.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Quinta-feira, 6 de Junho de 2013

SONETO A UMA OUTRA EMBRIAGUÊS

 

(Em decassílabo heróico)

 

 

Devo dizer-vos ter julgado certo

O fim dos dias do meu “sonetar”

Que a cada instante vinha concertar

Meu muito humano e lábil desconcerto…

 

Hoje, porém, sem um motivo, incerto,

Sem sonho que o fizesse anunciar,

Nasce-me este, ébrio, quase a galopar

Sobre as tristezas que sentiu por perto

 

E, nesta força que nem eu lhe entendo,

Fez-se palavra, verso… e, num crescendo,

Impôs-se, a cores, ao cinza do costume

 

Assim que letra a letra foi estendendo

A melodia que, em mim não cabendo,

Jorrou qual água mas queimou qual lume…

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 29.05.2013 – 21.36h




IMAGEM - Três Mulheres na Fonte - Pablo Picasso, 1921

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 15:30
link do post | "poete" também! | favorito
|
25 comentários:
De jabeiteslp a 6 de Junho de 2013 às 20:18

De poetaporkedeusker a 6 de Junho de 2013 às 20:43
também para ti, Anjo!
De poetazarolho a 6 de Junho de 2013 às 21:32
“Beijo da vida”

Deram-te o beijo da vida
Para tua grande sorte
Pois ele há quem decida
Distribuir o beijo da morte

Mas à vida pertencemos
Mesmo que a sorte fuja
À morte a vida daremos
Tarde ou cedo ela nos surja

Para que no amor vivamos
Importa o pequeno irmão
Nossa esperança futura

Toda a protecção lhe damos
Sempre junto ao coração
Amor é semente que perdura.
De poetaporkedeusker a 6 de Junho de 2013 às 22:34
"Sempre pelo beijo da vida... consciente de que a morte/renovação lhe está implícita..."

Beijo de vida e de morte
No mesmo momento é dado;
É "dois em um"... não há sorte
Que nos livre de um tal "fado"

Pois, no tempo situados,
Temos duração limite
E, ao nascer, somos "datados"...
Não há nada que o evite!

Como tudo o que é vivente
Haverá que procriar,
Deixar por cá nova gente,

Entender a condição
E aprender a acreditar
Nesse tal pequeno irmão...

Maria João

Aqui vai com o meu abraço, Poeta! Acho que vai um bocadinho "pragmático" demais... mas tenho estado a ser muito "solicitada" nesse sentido, nas minhas leituras de hoje... e não estaria a ser sincera se não dissesse exactamente o que aqui digo...
De poetazarolho a 6 de Junho de 2013 às 21:35
Cais na ponte.
De poetaporkedeusker a 6 de Junho de 2013 às 22:39
Vou já ver esse cais, Poeta!
De poetazarolho a 7 de Junho de 2013 às 06:41
Chá líquido.
De poetaporkedeusker a 7 de Junho de 2013 às 12:26
Eheheheh... também o meu, Poeta! Vou lá!
De poetazarolho a 7 de Junho de 2013 às 20:40
“Avenidas novas”

Novas ruas de Lisboa
Baptizadas a preceito
Não são escolhidos à toa
Os nome pr’a este efeito

Nenhum deles destoa
Seguem o único preceito
São quem fez coisa boa
Pois pr’a isso foi eleito

As avenidas do futuro
Para sempre vão perdurar
E até vos dou um conselho

Não queiram o Largo Seguro
Antes a Rua Vítor Gaspar
E a Praça Passos Coelho.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 7 de Junho de 2013 às 23:30
Avenidas do futuro!


Que tal a Rua Cunhal?
Praça Catarina Eufémia?
São gente de Portugal
E não me soa a blasfémia...

Aposto nas toponímias
Que acabei de sugerir
Pois podem tornar-se exímias
N`acção de nos definir...

Bem mais seguros ficamos
Em ruas com nomes destes,
Gente sem açaime ou amos,

Sem receios ou traições,
Que viveu tempos agrestes...
Não o nome de uns poltrões!


Maria João


Aqui vai, Poeta! Com o meu abraço... por enquanto não algemado!









De poetazarolho a 7 de Junho de 2013 às 20:42
Momento final na ponte.
De poetaporkedeusker a 7 de Junho de 2013 às 23:33
Vou ver, Poeta!
De poetazarolho a 8 de Junho de 2013 às 06:57
Chá provável.
De poetaporkedeusker a 8 de Junho de 2013 às 11:44
Vou "prová-lo", Poeta!
De poetazarolho a 8 de Junho de 2013 às 22:29
Agora esteve bem., gosto de trocadilhos.
De jabeiteslp a 8 de Junho de 2013 às 14:54
só desejar-te um grande e feliz Fim de Semana

De poetaporkedeusker a 8 de Junho de 2013 às 21:06
Um feliz fim de semana também para ti, Anjo!
De poetazarolho a 8 de Junho de 2013 às 22:28
“Vida sem alma”

Com a vida ao contrário
Alma não está à venda
São as contas do rosário
Duma vida de contenda

É nesta luta constante
Para endireitar a vida
Que nos parece distante
A alma que foi vendida

Vendida por quase nada
Talvez mesmo oferecida
Que esta vida sem alma

Corre sem norte, sem calma
Corre sem vida, a corrida
Já não corre a desalmada.
De poetaporkedeusker a 9 de Junho de 2013 às 21:11
Alma? À venda?

Alma? Nunca a tive à venda!
Lamento que alguém julgasse
Que eu entrasse na "contenda"
Ou nisso, sequer, pensasse

Pois, por nisso nem pensar,
Talvez, mesmo sem dinheiro,
Tenha força pr`a lutar
Neste instante derradeiro

Em que só rimas "menores"
Penso vir a publicar
Em quaisquer computadores

Pois não mais volto a escrever
- e nem penso em recuar! -
Sobre um suporte qualquer...


Maria João


Poeta, vou publicar, ainda hoje, se a ligação mo permitir, aquele que será, muito provavelmente, o meu último poema publicado. Considero publicado tudo o que seja posto à disposição da leitura de qualquer pessoa e é a isso mesmo que me refiro. Não me sinto nada à vontade com a falta de privacidade que sei existir ao nível das minhas caixas de correio e até dos próprios ficheiros em word. Como tenho excelentes razões para confiar em mim mesma, nem sequer tenciono insistir nesta palermice de "fazer de conta" que está tudo "normal". A obra que por aqui deixo é de grande qualidade poética, sei-o muitíssimo bem... mas acaba hoje. O próximo será o meu último soneto online... ou offline.
Volto a manuscrever os meus poemas "de gaveta" que serão entregues a alguém que poderá, ou não, arranjar forma de os fazer publicar um dia.
Virei até cá, deixar os meus sonetilhos-resposta, enquanto lhe aprouver deixar os seus neste meu blog.


Abraço grande, pedindo desculpa do que a si lhe possa dizer respeito... mas é uma decisão que eu entendo perfeitamente pertinente, dadas as circunstâncias... e eu não sou mulher de voltar atrás nas minhas decisões. Até porque só faço escolhas importantes depois de as circunstâncias me terem levado ao limite da minha paciência que, garanto, tem sido muitíssimo "elástica"...



De poetazarolho a 8 de Junho de 2013 às 22:32
Kovak atravessa a ponte.
De poetaporkedeusker a 8 de Junho de 2013 às 23:00
Poeta, a minha ligação está estranhíssima... há demasiadas pessoas a enviarem mensagens de "teste"... e nem sequer consigo abrir o meu correio do Gmail... penso que vou deixar a visita à Ponte para amanhã.

Abraço!

Também há novidades menos agradáveis com o meu anti vírus que está para aqui "engasgado" com uns Trojan Horses... estou a ver se entendo alguma coisa desta baralhada toda!

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. CONVERSANDO COM JOSÉ SARA...

. A ARCA DE FERRO

. PORQUE O CÉU NÃO TEM LIMI...

. NEM VIVA, NEM MORTA...

. "UPSIDE DOWN"

. SONETO BÁRBARO

. MEMÓRIAS DE INFÂNCIA

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds