.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Terça-feira, 19 de Julho de 2016

GLOSANDO A POETISA HELENA FRAGOSO

Flores bravias.JPG



TRISTEZA...



Tristeza, a que me invade não tem fim...
Sem que possa afastar a escuridão,
Que quase permanente vive em mim
Ensombrando-me assim o coração.

Perdi até meus sonhos... Sei que sim,
Perdi também o amor e a ilusão...
Aquela pouca paz que tinha, enfim...
Tudo isto se esfumou... Caiu ao chão.

Tento ainda lutar, pois sou assim...
A força que guardei dentro de mim
Aos poucos já se esvai de minha mão...

Tristeza, a que me invade não tem fim...
Sem que possa afastar a dor de mim,
Apenas me acompanha a solidão.



Helena Fragoso - 21.04.2016



RESILIÊNCIA(S)



"Tristeza que me invade e não tem fim"
Esta de não saber se estás melhor,
Sabendo quanto estás longe de mim,
Pensando que talvez te esmague a dor...

"Perdi até meus sonhos...Sei que sim",
Pressentindo, impotente, esse rigor
De entender que esse mal te deixa, enfim,
Tão longe do Poema, amor maior...

"Tento ainda lutar, pois sou assim";
Tão frágil quanto a haste do jasmim,
Mas tão teimosa quanto qualquer flor...

"Tristeza, a que me invade não tem fim(...)",
Mas ambas somos flor`s de um só jardim
Que ostenta a Resistência por pendor!



Maria João Brito de Sousa - 06.07.2016 -16.08h

publicado por poetaporkedeusker às 15:09
link do post | "poete" também! | favorito
|
6 comentários:
De poetazarolho a 19 de Julho de 2016 às 23:30
“Voltas”

Radicalização imediata
Em pastilha efervescente
Serve a qualquer psicopata
Dando-lhe a volta à mente

São as voltas encadeadas
Nas voltas que o mundo dá
Em breve voltas esgotadas
Que o mundo não aceitará

Muito milénios à frente
A razão prevalecerá
Ao escutar o coração

Esgotada estará a gente
Que aos outros infligirá
Bala, bomba, ou camião.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 20 de Julho de 2016 às 10:27
Sonetilho de Dupla Coda

Poeta... que azar o nosso!
Sempre que estou de saída
E que, portanto, mal posso
Dar resposta merecida

Descubro um poema seu,
Escrevo alguma coisa à pressa
- pr`a não dizer que não deu... -
E esta história começa

A ser caso habitual...
Mas... de consulta marcada
Porque até me sinto mal

Vem-me esta rima apressada,
Muito "pãozinho-sem-sal",
Ou nem lhe diria nada...

(mas que a razão prevaleça
abraçada ao coração
antes que o mundo pereça

no meio da confusão
qu`inda agora nos começa
a dar cabo da razão!)


Maria João


Muito a correr, mas aqui vai, Poeta, com o abraço de sempre!
De poetazarolho a 23 de Julho de 2016 às 23:35
“Compassos”

Como ser coisa nenhuma
Quem sabe vindo do nada
Essa a essência da espuma
P’las ondas do mar embalada

Bate na areia e desfaz-se
Deixa no ar um compasso
E como se tal não bastasse
Apaga as marcas do passo

Não sabendo de quem são
E eu só sei que nada sei
Mesmo sabendo não digo

Pois não é minha intenção
Enfrentar a quem é rei
Mesmo que só do umbigo.
De poetaporkedeusker a 24 de Julho de 2016 às 12:04
COMPASSO UMBILICAL

Poeta, aqui lhe confesso
Que adorei este poema
De umbilical retrocesso
Aalgum rei que nada tema,

Mas também eu não professo
Grande amor por esse esquema;
Quando "umbigo" faz sucesso,
É melhor que o resto trema...

Não falta "umbicalidade"
Neste mundo em convulsão;
Se até a própria Vaidade

Grita por revolução,
Enquanto a pobre Igualdade
Luta ainda e sempre em vão...


Maria João


Gostei muito deste seu sonetilho, Poeta!
Infelizmente as coisas estão a piorar muito para mim, a todos os níveis. Pouco- e sempre por curtos períodos... - tenho conseguido vir ao computador... depois lhe conto!
Amanhã estarei de novo no centro de saúde, para nova tentativa de equilibrar um INR mais do que descontrolado desde o meu último internamento.

Abraço grande!


De poetazarolho a 24 de Julho de 2016 às 12:56
“Vaidades”

Se a própria vaidade
Grita por revolução
Quando até a verdade
Nos mente por compulsão

Não falta “umbicalidade”
Neste mundo em convulsão
Assistimos à maldade
Disfarçada de emoção

Nos mass média vendida
Com a subtil intenção
D’encenar o novo normal

Será uma causa perdida
Se aqueles que o não são
Nunca o forem afinal.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 25 de Julho de 2016 às 08:59
Poeta, acabei de perder o meu sonetilho-resposta com uma súbita "queda" de ligação...

Vou tentar outro, embora esteja de saída para outra consulta e exames...

VAIDADE(ZINHAS)

São as voltas do destino
Nas "rodas" da burguesia
Que nos rouba o próprio hino,
(Sub)trai-lhe a Filosofia

E nos faz perder o tino
Transformando em "porcaria"
- vinda do próprio intestino... -
Algo que era ideologia...

Se nos não pomos "a pau",
Damos connosco a pensar
Que o que é bom, passa a ser mau

E acabamos "a nadar";
Passa-se a borrasca a vau,
Podendo jamais voltar...


Maria João


Aqui vai, muito a correr, pois tenho mais exames e consultas. O INR anda completamente "fora dos eixos" desde o meu último internamento... abraço grande!

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. SÁBADO, DOMINGO, SEGUNDA ...

. MEMÓRIA(S) DO NÁUFRAGO-PE...

. RUAS

. A PAUTA INVISÍVEL

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

. DIÁLOGOS ENTRE MÃE E FILH...

. SETEMBRO(S)

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds