.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Segunda-feira, 30 de Junho de 2014

SONETO EM ABSOLUTO SOLILÓQUIO

 

(Em decassílabo heróico)

 

 

Não sei o que fazer… se ao verbo informe,

Tomada de paixão, tente moldar,

Se negue a sensação sem a esboçar

E a devolva intacta ao que em mim dorme…

 

A compulsão, porém, tornou-se enorme!

Mais forte do que eu sou, quer-se afirmar

E sinto que não mais se irá vergar

Nem há compensação que, hoje, a conforme

 

Ou que possa anular-lhe esta vontade

De ir esculpindo uma voz que agora invade

O espaço das mil causas emergentes…

 

Se o tempo que passou gerou saudade,

Depressa entenderá que esta verdade

Lhe exige gestações bem mais urgentes…

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 23.06.2014 – 18.18h

 

 

Imagem - Pintura de Álvaro Cunhal retirada da página do Partido Comunista Português

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 15:24
link do post | "poete" também! | ver poetices (35) | favorito
|
Sábado, 21 de Junho de 2014

SONETO DE RÉDEA CURTA

 

(Em decassílabo heróico)

 

 

Sussurro ensimesmado, entristecido,

Ou grito enraivecido e revoltado,

Cada poema emite, ao ser traçado,

Um som que, antes de escrito, é sempre ouvido

 

E, se o poeta o prende, é desmentido,

Tudo o que quis dizer lhe foi roubado

Ao negar-lhe as razões pr`a ser cantado

Que o fizeram nascer livre e sentido…

 

Se afirmo o que afirmei, digo a verdade

Que poderão tomar por má vontade

Contra quem me sugira mote e tema,

 

Porém só sei escrevê-lo em liberdade

E juro que não faço essa maldade;

Arranco a rédea curta ao meu poema!

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 13.02.2014 – 19.30h

 

 

IMAGEM - Amadeo de Souza-Cardoso, Os Cavalos do Sultão

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 16:02
link do post | "poete" também! | ver poetices (24) | favorito
|
Quinta-feira, 19 de Junho de 2014

HAVIA UM MAR II

 

 

 

(Soneto em decassílabo heróico)

 

 

Existe ainda um mar que, em tempo incerto,

Transpondo quanto dique eu lhe impuser,

Me galvaniza e vai, sempre a crescer

Por dentro de mim mesma, a descoberto,

 

Submergindo o que exista lá por perto,

Subindo o que é suposto, em mim, descer

Nessa vaga incontida do meu ser

Que, ao quebrar, se transforma em livro aberto…

 

Mole infinita de ondas e marés

Nas quais, liberta a escrava das galés,

Vaga a vaga, me afundo em vaga alheia

 

De um mar que podes ser, que também és,

Se à praia desces e, molhando os pés,

A espuma ascende em nós, galgando a areia…

 

 

Maria João Brito de Sousa – 01.04.2011- 09.16

 

NOTA DA AUTORA - Soneto em decassílabo heróico, trabalhado a partir do soneto original “Havia um Mar”, in PEQUENAS UTOPIAS -  

CORPOS EDITORA, Maio de 2012.

 

 

 

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 02:53
link do post | "poete" também! | ver poetices (7) | favorito
|
Sábado, 14 de Junho de 2014

UM SONETO "FORA DA LEI"

 

(Em decassílabo heróico)

 

 

Passaram tantos dias, tantos anos

(… a vida é mesmo assim que se desenha,

Não escrevo pr`a chorar-lhe os desenganos…),

Que aqui tento evocar, nesta resenha

 

Do “engenho” que cresceu nos meus “meccanos”,

Das bonecas de loiça ou desta estranha

Memória que, ao passar, não causa danos

Porque, aos danos que fez, esquece e desdenha…

 

Nostálgica… não sou, nunca o serei!

Se evoco, é porque nisto reproduzo

O pouco, o muito pouco qu`inda sei

 

Que vou fazendo enquanto me conduzo

Ao sabor da palavra e contra a “lei”

Que a tantos dobrará, mas que eu recuso…

 

 

Maria João Brito de Sousa – 14.06.2014 – 17.13h

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 20:27
link do post | "poete" também! | ver poetices (24) | favorito
|
Sábado, 7 de Junho de 2014

UM SONETO PARA AGRADECER A TODAS AS PALAVRAS NUNCA DITAS

 

(Em decassílabo heróico)

 

Lá ficam mil palavras por nascer

Neste vê-se-te-avias de uma vida

Onde morre a palavra preterida

Por outra que não quer retroceder,

 

E quem nelas se enreda até morrer,

Quem delas faz preâmbulo e partida,

Agradece à palavra já rendida

As muitas que ela acaba de acolher;

 

Pr`a todas as palavras nunca ditas

Porque outras mais propícias, mais bonitas,

Vieram preencher quanto diriam,

 

Aqui deixo as que agora foram escritas

Pois todas elas devem ser benditas

Quanto à nobre função que exerceriam…

 

 

Maria João Brito de Sousa – 07.06.2014 – 16.18h

 

Imagem - Massacre da Coreia, 1951 - Pablo Picasso

sinto-me :
tags: ,
publicado por poetaporkedeusker às 23:10
link do post | "poete" também! | ver poetices (17) | favorito
|

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. CICLO(S)

. TALVEZ...

. PEQUENA SINFONIA

. MEMÓRIA(S) DO NÁUFRAGO-PE...

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. O MEU PATRONO VISTO POR M...

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

.arquivos

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

. Conversas à Janela durant...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds