.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Quinta-feira, 24 de Janeiro de 2013

UMA NOVA DOBADOURA PARA OS TEMPOS QUE CORREM

(Em decassílabo heróico)


Dobando o fio da esp´rança que te resta
No fuso de um futuro antecipado,
Desfazes-te em trabalho redobrado
Nas texturas legais que alguém protesta

Já sobre ti caiu, torpe e funesta,
A truculenta mão de aço forjado
Que vai estendendo, agora disfarçado,
O tanto que diz dar mas mal te empresta

Dobando o novo fio, depressa brilha
Mais luz, prenunciando a maravilha
Do esforço que lhe ousaste acrescentar

Que dum chão que venceu tanta batalha
Possa brotar, qual sonho, a viva malha
Que cresça até que as mãos queiram cantar!
 


Maria João Brito de Sousa – 23.01.2013 – 18.01h


IMAGEM - Gouache da autora, aos oito anos
sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 22:07
link do post | "poete" também! | favorito
|
34 comentários:
De jabeiteslp a 24 de Janeiro de 2013 às 23:43

Penso que já não sabem dobar
Os fios...e de lã então...

feliz noite de palavras que tocam, a Beira





De poetaporkedeusker a 25 de Janeiro de 2013 às 12:18
É uma honra para mim que a Beira se sinta tocada por esta minha dobadoura, Anjo.

Um feliz dia para ti. eu estou a fazer um enorme esforço para me aguentar aqui sentada, no meu postozinho de trabalho poético. Tive de ir aos correios, a pé e debaixo duma chuvinha cerrada... levei horas para lá chegar, a encostar-me às paredes molhadas para não cair... estou mesmo toda partida...

Este pormenor de "aldeiazinha" foi pintado por mim quando tinha oito anos... as figuras humanas - se reparares bem são quatro, três mulheres e um homem, esboçados a lápis - nem chegaram a ser pintadas... não faço ideia porquê. Eu costumava acabar sempre os meus desenhos... e era muito rápida na execução
De jabeiteslp a 25 de Janeiro de 2013 às 14:13
e bem conseguida "Aldeiazinha"...

força e coragem no dia a dia
De poetaporkedeusker a 25 de Janeiro de 2013 às 14:19
Eheheheh... era tão "piquinininha"... mas a deformação das casas já era intencional, que eu lembro-me bem.... era para dar a ideia de casas velhinhas e, já nessa altura, para fugir ao naïf das casinhas muito certinhas...

Obrigada, Anjo!
De jabeiteslp a 25 de Janeiro de 2013 às 20:59

belas cores, de tempos...

uma bela noite sossegada
De poetaporkedeusker a 26 de Janeiro de 2013 às 18:11
Ai, Anjo... estou sem tempo... quero dizer, sem tempo para poetar, claro!

Já é outra noite... nem consegui vir ao correio, ontem à noite.

Feliz noite, Anjo!
De jabeiteslp a 26 de Janeiro de 2013 às 23:31
sossegada pra ti
De poetaporkedeusker a 27 de Janeiro de 2013 às 21:06
... e já é outra noite, Anjo... estou a precisar de férias, só te digo...

Feliz noite
De jabeiteslp a 28 de Janeiro de 2013 às 08:08

o frio encolhe-nos...

um belo dia
De poetaporkedeusker a 28 de Janeiro de 2013 às 13:12
O frio é um dos mais eficazes agentes da selecção natural, Anjo, ai, ai... estou tão cheia de roupa que mais pareço uma saca de batatas...

Mas está a brilhar um solzinho jeitoso!

Feliz tarde!
De poeta_extase a 25 de Janeiro de 2013 às 01:36
Amiga,
Sinto os versos deste soneto, os
quais me fazem reflectir sobre a situação política que vive o Brasil _ ensaios e enganação do povo humilde e trabalhador para o enriquecimento de uma classe política que se alia aos poderosos para garantir o poder a todo o custo. Dir-se-ia que aqui a economia vai bem. Sim, está sob controle depois de pagarmos um custo social por mais de quarenta anos. Mas o desenvolvimento social e cultural do nosso povo é bem aquém de zero.
Aqui vivemos os reflexos do que acontece na Venezuela, com sua ditadura camuflada por eleições duvidosas e um sistema eleitoral falido, igualzinho ao nosso, com o voto obrigatório, sem falar no voto dos analfabetos e menores de idade, estes facultativos.
Não perco tempo a usar o meu estro para tecer palavras sobre o actual Governo do Brasil e a este sistema político conservador das elites politicas.

Abraços,
Adílio Belmonte,
Belém-Pará-BRASIL
De poetaporkedeusker a 25 de Janeiro de 2013 às 12:28
Sim, amigo Adílio Belmonte, também me parece que o problema gira em torno de quererem "equilibrar" a economia a expensas do abandono dos grandes pilares sociais.
Quanto à Venezuela, quer-me parecer que o caminho se faz no sentido oposto, o que eu aplaudo.

Obrigada e um abraço!
De poetazarolho a 25 de Janeiro de 2013 às 07:20
Chá humilde.
De poetaporkedeusker a 25 de Janeiro de 2013 às 12:29
Chá humilde, singelo, sem torradas, segundo a minha avó Maria Augusta! Vou vê-lo!
De poetazarolho a 25 de Janeiro de 2013 às 07:21
SONETILHO ANTI-PATRIÓTICO

Os anais da nossa história
Que o chronista alinhavava
Segundo o que el-rei ditava
Eram, só, feitos de glória…

Qualquer exígua vitória
Que o escriba ampliava
Para os anais ficava
Gravada em nossa memória.

Ontem e, hoje ainda mais,
Na epopeia triunfal
Tanto ficou nos anais

Que um olhar independente
Só vê uma história anal,
Com o cheiro correspondente.

Eduardo
De poetaporkedeusker a 25 de Janeiro de 2013 às 12:44
Não pude deixar de me rir com este seu sonetilho, amigo Eduardo! Está muitíssimo bom... e bem visto! É importante que tenhamos uma visão mais científica da História... mais científica e mais humanizada, com uma adequada perspectiva sociológica... olhe, lembrei-me agora do Memorial do Convento em que o nosso Saramago tão bem "desmonta" os anais da História que sempre nos foi impingida...

Não estou em condições de lhe responder com um sonetilho. Cheguei, há bem pouco, daquilo que, para mim, foi uma verdadeira "epopeia"... o meu fisicozito fica-se pelo "heroísmo" de conseguir ir aos correios e voltar... viva, mas agradeço-lhe muito esta sua desmontagem dos empolamentos históricos que os reis impunham aos "escribas".

Abraço grande para si e Maria dos Anjos!
De poetazarolho a 25 de Janeiro de 2013 às 20:26
“Mercados sem povo”

Toquem sinos a rebate
Que já fomos ao mercado
Não preciso de resgate
P’ra comprar o pescado

É a moral deste país
Que precisa ser resgatada
Mas isso ninguém diz
Pois está envenenada

O povo já não interessa
Só interessa a finança
Em catadupas d’informação

Mas depois ninguém peça
Que ao sentir vazia a pança
Não se dê uma explosão.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 26 de Janeiro de 2013 às 17:42
Perdão, Poeta, mas o meu funcionamento online entrou em conflito com a minha disponibilidade física - até com a mais orgânica e primária das disponibilidades físicas... - e com o senhor Tempo... estou que nem sei para onde me vire...

Fomos todos ao "Mercado"!
E depois, no dia a dia,
Mudará o triste fado
Desta nossa economia????

Nestes "jogos de crochet"
Das finanças das elites,
Quem se trama é sempre o Zé
Que está farto de que o cites...

Ser Humano, esse invisível,
Já nem conta nas jogadas
De tanta efabulação

E o pior, o mais terrível,
São as vidas condenadas
Qu`inda nem sabem que o estão!!!


Atrasadíssimo, mas com o maior dos meus abraços, Poeta!




De poetazarolho a 25 de Janeiro de 2013 às 20:29
SEMPRE PODE SER NATAL,
EMBORA NEM SEMPRE CONVENHA

Escuta Menino-Deus:
Se voltares, noutro Natal,
Não nasças em Portugal,
Tampouco, entre os hebreus

Porque, lá, ao pé dos teus
Encontrarás, p´ra teu mal
Um país semi-tribal
Dominado p´los judeus,

Olha, por aqui, então…
Temos um mago Gaspar,
Não dá incenso, ouro, ou mirra

E, se for preciso, tira,
Quando Tu quiseres mamar,
O leite do teu biberão!

Eduardo
De poetaporkedeusker a 26 de Janeiro de 2013 às 18:02
"AMANHÃ" SERÁ NATAL!

Tantos nascem, coitadinhos,
Sem saber que irão passar,
Mesmo não estando sozinhos,
A vida inteira a penar

Porque os pais, os seus paizinhos,
Também terão de pagar,
Aos mercados, mercadinhos,
As invenções do Gaspar...

De todos eles, por igual,
Tenho uma pena sem fim
E há sempre a raiva crescente

De o gritar a toda a gente
Em vez de guardar pr`a mim
Que "amanhã" vai ser Natal!!!


Aqui vai com o meu abraço grande, grande, para si e Maria dos Anjos, amigo Eduardo! Muito obrigada!
De poetazarolho a 25 de Janeiro de 2013 às 20:36
Sensível ponte.
De poetaporkedeusker a 26 de Janeiro de 2013 às 18:04
Vou lá, Poeta!
De poetazarolho a 26 de Janeiro de 2013 às 07:22
Chá ao vento.
De poetaporkedeusker a 26 de Janeiro de 2013 às 18:18
Ahá!!!! Cá está ele!
De poetazarolho a 26 de Janeiro de 2013 às 22:26
“Black Jack”

Vinte são treze mais sete
Black Jack o vinte e um
Sorte não se compromete
Com jogador nenhum

Mas aporta mil ilusões
E faz jogada importante
Para cativar multidões
Há a sorte de principiante

O vício vem a seguir
Por já serem profissionais
Depois é vê-los falir

Por buscar sempre mais
Sorte estaria em desistir
Mas ao azar quedam leais.
De poetaporkedeusker a 27 de Janeiro de 2013 às 20:49
"Hit the road, (black) Jack!"

Deve ser um qualquer jogo
Dos muitos que desconheço
Pois não sei mas vejo logo
Que esse há-de ter alto preço...

Detesto jogos de sorte
- ou de azar, tanto me faz! -
Que me aborreçam de morte,
Que me tornem incapaz,

Me retirem qualidade,
Lucidez, discernimento
Ou poder de decisão!

Eu sou, à minha vontade,
A raiz de um pensamento
Prontinho a dizer que não!


Cá vai, atrasadíssimo e meio pateta, mas vai. Detesto jogos de azar, Poeta... detesto, no que a mim diz respeito e considero-os uma péssima influência para qualquer pessoa que se preze a si própria...

Abraço grande!



De poetazarolho a 26 de Janeiro de 2013 às 22:31
Marinheiros na ponte.
De poetaporkedeusker a 27 de Janeiro de 2013 às 20:55
Estou tão atrasada... agora reparo que esta ainda é a Ponte de ontem

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. A MEDALHA E O DIPLOMA - ...

. INFORMAÇÃO A TODOS OS AMI...

. SONETO A PRETO E BRANCO

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

. O VIGÉSIMO SEXTO DIA

. SÁBADO, DOMINGO, SEGUNDA ...

. MEMÓRIA(S) DO NÁUFRAGO-PE...

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds