.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Quinta-feira, 29 de Setembro de 2011

RAZÕES PARA TODAS AS MÃOS DESTE MUNDO - Sonetilho imperfeito

O mundo, sem ter razão,

Tem tanta que eu já pensei

Render-me à contradição

Deste mundo em que ela é lei...

 

Faltou-me a razão, porém,

A tão estranhas intenções

E às razões que o mundo tem

Só oponho estas razões;

 

Ao nascer de cada dia

Opõe-se o gesto contrário

Que quebra a monotonia

 

E passa o pão que se cria

Das mãos do Poeta-Operário

Pr´ás mãos que alguém lhe estendia

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa - 29.09.2011 - 11.30h

 

 

 

NA FOTOGRAFIA - Manuel Ribeiro de Pavia, 1956

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 15:19
link do post | "poete" também! | favorito
|
Quarta-feira, 28 de Setembro de 2011

PASSATEMPO "LEMBRANDO O ALENTEJO", no Facebook

 

 

ALENTEJO

 

Alentejo das gentes castigadas,

Dos sobreiros reinando nas planuras

E das vozes dolentes, bem timbradas,

Que falam de alegrias, de amarguras…

 

Alentejo das searas espraiadas

Pl`o trigo inacabável das lonjuras,

Das casas pequeninas, bem caiadas,

Onde, à lareira, o povo queima agruras

 

Onde a gente se senta nos poiais

E esse tão-pouco dá-nos muito mais

Do que o melhor que o mundo possa dar;

 

Vontade unida em vozes tão plurais

Faz-nos saber que não será demais

O que homens e mulheres não vão calar

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 04.09.2011 – 15.37h

 

 

SONETO DISTINGUIDO, ENTRE OUTROS POEMAS, NO PASSATEMPO "LEMBRANDO O ALENTEJO"

 

PUBLICADO NO GRUPO "ALENTEJO - SUAS TERRAS - SEU PATRIMÓNIO", NO FACEBOOK

 

 

IMAGEM RETIRADA DA INTERNET

 

 

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 20:32
link do post | "poete" também! | ver poetices (2) | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Setembro de 2011

CHEGAR TARDE DEMAIS À ÍTACA DO COSTUME

 

 

Por Ítaca me fui desencontrando

Da sagrada missão da Poesia...

Se acaso a encontrei, nem nela havia

Tradução pr`á linguagem do meu pranto...

 

Mal Ítaca abordei, vi-me encalhando

Numa praia inventada e já vazia

Que quanto mais negada, mais crescia

Enredando-me toda no seu manto...

 

Se algum farol em Ítaca se erguia,

Se, à porta, me pediram senha ou santo

Pr`á singular viagem que antevia,

 

Não o posso afirmar... e, no entanto,

Em Ítaca eu sonhava e redimia

Cada saudade à luz do desencanto...

 

 

 

Maria João Brito de Sousa - 23.09.2011 - 17.40h

sinto-me :
tags: ,
publicado por poetaporkedeusker às 17:14
link do post | "poete" também! | ver poetices (44) | favorito
|
Domingo, 18 de Setembro de 2011

TEMPO, TEMPO, TEMPO... - Sonetilho

 

 

Corre o Tempo... até parece

Que não tem tempo a perder,

A fugir, como quem esquece

Quanto não deve esquecer,

 

Mas dele, em nós, permanece

Essa vontade de qu`rer

Mudar tudo o que acontece

No que deva acontecer...

 

Quando o Tempo nos oferece

Tão justa razão de ser,

É bom que a gente se apresse

 

Pois todo o povo engrandece

Quando retira o Poder

A quem lho não reconhece

 

 

 

Maria João Brito de Sousa - 18.09.2011 - 15.25h

 

 

Imagem retirada da internet, via Google

 

 

sinto-me :
tags:
publicado por poetaporkedeusker às 14:57
link do post | "poete" também! | ver poetices (32) | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Setembro de 2011

SONETO PARA SAUDAR A MARÉ ALTA

 

Por quanto tempo eu não escrevi, poema,

Teu negro nome neste azul sem mar?

Por quanto tempo, azul, sem te explicar,

Deixei que repousasse a minha pena?

 

Mas, nesta noite, acesa, a lua acena

Ao poema que em mim quis habitar

E redescubro o vértice lunar

Da velha esfera branca, acesa e plena

 

Há restos dessa luz sobre os meus dedos

Na descrição dos íntimos segredos

Dessa alquimia muda e sem origem

 

Que, sem cuidar de dúvidas, nem medos,

Movendo o imenso mar, esconde os rochedos

No momento insondável da vertigem…

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 15.09.2011 – 21.28h 

 

 

 

IMAGEM RETIRADA DA INTERNET, VIA GOOGLE

 

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 21:47
link do post | "poete" também! | ver poetices (33) | favorito
|
Terça-feira, 13 de Setembro de 2011

AMIZADE

  

A amizade não morre facilmente!

Talvez não morra nunca e permaneça

Num canteiro qualquer escavado à pressa

Pelas mãos incansáveis da semente…

 

Talvez o vento passe e não lamente,

Talvez a terra inteira até a esqueça…

Mas, dela, sobrará uma promessa

Que a torna intemporal e transcendente

 

Se ela existiu, então não terá fim

Pois ficará latente no jardim

Onde alguém a plantou em tempos idos

 

E se alguém me disser: – Não é assim!

Responderei: - Não falo só por mim…

Falo por quantos nunca são esquecidos!

 


 

 

Maria João Brito de Sousa – 13.09.2011 – 16.00h

 

 

FOTO - Eu e a Nice na varanda da casa do Dafundo, 1954

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 16:22
link do post | "poete" também! | ver poetices (28) | favorito
|
Domingo, 11 de Setembro de 2011

A PAZ CONQUISTA-SE

Se ontem foi “dia-sorriso”,

Seja hoje o “dia-luta”

E a qualquer filho da puta

Que me julgue sem juízo

 

Dir-lhe-ei que o que é preciso,

Quando faltam sopa e fruta,

É tomar rédea à labuta

Colmatando o prejuízo!

 

Ó gentes da minha terra

Que ergueis os cravos da guerra

Aos senhores do capital,

 

A paz vem-vos da conquista

E todo o que niso invista,

não cede a bem… nem a mal!

 

 

Maria João Brito de Sousa -11.09.2011 -16.52h

sinto-me :
tags: ,
publicado por poetaporkedeusker às 16:52
link do post | "poete" também! | ver poetices (12) | favorito
|
Quarta-feira, 7 de Setembro de 2011

À LUZ DAS VELAS - sonetilho

Amigo, este nosso medo

É pão servido nas mesas

Dessas humanas fraquezas

A que eu sei que já não cedo!

 

Não cobiço o teu segredo;

Desfraldei velas acesas

Na mira de outras riquezas

Que durem mais do que um credo…

 

(lá fora é noite cerrada

e aqui, de luz apagada,

só vejo o que eu quero ver,

 

se me esqueço de acender

esta vela, tão queimada,

que pouco ilumina… ou nada!)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 07.09.2011 – 18.54h

 

 

 

 

 

sinto-me :
tags:
publicado por poetaporkedeusker às 19:03
link do post | "poete" também! | ver poetices (32) | favorito
|

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. SEXTA, DIA 24...

. APEADEIROS

. GLOSANDO ANTERO DE QUENTA...

. GLOSANDO JOÃO DE DEUS

. CORAGEM...

. TODAS AS MINHAS RAIVAS E ...

. CELEBRANDO O SEGUNDO ANIV...

.arquivos

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds