.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Quinta-feira, 7 de Outubro de 2010

A VULNERÁVEL

 

 

 

Foi por rumos negados que abraçou

As sobras do que a Vida lhe negava

E quando descobriu que se enganou

Foi só por não saber do que gostava


Mas escolheu contudo e, se o negou,

Decerto terá sido por ser escrava

Do medo que esse rumo lhe apontou

Nos sonhos de luar que então sonhava...

 

Perdeu-se muito cedo e nunca soube

Que pedaço de mundo ali lhe coube,

Que absurda decepção em si crescera

 

Morreu muito mais cedo que o expectável

E, quando recordada, é vulnerável

À expressão mais banal, menos sincera...

 

 

 

Maria João Brito de Sousa - 07.10.2010 - 14.34h


 

Imagem - A Cigana das Sinas - Stuart Carvalhais

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 14:10
link do post | "poete" também! | favorito
|
8 comentários:
De FatimaSoares a 7 de Outubro de 2010 às 17:51
Bonito como sempre minha amiga. É linda e sublime a capacidade com que rimas e fazes magia com as palavras. Um beijinho Maria João as tuas melhoras e tudo de bom amiga.
De poetaporkedeusker a 8 de Outubro de 2010 às 11:30
Olá, Fátima :) Ontem fiquei muito contente pois pareceu-me que as coisas estavam resolvidas! :)
Quanto à minha magia verbal... anda pelas ruas da amargura, amiga! Ando desinspirada de todo, tenho escrito os sonetos em directo, só por escrever, e não me consigo esquecer de que o poetaporkedeusker está infestado de erros tipográficos... e não só. Estou a pensar dedicar uns dias à revisão, até esta crise de "desinspiração" me passar e eu voltar a ter tanta necessidade de poetar como de respirar.
Mas virei sempre até aos comentários... e tentarei fazer umas visitas, pois claro!
Abraço grande!
De Peter a 7 de Outubro de 2010 às 22:51
Ciao, melhor??? Continuar é um óptimo caminho
bacini.
De poetaporkedeusker a 8 de Outubro de 2010 às 11:24
Olá, amigo Peter. Tenho estado a produzir sonetos "de última hora" e, na minha opinião, de muito pouca qualidade... acho que vou ter de admitir que estou mesmo a precisar de umas férias dos sonetos, por muito gratificantes que os vossos comentários sejam. Amigo, e se eu dedicasse uns dias a corrigir os disparates todos que tenho ao longo destes novecentos (+ ou -) sonetos que já publiquei? Eu sei que os poetas são todos (ou quase todos) avessos a essa coisa das "férias da criatividade", mas estes últimos sonetos não têm tido aquele "condimento" da absoluta necessidade... são meros exercícios de estilo, não têm "força" nem magia. Hoje continuo sem ter nenhum, não consegui sequer escrever a história para a Fábrica e ando a sentir-me "roídinha" pelos erros métricos, tipográficos e até ortográficos de que o poetaporkedeusker está infestado. Acho que, por uma vez na vida, vou ser muito sensata e dedicar-me à revisão por uns tempinhos. Afinal, como doente anticoagulada que sou, não tenho uma esperança de vida assim tão grande que me permita "deixar as revisões para mais tarde".
Vou decidir isso ao longo do dia de hoje, Peter! Afinal ter a pretensão de "deixar obra para a posteridade" implica que eu me torne mais responsável pela sua apresentação. Se o sapito não estiver "com os azeites", lá na sala da reedição de posts, deito mãos à obra!
Mille bacini e escusame*

* não sei se é assim que se escreve... :(
De Peter a 8 de Outubro de 2010 às 12:39
Também pode ser mi dispiasce.
Quanto ao comentário, eu que sou menos prolixo em sonetos, posso dar a minha experIência apenas. Para além disso, cada um é o que é, somos todos diferentes.
Páro muita vezes. Umas vezes porque me disperso noutras coisas, outras vezes porque de facto não sai nada. Será o que se diz falta de inspiração.
Quanto a revisões, faço-as muitas vezes e altero palavras ou até decassilabos inteiros., senão quadras.Acontece frequentemente não gostar do que escrevi e modifico ou apago simplesmente. Doutras vezes faço um esquema e faltam-me palavras, então deixo ficar e quando lhe pego mais tarde sai com extrema facilidade. Então altero o que já era para alterar ou mesmo apagar.
Quando ás suas revisões, acho que sim , que se quiser pode ler e melhorar, se for esse o seu entendimento. De resto, a obra é sempre do seu autor é a ele que pertence e como tal deve ser respeitada.
Quanto aos que publico, está agora a imprimir um terceiro livro, esses não quero ler mais, regra geral não gosto deles . Quero esquece-los. Têm muito de mim e isso inibe-me.
Tem outra hipotese que acho melhor, melhora os velhos e escreve novos ao mesmo tempo. O bicho está sempre por perto.
Melhoras e optimismo. Bacio
De poetaporkedeusker a 8 de Outubro de 2010 às 12:48
Mas eu faço tudo com o "coração nas mãos" e esqueço-me, invariavelmente, de fazer as necessárias correcções, Peter. Só quando abro o Poetaporkedeusker "ao calhas" é que descubro que há imensos erros... mas como quero fazer mais do que posso,acabo por nunca ter tempo para fazer reedição de posts... mas desta vez tem de ser! :)
Ciao! Estou atrasada para o almocito!
Bacini!
De linhaseletras a 8 de Outubro de 2010 às 14:12
Boa tarde Maria João.
Nós com o passar dos anos ficamos mais vulneráveis, mais perfeccionistas também ,eu</a> também quando releio os meus trabalhos acho sempre qualquer coisa para corrigir, muitas vezes altero alguma coisa, outras vezes digo para mim mesma que da próxima vai sair melhor.
Um bom fim de semana
De poetaporkedeusker a 8 de Outubro de 2010 às 14:35
É desconfortável ter estas duas facetas tão vincadas, minha amiga; o espontaneísmo e o perfeccionismo! Ficamos mais vulneráveis e mais incapazes de coordenar estas duas qualidades de forma positiva... mas terei mesmo de iniciar um trabalho de revisão que estou farta de prometer e nunca consigo cumprir... é muito mais demorado do que eu pensava, sabe? Tendemos sempre a ler o que quisemos escrever e não aquilo que efectivamente está escrito... outras vezes é uma sílaba métrica a mais ou a menos e, aí, é que é a desgraça! Temos de reformular uma boa parte do poema. E há ainda aquela enorme "gaffe" dos sonetos alexandrinos... nem sei como vou emendar aquilo! Acho que terei de mudar as legendas, as tags e até títulos de posts. Vai ser uma complicação!
Mas há-de ser feito! O poetaporkedeusker é um blog modesto mas tem as suas ambições enquanto veículo da Poesia e da Língua Portuguesa.
Um enorme abraço!

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. SE EU PUDESSE, NÃO PODIA

. A SEREIAZINHA

. CALEIDOSCÓPIO

. DEPOIS DA MARÉ-CHEIA...

. UM MOSQUITO NO COPO DO LE...

. UM MOSQUITO NO COPO DO LE...

. RUGA A RUGA

.arquivos

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds