.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2013

AUTO RETRATO CARNAVALESCO... OU QUASE...

Magriça, olhar tranquilo, um dente em falta,

Loquaz no gesto largo e comedido

É, qual gato de rua em chão perdido,

Que age as mui raras vezes que s`exalta...

 

Porém nunca ofensivo dela salta

Insulto qu`anteceda um desmentido

Por falta de razão, por sem sentido,

"Tramar", à revelia, alguém "da malta"...

 

Assim se viu num dia em que acordou

Disposta a confessar-se e lhe faltou

Suporte digital em que o fizesse

 

E desta folha branca se apossou

Lavrando nela os versos que encontrou

Pr`a descrever-se em tom que lhe aprouvesse...

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa - 11.02.2013 - 12.21h

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 13:43
link do post | "poete" também! | favorito
|
48 comentários:
De jabeiteslp a 14 de Fevereiro de 2013 às 14:02

À pintora Poeta
Uma flor em tanta cor
De assim partilhar com tanto amor...



até pensei que estivesses mesmo doente
acamada...

beijinhos Maria João
uma feliz tarde ensoleirada
De poetaporkedeusker a 14 de Fevereiro de 2013 às 15:55
Estou mesmo doente, Anjo... para ir à cama e ficar por lá, era preciso que o Kico , o Sigmund e o Garfield a prendessem a tratar de mim, eheheheh... a levar-me um cházinho e umas bolachas, pelo menos ... e não o contrário... eu, esteja como esteja, tenho sempre de tratar deles...

Custa-me levar o Kico à rua, não te digo que não... mas também me custa muitíssimo limpar o que ele faça no chão... neste aspecto, é caso para dizer que "o que não tem remédio, remediado está", eheheheh...

Nem queiras saber as condições de trabalho que tenho neste momento... agora o ecrã já mostra uma imagem um pouco mais estável, mas... isto tremia que nem gelatina... e a ligação estava maluquinha de todo...

Feliz tarde para ti, Anjo!
De M.Luísa Adães a 14 de Fevereiro de 2013 às 17:54
Obrigada por apareceres.
Cheguei a Portugal e me constipei de tal forma que nem posso falar.

O frio mata
o calor mata
tudo mata,
do verbo matar!

E não dá para escrever o que se passa com um novo problrma que apareceu!

O Pedro, coitado vai escrevendo e te arrasta a ti e eu não sei quando posso escrever por ali,
porque se o faço deixo "os7degraus" e esse só quando for, conpletamente impossível.

Estou nas mãos de Deus, acima de tudo!

Vou escrever no teu google ou destacar com o google + (mais fácil)

Um beijo e obrigada. Sei que por aí está tudo muito mal - não pergunto!

Mª. Luísa

O teu poema, como sempre, é brilhante!
De poetaporkedeusker a 14 de Fevereiro de 2013 às 22:35
Obrigada, Maria Luísa!

Por aqui, como por aí, não abunda a saúde... mas não deixes o teu blog do Google! Eu não sei mover-me no Google + ... não entendo nada daquilo e não estou com tempo nem tensão arterial que me permita ir tentar aprender, com todo o esforço e desgaste que isso implica... por enquanto, não posso mesmo.

Espero que o problema que agora surgiu não seja grave... eu vou conhecendo bem o quanto vamos estando limitadas por estados de saúde menos favoráveis...

Um grande, grande abraço para ti e para teu marido!
De M.Luísa Adães a 15 de Fevereiro de 2013 às 13:14
Verdade o que dizes..."um pé por cá, outro por lá".

Do google+ e círculos não percebo nada e não posso esforçar-me por isso. Fico como estou...mais longe não.

Eu gostava que não escrevessem mais, por uns tempos, enquanto eu não posso mudar os temas! Não te canses...fica "os7degraus" enquanto for possível, mas para já, todo o resto pára.
Só vão os prémios que eventualmente apareçam!

Mas agradeço muito o esforço e a amizade, mas nada de sacrificios!

Um beijo e vou dando notícias por aqui.

M. Luísa
De poetaporkedeusker a 16 de Fevereiro de 2013 às 16:26
Entendo, Maria Luísa... mas olha que da última vez que transmiti essa tua vontade ao nosso amigo comum, ele respondeu-me; "Os amigos não se abandonam!" (sic)

Também sei, por experiência própria, quão extenuante é tentar manter várias publicações por dia... ao Google+, também não vou... se já o conhecesse bem, ainda tentaria... mas não entendo nada daquilo e sinto que a criatividade começa a ser francamente prejudicada - em termos de qualidade - por estas tentativas infrutíferas de estar "em toda a parte ao mesmo tempo"...

Abraço grande, amiga, para ti e teu marido!
De M.Luísa Adães a 17 de Fevereiro de 2013 às 16:20
Mª. João

Ele não me abandona e eu agradeço, mas este momento é especial e para o ultrapassar tem de se cortar com muitas coisas e por isso, esta minha vontade é de agradecimento e de cuidado, pois não beneficia ninguém e não traduz traição nem abandono.
Olhemos uns pelos outros e tudo é mais fácil e
duradouro.

Eu estou nos "7degraus" e aí , neste momento, é que necessito de meus amigos, pois os outros, se eu não lhes escrevo, me esquecem...e eu não lhes posso escrever como escrevia e não vão entender.

E se ele fosse escrever aos "7degraus" aprender mais nos temas a responder e aí de momento, preciso dele, para tapar a falta de outros que não são, nem de longe, iguais a ele nem a a ti!


Seria muito menos vezes e te dá descanso a ti
e ele aprende mais coisas contigo e descansa mais.
Tenho dito! Estou de novo com uma crise grande que me não dá oportunidade para nada.

Disse e o resto é contigo. Também me interessa teu talento por lá e o resto...termina
por uns tempos ou sempre...

Maria Luísa

p.s. pertence aos Prémios e eu lamento tudo,
mas gostaria de escrever mais uns anos...Isto que fiz agora sei que não posso tornar a fazer!
Sei!!!!!!!

Mª. Luísa

Vê se em breves palavras o fazes entender, onde preciso dele... e é tempo de começar a escrever de uma outra forma, dizendo o mesmo, misturado com os outros.
Também vai aprender a abrir horizontes, me parece.
De poetaporkedeusker a 17 de Fevereiro de 2013 às 21:38
Compreendo perfeitamente, amiga... e lamento muitíssimo que estejas a passar por uma nova crise... estarei continuadamente contigo no Os 7Degraus e percebo muitíssimo bem que te seja difícil manter outros blogs actualizados...

Escreverei umas breves linhas ao nosso amigo comum, está descansada!

Também eu me deparo com outra dificuldade para além das que já tinha pois o velho monitor tem uma imagem que treme tanto que só pontualmente consigo ler as mensagens e comentários que me enviam... há momentos em que vibra de tal maneira que nem as letras maiores, a bold, consigo distinguir...

Um grande abraço e tem cuidado com a tua saúde, é tudo o que te peço! Já sabes que me terás sempre a par das novas publicações no teu blog do Google
De M.Luísa Adães a 18 de Fevereiro de 2013 às 19:25
Será melhor para todos e tu descansas e precisas de não empregar tuas forças e tua arte num local que não pode ter a minha assistência. Eu agradeço muito todo o esforço, mas não interessa de momento o
sacrificio sem glória, nem para mim, nem para ti, nem para nosso querido amigo.

E eu fico em Paz!

Beijos para os dois e abraço para essa bondade,
honestidade e amizade que me tem sido dada!

Foi uma Honra!

Maria Luísa
De poetaporkedeusker a 19 de Fevereiro de 2013 às 11:40
Foi também uma honra e um enorme prazer conhecer-te pessoalmente, ser recebida em tua casa, conhecer a tua poesia, Maria Luísa!

Cheguei agora mesmo do hospital onde fui fazer análises e um ECG. Marcaram-me o ecocardiograma - urgente... - para meados de Setembro... sete meses de espera... enfim...

Estou exausta pois habituei-me a um ritmo diferente... só me costumo deitar pela meia noite ou mais... fui cedo para a cama porque precisava de me levantar às 5h e... estranhamente, quase não dormi... às 4h ainda estava a ler e à espera de que o sono chegasse... o que muito, muito raramente me acontece. Mas, desta vez, aconteceu mesmo e eu estou a fazer "directa"... ou a tentar fazê-la. Também muito estranhamente, não tenho sono... estou exausta e dorida, mas bem desperta. Veremos como me consigo aguentar - ou não... - durante o resto do dia...

Um abraço grande, amiga!
De M.Luísa Adães a 19 de Fevereiro de 2013 às 12:09
7 meses de espera para um ecocardiograma?

Sem comentários!

Maria Luísa
De poetaporkedeusker a 19 de Fevereiro de 2013 às 12:28
... sete meses, te garanto, amiga! Marcaram-no para 19 de Setembro às 10 horas... e porque tinha havido uma desistência... se não fosse essa desistência, teria de esperar mais uns meses...

Beijo grande!
De M.Luísa Adães a 19 de Fevereiro de 2013 às 17:11
"Dá tempo para Amar e tempo para morrer"

diz o poeta, baseado no que conhece da vida.

Aguenta e em caso de necessidade (espero que não) vais às urgências!

E quase acredito que há um dia marcado para morrer e não é alterado, pois os homens não deixam.

Miséria nossa...

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 19 de Fevereiro de 2013 às 18:04
Não quero que te canses mas penso que te devo responder que já lá estive... veio uma amiga buscar-me e lá fui no carro, com ela... as tensões arteriais estavam - e estão... - muito, muito altas... confirmaram os valores por várias vezes, medicaram-me sobre as medicações que já estava a fazer (sem grandes resultados...) mas nem um electrocardiograma me fizerem... ainda não há muito tempo era prática corrente fazer-se um ECG na urgência em casos de hipertensão severa e resistente à medicação... sobretudo no caso de um(a) doente com SAAFs, como eu... desta vez, nada...

Beijo grande e não te canses demasiado, por favor!
De poeta_extase a 14 de Fevereiro de 2013 às 19:47
Preocupou-me as últimas informações que me enviou sobre sua saúde. Quanto ao estro, este permanece impecável.
Belo soneto!
Adílio Belmonte
Belém-PARÁ-BRASIL
De poetaporkedeusker a 14 de Fevereiro de 2013 às 22:43
Obrigada, meu amigo Adílio! Infelizmente as coisas pioraram bastante e fui obrigada a recorrer a uma consulta de urgência hospitalar. A medicação anti-hipertensora, que já tomava, foi aumentada mas sem grandes resultados... no dia 19 voltarei para uns exames e pouco tempo depois terei nova consulta... nada está fácil mas eu só pararei de escrever quando a inspiração ou a vida me abandonarem... o computador também se avariou mas um amigo - o Poeta Zarolho - conseguiu ligar um velho ecrã ao portátil e, embora com uma imagem algo instável, lá vou conseguindo publicar...

O meu grato abraço, meu amigo!
De poetazarolho a 15 de Fevereiro de 2013 às 03:41
Tudo é ritmo na ponte.
De poetaporkedeusker a 15 de Fevereiro de 2013 às 15:22
Vou já, Poeta!
De poetazarolho a 15 de Fevereiro de 2013 às 03:42
Para o Fernando Máximo que assustado com «A morte dos tubarões» me confessou ser um Jaquinzinho.

JAQUINZINHOS DE TODO O MUNDO, UNI-VOS.

Jaquinzinhos bem unidos
Combatei os tubarões
Nunca mais sereis vencidos
Eles são poucos, vós milhões.

Desejam os comilões
Os cardumes divididos
Depois tomam posições
E vós acabais comidos.

Se a vossa frente não mexe
Atacam pl´a retaguarda
E comem-vos de escabeche…

Firmes, de armas na mão
Cozinhai-os com mostarda
Ou com molho de vilão.

Eduardo
De poetaporkedeusker a 15 de Fevereiro de 2013 às 16:01
Ahhhhhhhhhhhhh, que delícia de sonetilho, amigo Eduardo!!!

UNI-VOS TAMBÉM, SARDINHAS!

Vinde também vós, sardinhas,
Juntar-vos ao bom cardume
Contra as causas mais mesquinhas,
Contra a peste deste estrume!

Vinde, secas ou fresquinhas,
Atiçando aceso lume,
Mostrar que não sois fraquinhas
Contra todo este azedume!

Ao manter-vos isoladas
Sereis tão só presas fáceis,
Sereis, pronto, abocanhadas...

Mas, em estando organizadas,
Vossas barbatanas gráceis
São como armas apontadas!!!



Maria João - 15.02.2013 - 15.57h

Juntei-lhe as sardinhas, amigo Eduardo! Aqui vão elas para reforçar as hostes dos jaquinzinhos!
O meu abraço para si e Maria dos Anjos!
De poetazarolho a 15 de Fevereiro de 2013 às 07:29
Chá pobre.
De poetaporkedeusker a 15 de Fevereiro de 2013 às 16:04
Ora bem, Poeta... estamos todos a ficar como o Chá... eu é que já tenho uma muito longa experiência sobre esse novo estado a que todos (quase...) estamos a ser conduzidos...
De *FreeStyle* a 15 de Fevereiro de 2013 às 09:16
O soneto é sublime mas......

Na realidade eu vinha para comer qq coisita, quiçá um soneto sobre culinária hihihihihi. Uma açordinha!!!!!!

Ai Poeta do mê , que me vou embora a parecer um fantasma, cheio de fome!!!!


Bêjuuuuuuuuuuuuu
De poetaporkedeusker a 15 de Fevereiro de 2013 às 16:43
Ahahahah! Ai, Free do mê, que eu recebi um telefonema de uma amiga a dizer que está mesmo a chegar cá e não vou ter tempo de te preparar nem uma açordinha, eheheheh... mas não perdes pela demora que eu hei-de voltar e logo te faço um prato qualquer daqueles que tu nunca mais esqueces, eheheheh...


Abraçuuuuuuuuuuuuuu e vai petiscando qualquer coisita enquanto eu estou com estes impedimentos todos!
De Simbologia do aMoR a 15 de Fevereiro de 2013 às 17:31
Bonito soneto e maravilhoso desenho.
Pelo que vejo estás a toda na pintura.

Um abraço.
De poetaporkedeusker a 16 de Fevereiro de 2013 às 15:57
Olá, Vera!

Este desenho-pintura - "Escorço - Grande Pintora a Lápis de Cor", data de 2007, altura em que deixei de pintar por incompatibilidade entre o esforço exigido pelo trabalho e a minha falta de força... sou uma pintora de grandes superfícies... ou médias, pelo menos... a pintura, para mim - e para quase todos os expressionistas... - tem uma componente física muitíssimo importante... tudo isto para te dizer que já não pinto há muito tempo...

Abraço grande!
De poetazarolho a 15 de Fevereiro de 2013 às 21:09
“Secretário do povo”

Franquelim já baralhou
Partiu e deu de novo
Antes na banca trabalhou
Agora trabalha p´ró povo

Ao serviço desta nação
Revela sua idoneidade
Quem lhe chamar ladrão
Não revela honestidade

É nobre a nova função
De novo deve baralhar
E sem ponta de cinismo

Vai promover inovação
Criatividade impulsionar
E até o empreendedorismo.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 16 de Fevereiro de 2013 às 17:02
"Escrava da Poesia"

Poeta, ando tão cansada
Com tão estranha hipertensão,
Que já nem sirvo pr`a nada;
Estou perdida, em dispersão

E, estando tão baralhada
Não tenho concentração
Nem pr`a fazer uma quadra
Ao serviço da Nação...

Fui tentando "empreender"
- isso, ao menos, fica claro! -
Qualquer coisita de jeito,

Mas fiquei sem entender
Porque isto me sai tão "caro"...
Será que estou com defeito?

Maria João


Poeta, foi o que me saiu, eheheheh... e olhe que o que aqui me saiu em verso é mesmo o que estou a sentir perante a minha evidente incapacidade de responder a tudo e de me orientar naquela caixa de correio que mais parece... o... o Big Bang!

De poetazarolho a 15 de Fevereiro de 2013 às 21:29
“Música no parlamento”

Grândola no parlamento
Foi um hino à revolução
É chegado o momento
Do povo dizer que não

Não em tom de lamento
Nem de cravo na mão
Não nos faça de jumento
Todo e qualquer ladrão

Que o povo sem sustento
Vai entrar em convulsão
E os discursos ao vento

De nada vos servirão
Nem o cacete virulento
Das forças de dissuasão.
De poetaporkedeusker a 16 de Fevereiro de 2013 às 18:15
Grândola no Parlamento
E em todo e qualquer lugar
Não soa em tom de lamento;
É voz de um povo a cantar!

Exigência de sustento,
Da forma de o conquistar
Por um qualquer povo isento
E capaz de o declarar

Dos mesmo cravos que Abril
Fez florir nas nossas mãos
Florescem direitos mil

E por eles persistiremos
Pr`a que nunca sejam vãos
Os sonhos que agora temos...


Cá vai, muito a correr, com o meu abraço!

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. NATAIS DOS TEMPOS IDOS...

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. GLOSANDO MARIA DA ENCARNA...

. CONVERSANDO COM O POETA A...

. CHUVA

. CONVERSANDO COM JOSÉ SARA...

. A ARCA DE FERRO

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds