.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Quarta-feira, 22 de Setembro de 2010

SEI LÁ II

 

Sei lá se posso, ou não, continuar,

Se devo ou nem sequer devo escrever,

Se vale, ou não, a pena `inda teimar

Quando a vontade teima em não nascer...

 

Não sei! Nem sei se posso acreditar

Que amanhã ou depois me vá esquecer

E que a vontade volte a conquistar

Um dom que lhe parece não caber...

 

Perdi-me e não me encontro sem escrever-me

Mas escrever-me não sei sem me encontrar,

Por isso nada sei! Não me perguntem

 

Que estranha coisa está a acontecer-me,

Porquê este soneto a gaguejar

Nas palavras que ainda repercutem...


 

 

Maria João Brito de Sousa - agora, só porque seria perigoso para a minha permanência física não me nascer, sequer, um péssimo soneto.

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 16:12
link do post | "poete" também! | favorito
|
10 comentários:
De Vítor a 22 de Setembro de 2010 às 18:23
Maria João,só tem mesmo é que continuar...o que seria de nós,de mim,sem a ter por perto a nos encher o espirito e a alma com tamanha obra ,só ao alcançe dos predestinados...é o caso...e o caso deste soneto!...e para que continue com força e alegria vá ao "outro lado"encher uma menina de felicidade,e um pai de orgulho pelos vinte e três anos feitos hoje da minha princesa.

Bj*
De poetaporkedeusker a 23 de Setembro de 2010 às 11:19
:) Olá, Vítor. Muito obrigada pelas suas palavras e prometo tentar continuar, mas não me nasceu mais nenhum soneto e os dois poemas que nasceram para o Montanhas e o Liberdades, são mesmo terríveis... estou muito, muito longe do estado de "felicidade apesar de tudo" que me tem caracterizado a obra durante estes últimos três anos... ou quase. Claro que houve momentos menos bons, como com qualquer um de nós acontece durante um percurso literário, mas agora... agora estou amarga e revoltada e como nunca fui de "meias tintas" e fingimentos, isso transparece de modo gritante nos meus poemas. Vá lá... ainda tenho algum "orgulho saudável" na minha transparência... não é mau sinal.
Mas vou mudar de assunto porque não quero aborrecê-lo com as minhas divagações... parabéns pela sua menina! Eu vou já visitá-lo.
Um abraço!
De linhaseletras a 22 de Setembro de 2010 às 22:05
Maria João que desanimo é esse?nunca a vi assim tão em baixo, não deixe que essa angustia leve a "melhor" descanse um pouco e vai ver que ganha forças para continuar.
Já viu que eu continuei a sua história da semana passada? e parece que mais ninguém fez ainda o que a Maria Helena pediu, mas eu deu-me um enorme prazer continuar a sua história, gostava era de saber a sua opinião, para mim é muito importante saber o que a minha amiga pensa daquilo que eu escrevo.
Um grande abraço e as suas melhoras.
Muita força Maria João
De poetaporkedeusker a 23 de Setembro de 2010 às 11:28
Obrigada, minha amiga Idalina! Eu já nem me lembrava da história da Fábrica! Ando mesmo num estado deplorável! Vou vê-la hoje, sem falta e, se conseguir, tentar terminar o trabalho. Tenho a certeza de que nunca me viu assim porque eu nunca me senti assim desde os tempos em que fui casada. Posso ter-me zangado, posso ter utilizado muita ironia em alguns dos meus poemas, mas nunca estive tão "de mãos atadas"como agora... é que só me nascem poemas que são um desastre e mais parecem insultos... sonetos, nem um! Bem, pode ser que ainda me nasça um, como ontem, ao correr das teclas... e dói-me tudo, Idalina. Tenho cólicas, febre, dores de estômago, falta de forças... ontem, um dos senhores que almoçam comigo estava doente e precisou de usar a cadeira de rodas. Por muito que eu tentasse, não consegui, sequer, empurrar-lhe a cadeira!
Até já e um grande abraço!
De Vítor a 23 de Setembro de 2010 às 14:04
Maria joão,não raras vezes nos sentimos injustiçados pelo que a vida nos deu,ou dá,mas tenha sempre presente que há alguém do "outro lado"que por si nutre um especial carinho,por todas as razões e,mais uma,como a dos nos deliciar com tamanha dedicação a sonetos e poesia...uma poeta nunca está só!
...P.S.Continuo a adorar a música de fundo do blogue...inspira-nos!
Tudo de bom,Maria joão,e muito obrigado em nome da minha famíla por partilhar um dia tão especial,como o aniversário da minha filhota.

beijinho de muita amizade
De poetaporkedeusker a 23 de Setembro de 2010 às 16:20
Não tem nada que agradecer, Vítor! Eu é que peço desculpa por me ter ausentado a seguir ao almoço, mas não estava a sentir-me nada bem e tinha que tratar de uns assuntos. Agora não me sinto nada melhor - pelo contrário! - mas quis aproveitar este bocadinho que os senhores das obras do telhado me deram. Parece que aplicaram um produto qualquer que leva uns dias a secar... não imagina a confusão que tem sido ter a casa invadida por pessoas que, embora muito educadas e simpáticas, têm mesmo de fazer barulho, entrar e sair, etc... nos primeiros dias foi muito difícil, mas depois foi sendo cada vez pior... eu nunca pensei que umas obras num telhado pudessem demorar tanto tempo! E a electricidade? Usaram um aparelhómetro qualquer que chegou a fazer disparar o disjuntar do contador da EDP... eu que nem ligo a ventoinha para não gastar energia...
Abraço grande!
De M.Luísa Adães a 23 de Setembro de 2010 às 15:45
Mª. joão

Te desconheço.
Não escreves e te lamentas no que escreves.

Para mim, tudo quanto escreves ou dizes é
poesia!

Não somos sempre iguais e se mudamos, um pouco, ou muito, faz parte da nossa caminhada.
E aceitamos!

Talvez a saúde não esteja bem (tu sabes como é), mas não esqueças a sinceridade dos que
te procuram e te escrevem.

Eu disse e digo, não estar bem, mas isso
esqueceste!...

Maria Luísa
De poetaporkedeusker a 23 de Setembro de 2010 às 16:31
Não, Maria Luísa, não esqueci. Ainda esta manhã pensei muito em ti e na tua coluna. Como estás? Já te sentes um pouco menos dorida? Eu tenho publicado quase milagrosamente algumas coisitas porque quase não tenho vindo ao CJO... quando venho é sempre numa correria e acabei por perder o ritmo aos sonetos... hoje não tenho nenhum e nem sequer me sinto com força para "forçar" um soneto menos bom. Não estou nada bem e as obras, embora hoje estejam paradas, ainda não estão concluídas... além do mais sinto que preciso mesmo de desabafar um pouco. Eu tenho uma capacidade de aceitação quase ilimitada no que me diz respeito a mim e apenas a mim... quando entram outras pessoas na equação, eu já não consigo gerir tão bem as emoções... e também estou fisicamente abalada, sabes? Devo estar com os anticorpos A.N.A. muito altos porque estou sem força nenhuma e ando febril há bastante tempo. Para não falar das costumeiras cólicas e desarranjos que têm andado a fazer-se sentir.
Mas, ao menos tu, estás melhor?
Abraço grande!
De M.Luísa Adães a 23 de Setembro de 2010 às 19:14
Mª. João

Estou um pouco melhor, mas limitada no
meu escrever.
Hoje fui mais longe e coloquei um poema no google, verdadeiro, sem ficção. Se o leres,
sabes como estou.
Sinto a tua falta! Volta com o canto brilhante
de teus sonetos.

Estou a falhar muito nas visitas e vou terminar por hoje.
A vértebra está a morder!

Não esqueças de te tratar, por favor.

M. L.
De poetaporkedeusker a 24 de Setembro de 2010 às 11:21
Ainda bem que estás melhor, amiga! Hoje vou ao Google ver o teu novo poema, mas escrever os sonetos não depende só de mim e hoje não me nasceu nenhum. Nem soneto, nem poesia modernista ou rimando em redondilha... nada! Não digo que não nasça ao longo do dia, mas não trago nada comigo e continuo a não me sentir bem. As dores continuam e o cansaço típico do síndrome, também. O Kico acabou ontem as injecções de cortisona e continua a piorar da dispneia. Tem períodos em que fica mesmo incapaz de inspirar, fazendo ruídos de falso crupe que são uma coisa terrível e nos fazem sofrer muito a ambos... vou ter de ir hoje ao veterinário pedir mais umas injecções do corticóide. Não tenho dinheiro para as pagar, mas ele tem sido uma pessoa fantástica nesse aspecto. O Sigmund também não está muito bem e fartou-se de vomitar esta manhã... parece que adoecemos todos ao mesmo tempo, embora esta fase terminal do Kico dure há meses...
Abraço grande e até já!

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. CONVERSANDO COM ALDA PERE...

. DEUSES SOMOS NÓS!

. NATAIS DOS TEMPOS IDOS...

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. GLOSANDO MARIA DA ENCARNA...

. CONVERSANDO COM O POETA A...

. CHUVA

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds