.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Quarta-feira, 23 de Março de 2011

CAMINHO DE POETA

Solitário nasceu e há-de morrer

Poeta que é poeta a tempo inteiro!

Bem soube que nasceu para escrever,

Nunca o fez pr`a mostrar-se ou ter dinheiro...

 

Poeta é mesmo assim! O seu dever

Foi ser em plena essência, verdadeiro,

Esquecido de si mesmo ao transcender

Fronteiras deste humano cativeiro…

 

Poeta... este ousou sê-lo e nem par`cer;

Negando o que outros dizem dar prazer

Abraçou, despojado, a fantasia,

 

E deu-se por inteiro. E nem sequer

Hesitou, recuou, parou pr`a ver

Aonde é que o levava a Poesia...

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 22.03.2011 – 18.46h

 

Ao meu avô, António de Sousa. Poeta.

 

 NOTA - Soneto reformulado a 22.10.2015 

 

 

http://www.raizonline.com/radio/    Oiça, esta noite, entre as as 22 e as 24.00h - hora de Portugal Continental - o programa

 

SABOREANDO, de  Joaquim Sustelo

 

 

 

E... que tal umas rifas por uma boa causa?

 

http://www.carolinalucas.com/bazar

 

A pequena Carolina Lucas precisa de garantir a continuidade dos seus tratamentos, em Cuba. Uma boa maneira de colaborarmos será visitar o link do seu BAZAR e comprar umas rifas... vamos a isso?

 

 

 

... e, a seguir, oiça o OUVINDO A MAGDA no http://www.raizonline.com/radio/

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 11:41
link do post | "poete" também! | favorito
|
31 comentários:
De Ivete a 23 de Março de 2011 às 20:15
Apesar da simplicidade da minha poesia, identifiquei-me plenamente com as palavras poéticas aqui deixadas. Levei-as comigo, no meu Favoritos. Espero que não se importe.
Um abraço
De Vítor a 23 de Março de 2011 às 23:04
Poeta Maria João,a sua poesia soa como um trovão,seguida da maravilha de um clarão,que nos ilumina o coração.

Bj*
De poetaporkedeusker a 24 de Março de 2011 às 12:19
:) Olá, Vítor! Muito obrigada... não tenho tido nem um bocadinho de tempo para ir, sequer, ao meu Pekenasutopias... também não o tenho visitado a si, lá do outro lado... terá de me desculpar pois estou cada vez mais cansada e cada vez arranjo mais coisas para fazer...
Abraço gde!
De poetaporkedeusker a 24 de Março de 2011 às 12:16
Olá, Ivete. Seja bem-vinda e não se coíba de levar seja o que for de que possa gostar. Eu fico muito contente quando me levam poemas, desde que os identifiquem, claro... mas não é o caso dos favoritos que ficam automaticamente identificados. Muito obrigada pela sua visita, pelas suas palavras e por ter gostado deste soneto.
Um abraço!
De M.Luísa Adães a 24 de Março de 2011 às 15:35
lindo, Mª. João

Comovente e linda esta forma de dizer :

"Poeta. dá-se inteiro e nada quer
De um caminho que o leva onde ele puder
E onde o quiser levar a Poesia!"

É assim mesmo, dessa maneira!

Parabéns,

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 24 de Março de 2011 às 15:54
:) Obrigada, Maria Luísa... mas o que é que tu estás a fazer ao computador, a escrever? Deverias estar a repousar... tens mesmo de repousar até essas vértebras deixarem de te doer!
Vá... eu sei que não estou aqui para dar conselhos, mas tem de ser e tu sabes bem que sim. Repousa amiga e deixa estar que eu cá vou publicando os meus sonetos e corrigindo também, quando tenho tempo para isso e a consciência de poeta me vem dar uns abanões para eu ir ver os erros que fui cometendo... e são imensos! Tenho aqui, na pen, um soneto que foi praticamente reconstruído a partir do "esqueleto" inicial que tinha imensos erros de métrica... não sei onde ele anda porque, de vez em quando, acontece-me mudar o título aos poemas, no momento em que os publico... e estou cansada... tão cansada que durmo muito mais do que as seis ou sete horas habituais...
Abraço grande... e tem cuidado contigo!
De ligeirinha a 24 de Março de 2011 às 22:17
Lindo!
Alma transbordante de sentimento!
Como estás querida amiga?
Tenho saudades tuas! Bjs
De poetaporkedeusker a 28 de Março de 2011 às 16:30
Olá, Ligeirinha! Vim agora mesmo do hospital, de uma consulta de Medicina Interna, e não estou grande coisa... mesmo que não estivesse mal de todo, ficaria furiosa porque o programa que está no computador daquela consulta, está mal feito e tem falhas... o médico perdeu imenso tempo a tentar minimizar os erros, mas acabou por ter de passar os despachos à mão, assinados à frente... e adivinha... as farmácias não podem aceitar! O antibiótico que deveria tomar ainda hoje, vai ficar para quando eu puder ir ao centro de saúde e resolver outros erros que também há por lá... olha, desculpa, mas foste a primeira que eu apanhei para os desabafos...
Agora fica um abraço dos grandes! Beijinho!
De ligeirinha a 28 de Março de 2011 às 17:57
Já estava tão preocupada!!! Mas afinal estás sem tomar o remédio....
E como te sentes?
Beijinhos grandes!
De poetaporkedeusker a 29 de Março de 2011 às 10:48
Sinto-me mal, Ligeirinha... estou mais mole do que manteiga no Verão e quase não me consigo mexer, mas vou hoje ao centro de saúde. Já percebi que é essencial que tome o antibiótico... o médico fez muitas "caretas" quando me auscultou. Também há um fundo alérgico nisto tudo... tenho um prurido atroz no interior dos ouvidos e por toda a cara, os eosinófilos estão" desembestados" e eu estou que não me aguento. Esta tarde vou, sem falta, podes estar descansada... desculpa nem ter tido tempo para te visitar ontem... tenho tudo tão atrasado e não tenho conseguido trabalhar nada de jeito. Hoje vou ao Ligeirinha!
Beijinho!
De artesaoocioso a 26 de Março de 2011 às 00:00
Cara amiga,
Este soneto fez-me lembrar o Pessoa.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Cara amiga, <BR>Este soneto fez-me lembrar o Pessoa. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Talvês</A> esteja errado, mas foi isso que me pareceu. <BR>Um grande braço
De poetaporkedeusker a 28 de Março de 2011 às 16:34
Como está, meu amigo Artesão? Quando fiz este soneto, ocorreu-me pensar em mim e no meu avô, mas não está errado não senhor. Pessoa também era um poeta que se poderia rever neste sonetozito...e a grande maioria dos grandes poetas, pode acreditar, também o aceitariam...
Um abraço!
De artesaoocioso a 29 de Março de 2011 às 23:29
Cara amiga,
Não tenho dúvidas quanto ao que afirma.
Pela parte que me toca, a minha cervical está raivosa e tenho grande dificuldade em sentar-me ao computador.
Vou faz uma TAC à coluna. Veremos.
Um abraço
De poetaporkedeusker a 30 de Março de 2011 às 12:34
Estou como o meu amigo Artesão; a ver vamos! O meu estado de saúde agravou-se por uma agudização do problema crónico e complicou-se, mais ainda, por uma infecção respiratória que veio sem ser convidada :) Mal consegui vir até cá e nem um único soneto me nasceu desde que a febre subiu... mas estou a tentar acreditar que isto melhora! Esperemos ambos que sim, que seja apenas mais um daqueles momentos menos bons e passageiros! A minha coluna também me anda a "mordiscar" a zona lombar, mas estava tudo tão mauzinho que eu achei que já nem valia a pena falar disso ao médico... de qualquer forma, o único analgésico que posso tomar, com a Varfarina, é o Paracetamol - Benuron.
As suas melhoras, meu amigo. Desejo-lhas tanto como a mim mesma.
Abraço grande!
De ligeirinha a 31 de Março de 2011 às 16:13
E o antibiotico não te está a fazer efeito?
As melhoras!
Beijinhos!
De poetaporkedeusker a 31 de Março de 2011 às 16:20
Não, Ligeirinha... por enquanto não noto nada... estou é cada vez mais "presa" no andar e, hoje, lá fiz um poema... foi para o Liberdades porque é dos daquela linha. Está muito pouco musical, muito áspero... mas foi o que me nasceu cá do fundo...
Caramba! Que cara tão zangada... agora é que reparei!
Olha que eu já estou malzita que chegue... ;))
De artesaoocioso a 1 de Abril de 2011 às 23:00
Cara amiga,
Podemos fazer um voto conjunto: melhoras para os dois.
De poetaporkedeusker a 4 de Abril de 2011 às 11:51
É isso mesmo, meu caro Artesão. Ontem, com aquele frio todo, cheguei a piorar bastante e o antibiótico já está no fim... bem precisamos que os nossos organismos se rebelem e comecem a dar conta das maleitas. Hoje, a dor de cabeça é "daquelas", mas ainda tenho um soneto "brincalhão" para publicar. Sempre é uma forma de contrariar a dor de cabeça. e a falta de força física.. eu continuo a acreditar que o riso é um dos melhores medicamentos para todas e mais algumas indisposições. Nem sempre conseguimos aquele mínimo de saúde que um sorriso nos pede mas, quando o conseguimos, é de aproveitar!
Abraço grande!
De artesaoocioso a 4 de Abril de 2011 às 22:16
Cara amiga,
Não sei o que passa comigo, ando com uma grande fadiga.
Não consigo escrever.
Talvez venham melhores dias.
Um abraço
De poetaporkedeusker a 5 de Abril de 2011 às 10:56
É natural, Artesão. O mesmo me aconteceu e, de forma menos acentuada agora, com o antibiótico, ainda está a acontecer... as doenças, sobretudo nos seus períodos de agudização, não nos diminuem só fisicamente. Eu costumo dizer que sinto que a inteligência me "encolheu" :) Brincar com as coisas menos boas que me acontecem foi e será sempre, para mim, uma excelente forma de as ultrapassar e, também para mim, usar o sentido de humor e fazer metáforas destas, é a mais divertida das brincadeiras. Nós somos o produto de qualquer coisa que ainda não conhecemos e um número infindável de reacções químicas... quando adoecemos, essas reacções, ou o produto delas, desequilibra-se e tudo, em nós, funciona menos bem. Mas já está cansado de saber isto, não sei porque lho estou a repetir... espero que melhore rapidamente e que possamos voltar a dialogar na blogosfera. Desejo muito sinceramente que possa ainda escrever muitos e bons posts!
Enorme abraço!
De r-de-rir a 28 de Março de 2011 às 17:41
Poeta é mesmo assim!
Abraço
De Isabel Maia Jácome a 28 de Março de 2011 às 19:07
é, minha querida Maria João... "ser poeta dói!"... dói pelo que se escreve, pelo que não se escreve, pelo que se consegue enão consegue, por essa solidão que, memso escolhida, não deixa de a ser...
..."ser poeta dói" mas também enaltece e transporta o que o é a momento de prazer e de comunhão com o aparentemente indiscritível...
..."ser poeta dói"... mas vale a pena!
Não é assim Poeta??????
Beijo de saudades e perdoe a ausência.
Sempre,
Isabel
De poetaporkedeusker a 29 de Março de 2011 às 10:54
É sim, Isabel!Eu sinto que vale a pena, muito embora hoje esteja mais ou menos incapaz de poetar seja o que for :) Mas vale a pena! Numa agudização de uma patologia crónica, está-se faça-se o que se fizer e eu espero, em breve, poder voltar àquele mínimo de saúde que me permitia ir escrevendo os meus sonetos. De maneira nenhuma acredito que me vá ficar por aqui! Isto, com o antibiótico, os antialérgicos e uns dias de repouso, vai desaparecer e deixar-me como nova! :)) Vai pois!
Abraço grande, grande!
De M.Luísa Adães a 31 de Março de 2011 às 16:20
Eu já respondi há um tempo a este poema.
Não estou em falta1 Obrigada pelo recado que me deixaste e eu deixei a escrita, por um
tempo.
Fez-se um silêncio ao meu redor e eu senti-me tão só, como se este mundo não fosse o meu mundo.

Sei que estás doente - eu também estou, mas
sinto, enormemente, a tua falta!
Não posso mais!
Fui à consulta de fisioterapia, mas não sei quando começo.
Estive com Pruno e ele me fez alguma companhia.

Sinto muito a tua falta! As melhoras...É sempre cedo, para desaparecer do palco desta
vida.

Beijos da amiga

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 31 de Março de 2011 às 16:26
Caramba, Maria Luísa, a falta é toda minha... mas estava convencida de que ainda estarias em período de repouso... e, olha, estou cada vez mais lenta em tudo e mais alguma coisa! Qualquer dia terei de me levantar às 5 da manhã para conseguir estar aqui às 10h! O tempo que eu demoro só a tomar o meu duche!!! Zango-me comigo mesma, mas não adianta... tudo leva uma eternidade, tudo custa um tremendo esforço físico, por muita vontade que eu tenha - e tenho! - de vir até cá e de voltar aos meus sonetos.
Vou já, já visitar-te! Bjo!
De M.Luísa Adães a 31 de Março de 2011 às 16:49
Eu tenho de ter cuidado com o pc,
não posso estar muito tempo e hoje escrevi um poema à "Dor", mas não poude ainda publicar, a evitar os abusos (e já estou a abusar), mas tinha saudades tuas...

Um beijo,

Mª. luísa
De poetaporkedeusker a 31 de Março de 2011 às 16:52
Não abuses, por favor! Eu, muito provavelmente, também estou mais "empenada" por causa da coluna... ela anda-me a mordiscar há muito tempo...
Abraço grande!
De Simbologia do aMoR a 1 de Abril de 2011 às 01:24
Maria

Lindos versos deste soneto.

Parabéns pela escrita empolgante!

Abraço.
De poetaporkedeusker a 1 de Abril de 2011 às 11:04
Obrigada, Vera :) Estava a ver que nunca mais conseguia escrever um soneto mas, esta manhã, às 9.16h, nasceu-me o "Havia um Mar..."
Vou publicá-lo agora!
Abraço grande!
De Peter a 6 de Abril de 2011 às 10:28
Sim, poeta é solitário em muitos sentidos.Bacio.
De poetaporkedeusker a 6 de Abril de 2011 às 11:55
É mesmo, Peter. Não quer dizer que seja sempre solitário, mas uma boa parte do caminho tem se ser feita a sós com a Poesia. Aqueles com quem cresci, sem excepção, também eram assim...
Bacini!

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. SEM GARANTIAS

. CONVERSANDO COM ALDA PERE...

. DEUSES SOMOS NÓS!

. NATAIS DOS TEMPOS IDOS...

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. GLOSANDO MARIA DA ENCARNA...

. CONVERSANDO COM O POETA A...

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds