.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Terça-feira, 20 de Dezembro de 2016

GLOSANDO ALICE MENDES

Actual_Sunrise.jpeg

 

O DIA NASCEU DEVAGARINHO

 

 

Hoje o dia nasceu devagarinho

Quando o sol despertou a madrugada

Abanou ao de leve aquele ninho

Construído há muito na ramada.

 

Levou-me no meu sonho de mansinho

Para outro caminho, outra estrada

Como se fosse um débil passarinho

Que voava tão pouco…quase nada.

 

Se a sua luz entrou pela janela

Raiando com intensidade bela

Capaz de iluminar o meu porvir,

 

Deixou um bom odor e sensação

Fiquei com alecrim no coração

No rosto, só o esgar do meu sorrir.

 

 

Alice Mendes

 

30.10.2016




PONDO OS PÉS NO CHÃO, AO DESPERTAR



"Hoje o dia nasceu devagarinho",

Com pés de lã prudentes, cuidadosos,

Escondendo o astro-rei nalgum cantinho

Dos céus acinzentados, nebulosos.



"Levou-me no meu sonho de mansinho"

Por mágicos caminhos pedregosos

E trouxe-me de volta ao velho ninho

Fazendo-me esquecer seus magos gozos...



"Se a sua luz entrou pela janela",

Fazendo esmorecer a luz da vela

Que iluminava um corpo adormecido,



"Deixou(-me) um bom odor e sensação",

Mas trouxe-me de volta à dimensão

Das mil funções do corpo, ao ter-me erguido...





Maria João Brito de Sousa -01.11.2016 - 10.16

 

 

 

 

publicado por poetaporkedeusker às 23:31
link do post | "poete" também! | favorito
|
6 comentários:
De poetazarolho a 21 de Dezembro de 2016 às 00:29
“Pastéis”

Da joalharia de Belém, pastéis
Jamais irei sair de mim
Interpretarei novos papéis
Apodrecendo até ao fim

Diamantes da confeitaria
Que eternos nunca serão
Nem eterna é a pastelaria
Que os pastéis são como são

Degustados pelo prazer
Nesta eternidade finita
Com o fim a acontecer

Faço votos de permanecer
Nos meandros desta escrita
E na joalharia de Belém, comer.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 21 de Dezembro de 2016 às 08:16
Muita coisa há em Belém;
Jóias, pastéis, presidentes...
Rico é o bairro que os tem,
Ricos, os seus residentes.

Nem lá passo se estou bem,
Só fico entre outros doentes
E quando lá passo nem
Reparo se tem, pendentes,

Jóias ou seja o que for...
Mas são bons, os tais pastéis,
Com canela polvilhados;

Jóias, com todo o rigor,
Embrulhadas em papéis,
Ou dos papéis despojados...

Maria João

Bom dia, Poeta. Cá vai o que me ocorreu a partir da leitura deste seu singular sonetilho... que, hoje, estando no meu fim-de-mês, até caíriam que nem jóias, uns pasteizinhos de Belém, mesmo não sendo eu gulosa. Abraço grande e um Feliz Natal.
De fashion a 21 de Dezembro de 2016 às 10:04
Gosto quando os dias começam devagarinho e posso vir ao seu cantinho! Adorei os dois. beijinhos e muitas festinhas
De poetaporkedeusker a 21 de Dezembro de 2016 às 10:19
Para mim, começam sempre devagarinho, por fora, mas impõem-me sempre mil e uma pressas que quase nunca vou conseguindo acompanhar...

Pelo que toca ao meu soneto, muito obrigada, Fashion!

Beijinhos e festinhas!
De poetazarolho a 21 de Dezembro de 2016 às 21:24
“Brutais”

Eu não posso engravidar
Porque útero nunca tive
Por isso deixem-me estar
Do meu corpo ninguém vive

Mas minh’alma pode parir
Bem p’ra cima dum milhão
E das mais qu’estão p’ra vir
Outras tantas nascerão

São de partos naturais
Estas palavras sem rosto
Que nascem sem permissão

Tantas vezes feias brutais
Muito mais do que o suposto
Sem nunca pedir perdão.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 21 de Dezembro de 2016 às 22:49
Seja então feita a vontade
Que afirma ter sido a sua;
Dê à luz em liberdade,
Ora em casa, ora na rua,

Sempre que a rima o invade,
Brilhe o sol, ou exprima a lua
Toda a sua suavidade,
Enquanto a alma se estua...

Seja vasta a sua prole
Que, por força a quer brutal;
Poema não tem controle

E, no mundo virtual,
Pouco ou nada há que o console,
Nem há quem o leve a mal...

Maria João


Cá vai, Poeta, um pouco menos brutal, mas bastante compreensiva em relação à brutalidade do que entenda parir. Abraço grande!

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. O MOMENTO DA RECEPÇÃO DA ...

. A MEDALHA E O DIPLOMA - ...

. INFORMAÇÃO A TODOS OS AMI...

. SONETO A PRETO E BRANCO

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

. O VIGÉSIMO SEXTO DIA

. SÁBADO, DOMINGO, SEGUNDA ...

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds