.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2014

IDEIA

lobo blanco 3.jpg

IDEIA

(Soneto em decassílabo heróico)

Saboreio a conversa e, volta e meia,
Cansada de pensar, sonho o porvir...
Eis tudo o que me posso permitir
Adicionar ao pão que como à ceia

Na selva que me invade e me rodeia,
Na vastidão que o verso consentir
Na força que me faça prosseguir
Ao ritmo da jornada da alcateia ...

Se a voz me falha, o verso me cerceia,
Se a rima desafina ou me escasseia,
Desisto sem sequer tentar fingir,

Pois só pensando sinto a própria ideia
E nenhum deus me verga ou me refreia
A mão com que a tentei reconstruir...

 



Maria JoãoBrito de Sousa – 23.12.2014 – 16.24h

tags: ,
publicado por poetaporkedeusker às 16:45
link do post | "poete" também! | favorito
|
77 comentários:
De poetazarolho a 26 de Dezembro de 2014 às 11:24
“Amigos do po(l)vo”

Era grande a teoria
Da pequena conspiração
Quando nada se sabia
Eis a maior revelação

Era obra da maçonaria
O destino desta nação
Bilderberg reunia
E ao povo em negação

Mais nada lhe assistia
Que fazer a revolução
E então no mesmo dia

Saiu de cravo na mão
Pobre povo não merecia
Mergulhar na podridão.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 28 de Dezembro de 2014 às 12:23
Corrupção, desfaçatez,
Mentiras, grande injustiça,
São nódoas de outro jaez,
Mas parte da tal "cobiça"

Que maltrata o português
E provoca tal "carniça"
Que ficam, pobre e burguês,
Cada qual com sua liça...

Mas não estou no meu melhor
E até pensei desistir...
Isto vai , mas que valor

Pode ter se eu persistir
Num poema sem rigor
E escrito quase a dormir?

Maria João

Não vai mau, vai péssimo... foi o que se pôde arranjar, embora esteja evidentemente escrito à martelada...
Bom restinho de ano velhinho, Poeta!
De poeta_extase a 27 de Dezembro de 2014 às 00:05
Bela ideia para a festa do Natal,
Data pura e repleta de louvores.
De todos os cristãos muitos amores,
Saudando ao Homem, Jesus, ser imortal.

Feliz Natal e venturoso Ano Novo, amiga poetisa, que canta em versos harmoniosos que nos encanta!

Adílio Belmonte,
Belém-Pará-BRASIL
De poetaporkedeusker a 27 de Dezembro de 2014 às 00:52
Muito grata, Adílio!

Que tenha muito Boas Festas, amigo, e um melhor e mais justo 2015!
De heretico a 28 de Dezembro de 2014 às 22:02
que nunca a voz te doa, nem a mão te falhe em teu desígnio de poeta empenhada...

votos de Bom Ano.

forte abraço
De poetaporkedeusker a 28 de Dezembro de 2014 às 22:03
Um bom ano, Heretico! Obrigada!
De poetazarolho a 29 de Dezembro de 2014 às 21:36
“Teoria perdida”

Instante no infinito
Infinito em nós reside
Ao nosso saber finito
A sabedoria preside

Confere intemporalidade
No tempo é perpetuada
Num caminho sem idade
Onde não se avista nada

Por certo é a eternidade
Que nos leva a procurar
Essa teoria perdida

Reveladora da verdade
Que nos fará preservar
Os valores da própria vida.
De poetaporkedeusker a 29 de Dezembro de 2014 às 22:19
Se o valor da própria vida
Nos chegar a ser negado,
Estara, na esperança perdida
O mundo mais despojado...
De poetazarolho a 30 de Dezembro de 2014 às 23:38
“Roubados”

Está feita a promessa
Nuvens negras não virão
Bom tempo vem depressa
Faz migrar o passarão

Para terras bem distantes
Que o povo está cansado
Deste circo de pedantes
Farto de ser enganado

Desde a era dos infantes
Viver num país roubado
Onde é fraca a liderança

Nada fica como dantes
E com ar triste e cansado
Vê roubar até a esperança.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 31 de Dezembro de 2014 às 14:08
... mas nunca "cantando e rindo"


Roubados, mas talvez mais
Acordados, combativos
E menos dados aos "ais"
Que vão dando os semi-vivos...

Talvez, como os ancestrais,
Usando os tais velhos crivos
Das escolhas naturais
Dos bons dos povos cativos.

Levam tudo e não levaram,
Desta combatividade,
O que tanto cobiçaram;

A força desta vontade
E o valor dos que afirmaram
Combater pela Verdade!


Maria João


Cá vai com o meu abraço de sempre e os meus votos de um muito combativo 2015!
De poetazarolho a 31 de Dezembro de 2014 às 07:12
Chá sem nuvens.
De poetaporkedeusker a 31 de Dezembro de 2014 às 13:29
... vou ver esse "Chá sem Nuvens"... só espero que não seja idêntico àquela afirmação do Passos Coelho em relação à nossa economia, rsrsrsrs...
De poetazarolho a 31 de Dezembro de 2014 às 21:33
“A escolha”

Adeus ao ano cinzento
Outros mais negros virão
Anos azuis se revelarão
Ao olharem o firmamento

Com nosso consentimento
Doutras côres surgirão
Por certo surpreenderão
Fazendo jus ao pensamento

Pela humanidade escolhido
Esse que guiará o crer
Segredo está no escolher

Côr do ano pretendido
Se fôr morta há-de morrer
Se fôr viva há-de viver.
De poetaporkedeusker a 31 de Dezembro de 2014 às 22:06
Escolhi!


Sai tão gelado, o poema,
Que, se um verso cai no chão,
Faz-se em cacos... já me acena,
Do verso da Terra, o Verão...

Tenho frio! Não tenho tema,
Nem me nasce inspiração
Enquanto o meu corpo trema
E eu já mal comande a mão

Mas, enquanto aqui estiver,
Teimarei nesta postura
De lhe tentar responder

Preenchendo a "partitura"
Com quanto, a mim, me ocorrer
No decurso da leitura...

Maria João

Que seja um melhor ano para si e toda a família, Poeta! Estou literalmente congelada... penso que é a passagem de ano mais geladinha - no sentido literal - da minha vida!
De poetazarolho a 1 de Janeiro de 2015 às 08:27
Chá da maioria.
De poetaporkedeusker a 1 de Janeiro de 2015 às 11:10
...vou vê-lo, Poeta!
De poetazarolho a 1 de Janeiro de 2015 às 19:00
“Caminho do regime”

Que este é o caminho
Que outro não haverá
No discurso não alinho
Mas outro discurso não há

Parece o disco riscado
Com o discurso já caduco
Duma fábula do passado
Muita parra e pouco suco

Assim vamos caminhando
P’la via dum só sentido
Única que nos salvará

Mesmo não acreditando
Tudo o resto está perdido
Quem se afastar morrerá.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 2 de Janeiro de 2015 às 12:34
Extinção...

Tantos presságios de morte..
Afinal sempre alguém escapa
Sempre algum, por pura sorte,
Subverte as linhas do mapa,

Derruba o poder da corte,
Usa a vontade por capa
Quando já nada lhe importe
Porque aaparência é..."zurrapa"...

É "zurrapa" este regime
Que faz por nos destruir,
Que nos mata e nos deprime,

Mas... em vez de lhe fugir
Ou pensar que se redime,
Faço tudo pr`ó extinguir...

M. João


Muito mauzinho porque este registo não é o meu registo poético, como sabe, mas aqui vai com o abraço de sempre, Poeta!


De poetazarolho a 2 de Janeiro de 2015 às 07:00
Chá civilizado.
De poetaporkedeusker a 2 de Janeiro de 2015 às 11:27
... vou vê-lo, Poeta.

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. GLOSANDO JOÃO MOUTINHO

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

. INFILTRAÇÔES

. O POEMA E EU

. CALADA

. GLOSANDO MARIA DA ENCARNA...

. GLOSANDO HELENA FRAGOSO I...

.arquivos

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds