.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Domingo, 12 de Outubro de 2008

O CULTIVO DAS ROSAS

Sou filha-de-ninguém no dia a dia

Mas trago o "sangue bom" dos meus avós

E mesmo nada tendo, eu tenho "voz"!

(desculpem-me a vaidade, a ousadia...)

 

Sou filha-de-ninguém, mas sou poeta!

Canto o  passar das horas neste mundo

E, enquanto cantar, não vou ao fundo!

É esta a minha glória mais secreta...

 

Eu, filha-de-ninguém, protejo a vida,

Encontro-me onde a sorte foi perdida,

Saboreio, ao segundo, a caminhada,

 

Dou tudo o que em mim há (sou generosa...),

Acredito no "ser", cultivo a rosa

Que vos alegra e não vos pede nada!

 

II

 

Cultivo a minha rosa à luz da lua.

O sol nem sempre vem, nem sempre aquece...

Cultivo a rosa e a rosa não se esquece,

Responde: - És de ninguém? Que sorte a tua!

 

Nós, filhos-de-ninguém, criamos laços

E agradamos (ou não...) a toda a gente...

Mas trazemos connosco esta semente

Que transforma os olhares em mil abraços!

 

Temos `spinhos, é certo,e quantas vezes

Usamos, sem pensar, essas defesas

P`ra preservar a nossa própria vida...

 

Dá-nos o mundo amor, dá-nos revezes,

Faz de nós predador`s ou faz-nos presas,

Mas nunca de alma fraca e já vencida!

 

 

À Natália Correia

 

À Joanina

 

À Azoriana, pela açorianidade e pelo nome da rosa

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 13:15
link do post | "poete" também! | favorito
|
24 comentários:
De Azoriana a 12 de Outubro de 2008 às 19:46
À Maria João - "poetaporkedeusker"

Alegram-me essas "rosas" bem medidas,
Que acabas de nos dar, com amizade:
[E os Açores lembras, sem vaidade]
Tais pétalas jamais serão perdidas.

Irmano-me nas linhas mais sentidas...
Há 'spinhos que nos ferem de verdade,
Mas vão-se amainando com a idade,
E prevalecem rosas mais sortidas.

E a cor que a cada pétala nós damos,
Num ramalhete em laços de ternura,
Alegra o mote com que trabalhamos.

Hoje o que o de ti vim encontrar,
Colhi com mais encanto e doçura
Para no coração deixar ficar.

Beijinhos. Adorei! Obrigada
Nota: Desculpa se estiver algum verso mal mas foi feito em directo e seguindo o pensamento.
De poetaporkedeusker a 12 de Outubro de 2008 às 21:44
Obrigada pelo teu soneto Azoriana! Não te preocupes tanto. Está lindíssimo e, olha, muitos dos meus também são feitos em directo e todos são feitos ao sabor do sentimento. Os poemas mais belos são os que nascem assim!
Um grande abraço.
De CARLOS MAGALHÃES a 12 de Outubro de 2008 às 20:19
Tenho pena de não saber
Poemas assim fazêr
No entanto posso dizer
Que estarei aqui para os lêr.

Maria João isto não têm "pileca" mas é verdade.
Um abraço "do Belga" .
De poetaporkedeusker a 12 de Outubro de 2008 às 22:17
Muitas pétalas tem esta rosa, amigo "Belga"!
Diz sempre que não sabe fazer poemas, mas lá vai improvisando umas quadras todas janotas! Muito obrigada pela quadra e pela sua constância junto dos meus sonetos.
Abraço grande!
De manu a 12 de Outubro de 2008 às 20:47
Perante o que acabo de ler chego à conclusão que sou ainda mais amador do que pensava.Parabéns pelo talento.É para pessoas como você que eu dedico dois dos meus "pseudopoemas" no meu blog.Vou adicioná-la como amiga apenas porque gostei do que li.Continue a escrever pérolas como esta.
De poetaporkedeusker a 12 de Outubro de 2008 às 22:23
Obrigada por me adicionar aos seus amigos virtuais, Manulomelino. Passei, ainda agora, no seu Poeta Amador e gostei do que li. Aliás, eu também sou amadora. Muitíssimo amadora pois ainda nem sequer tenho um livro editado...
Se o pc me deixar (anda meio tonto...) ainda hoje tenciono fazer-lhe uma visita mais demorada. é sempre bom encontrar colegas amadores da poesia neste espaço.
Abraço.
De linhaseletras a 12 de Outubro de 2008 às 21:41
Mais um lindo soneto como tantos a que já nos habituou , e parece que que este merece umas quadras, que me saíram do coração quando o li, aqui vão.

Passei num jardim, pisado
Uma rosa vi caída
Apanhei-a com cuidado
E guardei-a de seguida

Cais-te duma roseira
Em dia de tempestade
Mas continuas inteira
Lutando pela Liberdade

Foi isto que me saiu quando li estes dois belos sonetos, nestas quadras vai a minha admiração por Si. Boa noite e até amanhã



[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Mais um lindo soneto como tantos a que já nos habituou , e parece que que este merece umas quadras, que me saíram do coração quando o li, aqui vão. <BR><BR>Passei num jardim, pisado <BR>Uma rosa vi caída <BR>Apanhei-a com cuidado <BR>E guardei-a de seguida <BR><BR>Cais-te duma roseira <BR>Em dia de tempestade <BR>Mas continuas inteira <BR>Lutando pela Liberdade <BR><BR>Foi isto que me saiu quando li estes dois belos sonetos, nestas quadras vai a minha admiração por Si. Boa noite e até amanhã<img src="http://blogs.sapo.pt/images/mood/EMOTICON_LUA.png"> <BR><BR><BR><BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Boia</A> noite e até amanhã
De linhaseletras a 12 de Outubro de 2008 às 21:47
Desculpe este comentário esquisito, mas isto é obra do meu Kanguru ", põe-se aos saltos e é o que dá.
Mais uma vez Boa Noite
De poetaporkedeusker a 12 de Outubro de 2008 às 22:56
Ó minha amiga! Eu compreendo! Nem queira saber a loucura que vai por aqui! São sites que desaparecem, comentários que se apagam, emails que não abrem, etc.
De poetaporkedeusker a 12 de Outubro de 2008 às 22:01
Minha amiga, fico muito feliz por ver que estes sonetos já deram "fruto" e agradeço-lhe muito as suas belas quadras.
Hoje estu com muitas dificuldades em fazer seja o que for no computador! Os comentários não abrem e os operadores de serviço nem funcionam a maior parte das vezes. Nem o IE nem o Opera conseguem encontrar o sapo ou os blogs. Só me faltava o 2008 ter "adoecido" também! Para quem tem ligação USB e um plafond de 2 Gigas, é quase impossível trabalhar nestas condições...
Só espero que este comentário não "morra", como tantos outros desde ontem à noite!
Um grande abraço e, mais uma vez, obrigada!
De Velucia a 13 de Outubro de 2008 às 00:50
Olá Maria

Mais uma vez uma maravilha
Mas não diga:

"Filhas-de-ninguém no dia a dia"?

É sim:

Filhas de alguém a quem tem
Maravilhas a mostrar
E todos teus sonetos
Que lá do alto Deus
E teu avô te faz mostrar.

Portanto filhas-de-alguém (Deus)
E aqui no poetapokedeusker
Queremos ficar, nós os teus amigos
Que viemos te abraçar.

Para lermos estas maravilhas
Que todos os dias
Nos fazem embalar
Embalar de noite e dia
Para contigo ficar.

Somos presas dos teus sonetos
Que nos fazem delirar
Aqui sempre venho
Para ler-te e te abraçar
Como amiga de outrora
Que Deus nos fez amar.

Ps. Isto foi saindo enquanto lia teu belo soneto. Desculpe-me os erros.
As palavras foram vindo e fui escrevendo.
Vou postá-lo lá no meu blog.
Gosto muito de ler teus trabalhos. E eles inspiram-me, apesar de não ser poetiza.

Um abraço.
De poetaporkedeusker a 13 de Outubro de 2008 às 01:40
Repito que está lindo! Nunca imaginei que este cultivo desse tantas rosas! Fazes bem em deixar "nascer" as palavras, Velucia. Eu faço exactamente o mesmo.
Os sonetos de amanhã acabaram de nascer e um deles é-te dedicado. A ti e à Eva. O outro é para o poeta A. Codeço.
Não sei a que horas irei postar, mas conto que seja depois da hora do almoço (aqui em Portugal) ou um pouco antes se tudo correr bem com os animais. Levo muitas horas a tratar deles, sobretudo agora que a Lupa está doente e muito velhinha.
Abraço grande e obrigada!
De Joanina a 13 de Outubro de 2008 às 02:51
Bom, e lá venho eu visitar-te a "horas mortas"... E desta vez venho com a lágrima no olho porque fiquei deveras emocionada ao ver, e ler, estas duas pérolas que escreveste e que também a mim dedicaste! Desculpa ter sido a ultima a chegar e a comentar, mas isso não e de forma alguma falta de interesse... E o viver do outro lado do mundo que faz com que ande sempre as avessas! Mas trago-te sempre no coração, tu bem sabes.
Para mim e um enorme honra o teres-me dedicado estes 2 belos sonetos!!! E e uma dupla honra partilhar essa dedicatória com duas conterrâneas minhas que tanto admiro! Ate me sinto pequenina por me ver no meio de tanto talento e arte!!...
Não tenho poemas para te dar... Mas tenho muita amizade e carinho... E um abraço forte apertado, cheio de admiração e gratidão!! Obrigada, minha Poeta!!
Jo
De poetaporkedeusker a 13 de Outubro de 2008 às 11:55
Minha querida Jo, isto saiu do fundo do coração e tu sabes bem que sim!
Ontem a Lupa lá me deixou adormecer antes das 3.00h da madrugada... ando ensonadita...
Um grande, grande abraço!
De António a 13 de Outubro de 2008 às 08:19
Olá, minha amiga poetisa.

No primeiro soneto, há um verso que quase me define: "E, enquanto cantar, não vou ao fundo!".
Às vezes torna-se obcessivo o querer retirar estas camadas espessas de imundície de cima da minha alma. Mas este cantar é o meu andar livremente à chuva sem poder. Adorei o seu último terceto no segundo soneto. Está absolutamente genial.

Um grande abraço, minha amiga
De poetaporkedeusker a 13 de Outubro de 2008 às 11:59
Olá Poeta. Pois somos... obsessivos e compulsivos. O segundo soneto dos dois que fiz ontem à noite e vou postar hoje, é-lhe dedicado.
Abraço.
De *FreeStyle* a 13 de Outubro de 2008 às 12:47
Uma vez fiz um post sobre "Rosas" que nao tinha absolutaamente nada a ver com este.

Em soneto está sublime, parabens.

Em breve quero-te convidar a fazer um soneto, qdo chegar o momento digo algo.


Abraço
De poetaporkedeusker a 13 de Outubro de 2008 às 12:59
OK, Free! Quando quiseres "apita". Improviso é comigo! Só o tema é que tem de me "tocar", porque se não me diz nada, não sai nada, por mais que eu me "esprema". A sério, eu "funciono" mesmo assim. Nem sei se é defeito ou se é feitio...
Hoje estou furibunda porque o IE se evaporou do meu ambiente de trabalho e o Opera é muito bom, mas não sei copiar nada com ele...
Abraço.
De Maria a 13 de Outubro de 2008 às 13:08
A Rosa caiu ao chão,
Caiu em terra amada,
Depois foi apanhada
E plantada no meu coração.

Parabéns Amiga João
De poetaporkedeusker a 13 de Outubro de 2008 às 13:19
Obrigada pela tua quadra Maria. Fico muito feliz por ver que esta rosa vos inspirou a todos!
Um abraço grande!
De estrelaquebrilha a 13 de Outubro de 2008 às 14:00
Está muito bonito este soneto, gostei muito. E adoro rosas:)
bj e boa semana
De poetaporkedeusker a 13 de Outubro de 2008 às 14:07
Uma boa semana também para ti, Estrelinha!
Um dia destes ainda te dedico uma rosinha a ti, vais ver!
Abraço!

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. INFORMAÇÃO A TODOS OS AMI...

. SONETO A PRETO E BRANCO

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

. O VIGÉSIMO SEXTO DIA

. SÁBADO, DOMINGO, SEGUNDA ...

. MEMÓRIA(S) DO NÁUFRAGO-PE...

. RUAS

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds