.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Quinta-feira, 26 de Janeiro de 2012

SONETO DO "FAIT DIVERS"

 

Sonetos... não me nascem na algibeira,

Não são convenientes, nem se vendem

E quantas vezes não me surpreendem

Na pontaria rápida e certeira...

 

Não temerão, sequer, fazer asneira

- em fazendo-a, porém, não se arrependem...-

E nunca são submissos nem aprendem

Lição  que seja menos verdadeira...

 

Pr`além desta evidência, o que direi

De uns versos  loucos que nem mesmo sei

Metrificar, de tão desalinhados?

 

Inventar que fui eu que os programei,

Ou assumir, de vez, que "poetei"

Sem tempo pr`a perder com mais cuidados?

 

 

 

 

 Maria João Brito de Sousa - 26.01.2012 - 15.05h

 

 

 

Imagem da Feira da Ladra, retirada da internet

 

 

 

Nota - Ao contrário da mensagem que faz passar, este "sonetozeco" surgiu para contrariar uma vaga de falta de inspiração, teve um "parto" distócico e levou bastante tempo a nascer. Bastante mais do que 99% dos restantes...

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 14:49
link do post | "poete" também! | favorito
|
32 comentários:
De poetazarolho a 26 de Janeiro de 2012 às 23:06
“Carnaval social”

Existe um fórum social
Quem diria, não se nota
Um ministro de Portugal
O do Audi era o da mota

Em Porto Alegre há clamores
Dizem a justiça anda mal
Já ribombam os tambores
Prepara-se o Carnaval

Para o tempo dos calores
Será a condizer a rainha
Socialmente nada a opor

Mas já surgiram rumores
Que mostrará a bundinha
Já não há qualquer pudor.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 27 de Janeiro de 2012 às 17:11
Vai ficar a faltar o Carnaval Social, Poeta... e daí...

Pois há-de haver, com certeza,
Por aí, mais Carnaval...
Alguns esquecem a pobreza
Partilhando um "alto-astral"...

Muitos fóruns pode haver
- quarenta ou cinquenta, até! -
Sempre preferi escrever
No sossego de um café...

Com bundinha, ou sem bundinha,
A mim tanto se me dá
Quanto saco há pr`á farinha,

Nem se há rei pr`a tal rainha,
Odalisca para Alá
Ou pinheiro pr`a tal pinha...

Bom fim de semana, Poeta! Isto vai fechar e este sonetilho ficou... olhe, carnavalesco! :)
Não sei exactamente quando poderei voltar à net... vai ser uma semana difícil, para mim. Beijinhos para todos vós!

De poetazarolho a 26 de Janeiro de 2012 às 23:14
“X Troika”

Para que haja quem mate
Tem que haver quem morra
Repicam os sinos a rebate
À espera que a gente corra

Já ninguém está para correr
Numa guerra que é insensata
Sabem que têm que morrer
Pois já chegou quem mata

De olhar vazio e profundo
Ordenaram a mortandade
Que foi alvo de negociação

Com os responsáveis da nação
Que ordenaram a austeridade
Passaporte para outro mundo.
De poetaporkedeusker a 27 de Janeiro de 2012 às 11:43
Não estou, nem nunca estarei,
Lá muito vocacionada
Para "rainha" ou pr`a "rei"
De governos de fachada...

Alguns estarão, quero crer,
Muito mais bem preparados
Pr`ó que possa acontecer
Nestes tempos mal parados...

Quanto a mim, bem consciente
Das minhas limitações,
Mantenho o perfil discreto

De quem não quer, nem consente,
Ver irmãos aos trambolhões
Num desgoverno completo...


Abraço, outra vez! :) Já sabe alguma coisa do 2008? Calculo que não houvesse grande remédio, mas nada percebo da anatomia destas maquinetas...



De poetazarolho a 27 de Janeiro de 2012 às 15:07
O 2008, soube à cerca de 10 minutos, vai levar uma board nova ( a dele queimou ), poderá demorar uma semana, estou à espera da confirmação deste prazo, por isso ainda não tinha transmitido nada. Quando souber mais digo.
De poetaporkedeusker a 30 de Janeiro de 2012 às 16:47
Caramba, Poeta!!! Foi mesmo na motherboard! Mas uma motherboard nova deve ser cara! Ai, que eu só agora descobri este seu comment!
Devo estar com a caixa de correio pior do que imaginava... e estou completamente partida da viagem e de ter andado escada acima, escada abaixo, a marcar exames novos. Tenho medo de um deles, que é invasivo... mas enfim...
A minha coluna também está um desastre e, para conseguir estar aqui, sentada, tenho de elevar a perna esquerda sobre o assento da cadeira. Faço uma triste figura, mas o sentido do dever vai sendo mais forte do que a vergonha de parecer uma velhota maluquinha... e as dores, se eu teimar em manter-me numa posição "normal", também são mais do que muitas. Prefiro parecer uma velhota maluquinha e manter-me nas dores medianas de todo o resto que está avariado :)
Beijinho e até já!
De poetazarolho a 30 de Janeiro de 2012 às 23:52
Não fui eu que disse, limito-me a adaptar aos novos tempos, "não há board que corte a raíz à poesia", muito menos à da Maria João.
De poetaporkedeusker a 31 de Janeiro de 2012 às 14:16
É o que eu digo! Estou ainda pior do que pensava!
Ontem, para evitar duas idas seguidas ao hospital, pedi ao meu médico que me assistisse depois da consulta de urologia. Ele lá me fez o favor, mas eu estava tão cansada, tão cansada, que me esqueci de tudo o que tinha para lhe dizer... e só me lembrei de me ter esquecido depois de sair daqui, ao final da tarde. Não disse que fui obrigada a parar o anti inflamatório que ele me receitou... acho que só falei da tensão arterial que, à noite, me chega aos 22/12 mg/hg e das febrinhas chatas que me vêm, também à noite. Nem me lembrei de pedir o controle do INR, nem nada!
É horrível, isto, Poeta, mas a verdade é que, quando estou muito cansada, me esqueço de tudo.
Até já!
De poetazarolho a 3 de Fevereiro de 2012 às 03:42
O 2088 estava ontem em testes e vai continuar, provavelmente entregarão hoje ou mais tardar 2ª feira, I'll let you know ASAP.
De poetaporkedeusker a 3 de Fevereiro de 2012 às 10:11
:)) É 2008. Não se preocupe. ASAP?
De poetazarolho a 3 de Fevereiro de 2012 às 12:07
As Soon As Possible.
De poetaporkedeusker a 3 de Fevereiro de 2012 às 12:16
:)) Não chegava lá! Garanto que não! Eu bem digo que ando "emburrecida" :))

Beijinho!
De poetazarolho a 26 de Janeiro de 2012 às 23:22
QUEM TORTO NASCE

Pensa que o triste destino
Que tu vês para a nação
Se encetou com um rei menino
Que pôs a mãe na prisão.

Depois, falso peregrino,
Nos mares, p´la imensidão,
Com fervor dito divino
Foi explorar a escravidão.

E a marca destas tendências
Que ficou em seu genoma
Transmitiu-se às descendências.

Mas esta senda, no fundo,
Não tem só nosso idioma…
É falada em todo o mundo!

Eduardo
De poetaporkedeusker a 27 de Janeiro de 2012 às 12:02
Esta humana caminhada
Nunca foi fácil... agora
Parou numa encruzilhada
E já lhe pesa a demora...

Não pode ficar parada
Por muito mais que uma hora
E a escolha está carregada
Desses fantasmas de outrora...

Inda eu não era nascida,
Vimos a Besta a crescer
Nesta Europa dividida

E os padrões que se repetem
Nunca se hão-de dissolver
Com estes que só prometem...

Até já!

De poetaporkedeusker a 27 de Janeiro de 2012 às 12:06
Peço desculpa por não ter tornado esta resposta um pouco mais pessoal... estou a esquecer-me de muitas coisas e uma delas foi o facto de lhe estar a responder a si, amigo Eduardo. O seu Pedro já faz parte deste blog, de tal forma me habituei a estes nossos pequenos diálogos diários :)
Um abraço grande para si e esposa!
De PaperLife a 27 de Janeiro de 2012 às 12:10
Maria :D
Estou bem, e tu? Andas melhor? :)

Quanto ao teu "sonetozeco", como lhe chamas, pode ter demorado a nascer, mas está fantástico!
Eu tiro-lhe o meu chapéu :D (não estou a usar nenhum de momento, mas nem que meta um de propósito :P )
Um soneto como só tu sabes fazer ;)
De poetaporkedeusker a 27 de Janeiro de 2012 às 17:20
Paper!!! Só agora te descobri... não sei que raio de coisa ando eu a fazer na caixa de correio que não vejo nada... ou deixo escapar metade...
Isto vai fechar... está a fechar, amiga! Desejo-te um bom fim de semana! Espero voltar ainda na próxima semana que vai ser "tramadinha" por causa de consultas, exames, etc... beijinho! :)
De poetazarolho a 30 de Janeiro de 2012 às 23:50
“Sultanato”

Venham mais cinco
Resgates que eu pago já
Trabalharei com afinco
Não se preocupe o marajá

Não se preocupe o sultão
Nem as suas concubinas
Pagarei até ao ínfimo tostão
Para ele possuir as meninas

Para o palácio conservar
Alimentar os puro-sangue
Terão a nossa compreensão

Pequeno esforço dum milhão
Não é coisa muito grande
Para o sultanato preservar.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 31 de Janeiro de 2012 às 14:36
Preservá-los... em conserva!
Para que nos servem vivos
Se, por eles, comermos erva
E nos sentirmos cativos?

E os marajás de Ocidente
- que tantos por cá existem... -
Vivendo à custa da gente
E dos pobres que conquistem,

Que falta nos fazem esses?
Nos contos de Sheerazade
São, decerto, ingrediente

Mas se, em verdade, pudesses
Dividir-lhes a vaidade
Pelos mais? Isso é urgente!


Sinto que está péssimo, mas foi o que me "saiu" quando li o seu "Sultanato":)
Beijinho e até já!
De poetazarolho a 30 de Janeiro de 2012 às 23:56
“Ao som da orquestra”

Orquestra continua a tocar
No centro da bela Europa
Sente-se a água a entrar
Mas a orquestra toca e toca

Em redor já ninguém escuta
Ouvem-se gritos d’aflição
Há ratazanas em disputa
Por um lugar de afirmação

Quem pôde o colete vestiu
E um lugar no bote ocupou
Quem não morreu afogado

Viveu um pouco mais e sentiu
Que a gula não compensou
Pois acabou por morrer gelado.
De poetaporkedeusker a 31 de Janeiro de 2012 às 16:17
Nem sei como enfrentar este derrotismo todo, Poeta... se já me queixava de andar a 10 km /h, agora devo andar a 0,1 km /h, mas não sei se essa visão não será a mais correcta, no que respeita a toda a Europa... entrar na onda de optimismo dos liberais, parece-me uma atitude estúpida. Tão estúpida que seria ridícula se não fosse tão trágica. A ver se eu consigo entrar numa linha melódica qualquer...

Se embarcar no salva-vidas
For nossa última escolha,
Estão as coisas decididas
E quem gelar não se molha...

Bem tento fazer humor
Da metáfora deixada
Mas nada será pior
Do que morrer congelada...

Porém.. morrer sem lutar?
Sem tentar até ao fim,
Sem dar o tudo-por-tudo?

E se alguém puder escapar
No dorso de um manatim?
[com tritões já nem me iludo...]


Abraço grande, Poeta!


De ligeirinha a 31 de Janeiro de 2012 às 08:16
Olá querida amiga!
Não tenho vindo aqui, pois como sabes estou confinada á minha cama há 3 semanas, deitada de costas a olhar para o tecto....que sacrificio! Agora vim aqui queria dar-te um beijinho, nõa posso estar aqui muito tempo. sá saio da cama a 20 Fevereiro!!!! Beijinhos minha querida!
De poetaporkedeusker a 31 de Janeiro de 2012 às 15:05
:) Minha Ligeirinha!
Parece que tudo se me avaria ao mesmo tempo! O palerma do telemóvel também ficou com as teclas presas e não tenho conseguido enviar sms a partir dele! Às vezes nem sequer a tecla verde de aceitar chamadas, funciona... penso que já te disse que o 2008 também ficou todo "queimadinho". O Poeta Zarolho veio buscá-lo e foi mesmo a motherboard que se "queimou". Tu é que tens mesmo de manter essa imobilidade... caramba, Ligeirinha! Esta malvada osteoporose - eu também tenho... - é muito traiçoeira! E sabias que o Varfine é muito, muitíssimo, descalcificante? Bem, tu não o tomas, felizmente... esse é um daqueles, muitos, efeitos secundários com que tenho de lidar. Deves estar mortinha de tédio e eu para aqui sem nenhuma coisinha mais espirituosa para te contar... vou ao teu blog!
braço GRANDE!
De M.Luísa Adães a 31 de Janeiro de 2012 às 14:55
Não posso te acompanhar, mas o soneto ou sem ser soneto me encanta como sempre.

Saúde não melhorou. Tenho uma autorização do Médico para voltar a Portugal, mas a
viagem é uma incógnita dificil de ultrapassar,
já me foi dito...coragem M. Luísa...

Para ti, a minha muito granse amizade,

M. Luísa
De poetaporkedeusker a 31 de Janeiro de 2012 às 15:15
Tens razão, amiga! A viagem é mesmo um risco. Só percebi isso no dia em que o Poeta Zarolho fez o favor de me levar à consulta de urgência. Falávamos de ti e eu recordo-me de lhe ter contado que estavas proibida, pelo médico, de andar de carro, por causa da trepidação. Ele lembrou logo que a viagem de avião também podia ser perigosa por causa da turbulência que sempre se faz sentir com maior ou menor intensidade... e tem razão. Esquecemo-nos da turbulência...
Não te preocupes em me acompanhar, amiga! Eu própria não consigo acompanhar o meu ritmo de há uns tempos...
Um enorme abraço e vê se consegues fazer coincidir a viagem com um período em que estejas completamente sem dores. Eu sei que não é fácil, mas não deves esforçar-te minimamente durante as crises dolorosas...
Um enorme abraço e que possas ficar bem muito, muito rapidamente!
De poetazarolho a 1 de Fevereiro de 2012 às 00:01
“Virose”

O ano acaba este ano
E o mês no fim do mês
Mundo acaba outra vez
Até já existe um plano

Faz-se mais uma cimeira
Decreta-se a calamidade
Por manifesta incapacidade
Doença afecta a terra inteira

Impõe-se depois o remédio
Para essa doença debelar
Incapacidade volta a atacar

Vírus já não sente o assédio
Prepara-se para nos minar
Quantos poderão escapar?

Prof Eta
De poetazarolho a 1 de Fevereiro de 2012 às 00:07
“Mar de esperança”

Enquanto corre n’areia
Desabafa com o mar
Futuro melhor anseia
Espuma parece escutar

São pegadas d’esperança
Que se desenham no areal
E cedo veio a mudança
Parecia já tarde afinal

Alcança quem sabe esperar
Os tesouros desta vida
São momentos sem par

Que não vou poder explicar
Tens que fazer a corrida
Para os poderes alcançar.
De poetaporkedeusker a 1 de Fevereiro de 2012 às 12:05
É lindo, o mar que descreve
E a sua praia encantada
Que a onda, ao bater de leve,
Deixa de branco enfeitada...

Mas, pr`a mim, que já mal ando,
Fica de parte a corrida...
Apenas me vou esforçando
Pr`a não perder já a vida,

Pr`a cuidar dos meus "patudos"
Cada noite, cada dia,
Que, afinal, são uns sortudos

E à vida têm direito
Tal e qual como eu teria
Se não fosse este defeito...

Olá, Poeta! Hoje vim com a minha bicheza à flor da pele, pelos vistos... pelo menos deixei-lhos por cá... amanhã é dia de exames, não sei se consigo vir...
Abraço grande!

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. A MEDALHA E O DIPLOMA - ...

. INFORMAÇÃO A TODOS OS AMI...

. SONETO A PRETO E BRANCO

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

. O VIGÉSIMO SEXTO DIA

. SÁBADO, DOMINGO, SEGUNDA ...

. MEMÓRIA(S) DO NÁUFRAGO-PE...

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds