava-se de ter corrido para a farmácia, para pagar uma parte da dívida, lembrava-se das outras contas que haviam acabado de chegar e que reclamavam pagamento, dos condomínios, da eterna dívida bancária, dos animais que a mãe lhe deixara em testamento verbal…

Não era uma mulher inteligente, embora respirasse criatividade por todos os poros. Não podia ser inteligente ou nunca teria imaginado que o seu trabalho, um tanto ou quanto à revelia do sistema, pudesse vir a ser premiado ou recompensado de outro modo que não fosse aquela alegria genuína de quem dá tudo o que pode e, por vezes, mais do que isso. Mas era assim que ela entendia as coisas e, durante uns dias, não voltou a pensar no assunto. Aquela estupidez natural de quem teima em deslumbrar-se com as pequeninas coisas, colara-se-lhe ao corpo e, tomando as rédeas do percurso, passara a ser a sua mais determinante característica. Tão determinante que ela jamais pensaria que não fosse, lá bem no fundo, a sua maior qualidade.

Agora, sentada frente ao PC, repetia a frase: - E agora?

Agora escreveria, claro! Se mais não podia fazer!

Escreveu, então, mas, desta vez, sabia que talvez fosse a última que o sistema lhe permitiria. Não. Não se voltaria para os sonetos, como era habitual. Não aceitaria mais do que o que dava! Passava horas e horas agarrada àquele computador, “poetando” a sua burrice congénita, ao ponto de considerar-se justificada pelo ar que consumia neste planeta e aquilo teria de acabar. Teria de acabar mesmo! A Fábrica de Histórias pedia um “E agora?” esta semana e esta era a oportunidade exacta para falar do seu.

 

E agora? – escreveu…

 

 

Maria João Brito de Sousa -  2009

 

Directamente do fundo da alma para

http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt/

 

Imagem - Auto-Retrato em paint (sem rato...)

 

NOTA - Segue a amarelo pela vaga - ou não tão vaga assim... - simbologia que o amarelo tem para nós, humanos.

O meu amigo FREE STYLE precisa de apoio por uma causa que não é dele, mas na qual acredita e pela qual está a sofrer.

Deixo-vos uma "portinha" aberta para que possais, pelo menos, reflectir um pouco sobre o assunto ou deixar-lhe umas palavras de apoio:

 

http://free-stile.blogs.sapo.pt/   É aqui...

 

 

 

 

 

23 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em livro

Links

O MEU SEBO LITERÁRIO - Portal CEN

OS MEUS OUTROS BLOGS

SONETÁRIO

OUTROS POETAS

AVSPE

OUTROS POETAS II

AJUDAR O FÁBIO

OUTROS POETAS III

GALERIA DE TELAS

QUINTA DO SOL

COISAS DOCES...

AO SERVIÇO DA PAZ E DA ÉTICA, PELO PLANETA

ANIMAL

PRENDINHAS

EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE POETAS

ESCULTURA

CENTRO PAROQUIAL

NOVA ÁGUIA

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL

SABER +

CEM PALAVRAS

TEOLOGIZAR

TEATRO

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

FÁBRICA DE HISTÓRIAS

Autores Editora

A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!