.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Domingo, 1 de Janeiro de 2012

SONETILHO DO SONHO POSSÍVEL

 

Andei por todos os cantos

Redescobrindo horizontes,

Vestindo todos os mantos

Das flores de todos os montes

 

Mergulhei nos rios mais santos,

Rumo à nascente das fontes

Que lhes dão vida, em quebrantos,

Brotando em líquidas pontes

 

Perfeitamente tangíveis,

De aparência cristalina,

De arcadas quase invisíveis,

 

Quase à dimensão divina…

(… fui mãe dos sonhos possíveis

de toda e qualquer menina…)

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 01.01.2012 – 15.07h

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 15:29
link do post | "poete" também! | favorito
|
29 comentários:
De poetazarolho a 1 de Janeiro de 2012 às 19:21
“País dos segredos”

A taxa não é brutal
Brutal seria a falência
Mas já faliu Portugal
Faltou-nos eficiência

Sobrou o compadrio
E o fartar vilanagem
Não termina o desvario
Nem acaba a voragem

É chupar até ao tutano
Este povo adormecido
Pela casa dos segredos

Pelo programa dos gordos
É o cardápio fornecido
Até neste final de ano.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 1 de Janeiro de 2012 às 22:47
Dormentes, amedrontados,
Assustados c`o porvir,
Os portugueses, calados,
Já mal sabem reagir...

Mas só pelo sonho vamos
E a luta é sempre uma estrada
Para o muito que sonhamos,
Quando já não temos nada...

Portugal é o seu povo,
É as suas ambições
E o seu direito a viver

Cada dia como um novo,
Sem recear as traições
Que nos venham do poder!

Poeta, o Kico está a piorar. Não prometo ir levar-lhe já o sonetilho...

Abraço grande!


De poetazarolho a 1 de Janeiro de 2012 às 19:22
Eu sei que sim Maria João, sabê-lo-ão as meninas também ?
De poetaporkedeusker a 1 de Janeiro de 2012 às 20:43
Não sei, Poeta! Cada menina é um mundo - e cada menino também :) - que cresce e ganha a sua autonomia emocional... mas todas as meninas nascem com esse potencial de sonho que as circunstâncias da vida poderão, ou não, vir a roubar-lhes.
Antes de lhe responder, fiz uma pequena emenda no último verso da última estrofe. Continuo com esta mania de publicar quase em cima da hora, sem fazer uma revisão distanciada no tempo, como tanto vou "pregando"... bem, só "preguei" uma vez ou duas, mas preguei. O pior é que já o deixei publicado em variadíssimas páginas comunitárias do Facebook... não havia erro métrico, mas havia a tal falta de "burilamento" que podemos e devemos evitar quando escrevemos publicamente...
Poeta, vou ter de ir dar de jantar ao Kico e, depois, vou passeá-lo. É um passeio curto porque ele é muito cardíaco e cansa-se em meia dúzia de metros, mas tem de ser.
Depois verei se estou capaz de lhe responder em rima. Esta noite, quase sem dormir, não é o mais recomendável dos condimentos poéticos... mas tento sempre!
Até já e um abraço grande! :)
De poetazarolho a 1 de Janeiro de 2012 às 19:27
“2012 com alma”

Dificuldade na oportunidade
É o que nos diz o pessimista
Oportunidade na dificuldade
Diz por sua vez o optimista

“Esta Europa vai salvar-se”
Diz-nos Mestre Nadir Afonso
Um optimista a expressar-se
E o discurso não é insosso

É um discurso com muito sal
Serão as lágrimas de Portugal
Do grande mestre da poesia

Que com optimismo nos dizia
Sempre tudo valerá a pena
Porque a alma não é pequena.
De poetaporkedeusker a 1 de Janeiro de 2012 às 22:26
Penso não ser pessimista
Nem optimista demais
Pois, por mais que o sonho insista,
Vejo as coisas bem reais,

Coisas que vão castigando
Este povo português
Que não está mais aguentando
Tais golpes, sem mais porquês...

Tenho a esperança que é possível!
Quando podemos sonhar,
Sonhando reconstruímos

Muito pr`além do que é crível
E, em podendo acreditar,
É certo que o conseguimos!


Poeta, não me foi possível aceder à net depois de voltar com o Kico. Tem estado completamente inacessível e estive tempos infinitos a tentar abrir esta página. Peço desculpa.

Até já!



De Isabel Maia Jácome a 2 de Janeiro de 2012 às 01:38
Espero que a saúde se restabeleça de forma a sentir as forças necessárias para CONTINUAR!
Um beijinho de bom 2012!
Isabel
De poetaporkedeusker a 2 de Janeiro de 2012 às 21:44
:D Obrigada, Isabel! Um grande beijinho, também para si!
De poetazarolho a 2 de Janeiro de 2012 às 22:25
“Trabalhar”

Está radiante a senhora
Com sua camisa dourada
A mensagem promissora
Com atenção foi escutada

Mensagem de ano novo
Dificuldades prometeu
Vocês meu querido povo
Trabalhem e terão o céu

Olhem o trabalho liberta
Devem trabalhar a dobrar
Quando a austeridade aperta

Gastem o tempo a trabalhar
Acreditem é a receita certa
Pois não têm mais que gastar.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 3 de Janeiro de 2012 às 00:03
O ser-se trabalhador,
Não quer dizer ser servil
E eu sempre fui dessa cor
Que veste os cravos de Abril!

O trabalho é um direito
Mas, se não remunerado,
É escravidão! Não aceito
Esse trabalho forçado!

Especulações, conjecturas,
Joguinhos do capital
E dessas suas loucuras

Que nos negam, afinal,
E nos trazem horas duras
Que nos fazem tanto mal!


Abraço grande, Poeta! :)
De poetazarolho a 2 de Janeiro de 2012 às 22:28
“Bife à Trindade”

Toda a gente é pessoa
Pessoa é toda a gente
Lá no chiado em Lisboa
Que na Brazileira se sente

Vem odor genuíno a café
Lembra tertúlias de outrora
Que outrora agora já não é
É correria ensurdecedora

Sinais de tempos atípicos
De uma cultura levíssima
Poesia são pratos típicos

E em abono da verdade
Prefiro uns metros acima
Comer um bife à Trindade.
De poetaporkedeusker a 3 de Janeiro de 2012 às 00:24
Acho que nunca provei
Uma iguaria que tal...
Mas já comi - e gostei! -
Um bife tradicional...

Mas, se pudesse, garanto
Que só comeria soja
E vegetais... no entanto
Nem sempre os tenho na loja...

Dessas tertúlias de antanho
Nunca mais me hei-de esquecer!
Em boa verdade tenho

Muito com que me entreter
Embora pareça estranho
Nunca ter tempo pr`a ler...

:) Até já, Poeta!
De M.Luísa Adães a 3 de Janeiro de 2012 às 18:13
Parabéns por teres sido Mãe

Dos sonhos possíveis
E dos sonhos impossíveis...

Belo!...

p.s.escrevi um pouco no Prémios...não o meu estilo, mas o estilo de todos os poetas, pobres e ricos em PALAVRAS....
De poetaporkedeusker a 3 de Janeiro de 2012 às 21:34
Obrigada, Maria Luísa! Confesso-te que já me via aflita para encontrar os últimos sonetilhos do nosso amigo comum... mas vou já até lá!
De poetazarolho a 3 de Janeiro de 2012 às 21:50
“Respeitem o Zé”

Economista proeminente
Vê uma situação explosiva
Está preocupado c’a gente
E com um país à deriva

Por acaso até é presidente
Aqui deste grupo de malta
Fez muito aviso premente
Explosividade está em alta

Tudo o resto está em baixa
E tanto mais o rabo aparece
Quanto mais a gente se agacha

Melhor será cagar em pé
Mais esta gente não merece
A ver se assim respeitam o Zé.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 3 de Janeiro de 2012 às 22:47
Já ninguém respeita o Zé...
Mas alguns podem temer
Que ele possa erguer-se e, de pé,
Faça o que deve fazer...

Está tudo muito explosivo,
Tudo muito inconsistente...
Talvez por esse motivo
Ande perdida esta gente...

Estou a escrever um poema
Enquanto na Rádio toca
Um programa dedicado

À poesia... o problema
É que a atenção se me foca
Aqui... e no outro lado!

:) Até já, Poeta! Hoje é dia do programa de rádio do Horizontes da Poesia... não está a ser fácil escrever com os sentidos "repartidos" desta forma... abraço gde!

De poetazarolho a 3 de Janeiro de 2012 às 23:10
Está muito bem repartido, parabéns!
De poetaporkedeusker a 5 de Janeiro de 2012 às 01:05
:) Mas atrapalha... fica-se com uma rima no ouvido e, depois, é difícil conseguir criar para acertar com outra que nada tem a ver em termos de sonoridade.
Bjo!
De poetazarolho a 3 de Janeiro de 2012 às 21:55
“Ajustar as velas”

Há um tempo na nossa vida
Queremos o vento mudar
Pela razão que nos é devida
Ou assim chegamos a pensar

Mas a razão não nos pertence
Aprendemos a viver o momento
Mesmo se a vida não nos vence
Ensina-nos a entender o vento

A não esperar a sua mudança
A abrigarmo-nos numa enseada
A apreciarmos as coisas belas

Quando navegamos na bonança
E que a tempestade é ultrapassada
Tão somente ajustando as velas.
De poetaporkedeusker a 3 de Janeiro de 2012 às 23:10
Há lá vela que se ajuste
A uma injustiça destas?
Até já há quem se assuste
E nem sequer vá às festas...

Nem às festas, nem a nada
Que há gente com muito medo
E outra está muito assustada
Sem saber se é tarde ou cedo

Para a situação mudar
E pr`á justiça, roubada,
Poder, de novo, voltar!

As velas hão-de ajustar-se
Depois da maré mudada...
Agora há é que lutar-se!

Abraço grande, Poeta!
Ando a saltitar entre a rádio e o blog... e as coisas ainda não estão nada bem comigo... nem com o pobre do Kico...

De poetazarolho a 3 de Janeiro de 2012 às 23:12
Já sabe se precisar disponha.
De poetaporkedeusker a 4 de Janeiro de 2012 às 00:12
Obrigada, Poeta! Agora tenho consulta no dia 10, em Medicina Interna, mas é aquela consulta a que vou sempre, todos os meses... mas não me parece que o Kico vá durar até lá... as coisas estão muito mal com ele, coitadinho.
Beijinho!
De poetazarolho a 4 de Janeiro de 2012 às 23:01
“Liquidação total”

Governo deste nosso Portugal
Galinha dos ovos d’ouro mata
Para princípio não está mal
Bicho já nem põe ovos de prata

Os últimos ovos foram de lata
Pr’á Suíça o dinheiro desanda
E a partir duma certa data
Pagar impostos é na Holanda

Para termos um final feliz
Vamos recorrer à emigração
Palop’s e Brasil são uma opção

Quem ficará neste pobre país?
Os governantes por dedicação
E os gestores de liquidação.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 5 de Janeiro de 2012 às 00:29
A "penosa" de ovos d`ouro
Que só põe ovos de lata
É uma imagem de "estouro"!!!
Poeta, fico-lhe grata

Porque ri até mais não
E, apesar de doente,
Deu-me nova inspiração!
(esperemos que ela se aguente...)

De "brandos costumes" sou,
Portuguesa - entre outros tantos -
De "antes quebrar que torcer"

E, lá pr`a fora, não vou
Nem vou desfazer-me em prantos
Perante quem não me entender!

Abraço grande, Poeta! Olhe que me ri mesmo muito com a galinha dos ovos de lata! Acho que sou um bocadinho esquisita porque, por muito mal que as coisas estejam, tenho sempre uma pontinha de sentido de humor pronta a gargalhar ao mais pequeno motivo...


De poetazarolho a 5 de Janeiro de 2012 às 00:34
Ainda estou a rir com a sua resposta.

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. A MEDALHA E O DIPLOMA - ...

. INFORMAÇÃO A TODOS OS AMI...

. SONETO A PRETO E BRANCO

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

. O VIGÉSIMO SEXTO DIA

. SÁBADO, DOMINGO, SEGUNDA ...

. MEMÓRIA(S) DO NÁUFRAGO-PE...

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds