.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Terça-feira, 9 de Março de 2010

CADA VERDADE

 

 

 

 

 

 

 

 

Agora que os milénios se passaram

Sobre as glórias do império de uma infância

Recordo, debruçada na distância,

O muito que esses tempos me ensinaram.

 

O tanto que então lia e pesquisava,

As construções das cores e dos grafismos

E a dissecação dos silogismos

Em que uma maioria acreditava…

 

As coisas que aprendi, as que sonhei,

As que nunca pensei `inda aprender

E os sonhos construídos na vontade…

 

Hoje procuro ainda o que não sei

Nos mais fundos recantos do meu ser

Onde alcanço encontrar cada verdade.

 

 

 

 

 

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 12:00
link do post | "poete" também! | favorito
|
12 comentários:
De Simbologia do aMoR a 9 de Março de 2010 às 16:55
Oi Maria

É sempre importante buscar encontrar no fnco do nosso ser a verdade, seja ela qual for.

Abraço
De poetaporkedeusker a 9 de Março de 2010 às 17:09
Sim, sem dúvida. A verdade é que este soneto é filho único de três ou quatro dias... eu sei que não era muito "normal" produzir tantos sonetos quanto eu produzia, segundo todas as regras métricas, etc, etc... mas já me tinha habituado ao "ritmo" acelerado e agora parece-me um pouco estranho estar assim, desinspirada... mas pronto! Isso é que é mais "normal" ... a ver vamos se o Kico melhora e eu fico mais disponível em termos "energéticos"... isto pode parecer palermice, mas é assim que eu funciono... e tanto quanto me foi dado conhecer de outros poetas e criativos, também...
Abraço GDE!
De Talvez... a 9 de Março de 2010 às 17:07
Hmm... aquele último verso, «Onde alcanço encontrar»... não se repete um bocado?
De poetaporkedeusker a 9 de Março de 2010 às 17:13
Eu já vou ver, Talvez... não, não se repete. É um soneto fraquinho, não tem a força de muitos dos outros, embora esteja formalmente correcto, mas esse "alcanço encontrar" é mesmo para estar onde está. Podemos tentar encontrar sem o conseguir e, nesse caso, não alcançamos encontrar... não será muito comum na linguagem oral do dia a dia, mas é perfeitamente aceitável em poesia.
Abraço!
De Talvez... a 9 de Março de 2010 às 17:20
Então seria com o sentido de «Onde almejo encontrar»?
De poetaporkedeusker a 9 de Março de 2010 às 17:33
Não exactamente, Talvez. Aqui é mesmo "alcançar"... está implícita uma meta, um objectivo e uma distância entre o momento em que a decisão é tomada e o momento em que é alcançada. Esta é a minha forma de "ver". As interpretações podem, evidentemente, diferir.
De Talvez... a 9 de Março de 2010 às 17:36
Ah, já percebi!
Obrigado pelo esclarecimento.
De poetaporkedeusker a 9 de Março de 2010 às 17:42
Olha, o melhor que eu consigo explicar é "encontrar MESMO". Descobrir mesmo, independentemente de apenas aflorar ou vislumbrar a descoberta.
Isto está quase a acabar... o timer não perdoa.
Até amanhã!
De M.Luísa Adães a 10 de Março de 2010 às 12:29
Mª. Luísa

Onde alcanço
Encontrar cada verdade.

Esta seria a posição da palavra "alcanço",
mas deixava de ser soneto.

Aí está a métrica a não deixar expandir o poeta.

Mas o soneto está cantante, vivo e brilhante.
Não é pobre!

Beijo,

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 10 de Março de 2010 às 15:41
Amiga, é mais "fraquito" do que o habitual, segundo me parece... eu estou numa fase em que dedico muita atenção e energia ao meu Kico, não tenho estado nada inspirada para os sonetos. Ele perde o andar de forma recorrente e depois retoma-o... só quero que ele seja feliz e sofra o menos possível nesta última fase da sua vida e eu sou muito "esquisita" no meu "funcionamento"... quando estou muito dirigida para uma situação difícil, empenho-me nela de forma tão total que perco capacidfades a outros níveis... o soneto de hoje também não é nada de especial...
Obrigada pelas tuas palavras, amiga.
De linhaseletras a 10 de Março de 2010 às 13:53
Olá ! Sabe-me dizer o que se passa com a Maria Helena, não me responde as meus e-mails, estou a ficar mesmo preocupada, será que está doente?
Enviou-me os livros e nunca mais disse nada-
Eu sei que a Maria João hoje foi dar uma palestra, espero que tenha corrido bem, mas se deixou falar o coração saiu bem de certeza.
Um abraço

De poetaporkedeusker a 10 de Março de 2010 às 15:49
Não, minha querida Idalina, não sei nada dela! Mas está com novos livros no prelo e deve estar muito ocupada com eles... não sei.
Esperemos que seja só uma questão de trabalho.
A palestra foi muito informal e lembrei-me logo de si porque fui ensinar o que era uma coroa de sonetos e como se entrelaçavam os últimos versos com os primeiros... lembro-me muito bem de termos feito as nossas coroas praticamente em simultâneo! Claro, como em tudo, há sempre umas pessoas que gostam muito e outras que só prestam atenção para não parecerem mal educadas, mas, no geral, fui muito bem acolhida... e tem razão! Eu falo mesmo com o coração! Claro que deixei um bocadinho dele em casa, a fazer companhia ao Kico que está doente, mas ainda deu para falar com ele nas mãos.
Um enorme abraço e não se preocupe demasiado. Eu vou tentar enviar um sms à Helena.

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. GLOSANDO JOÃO MOUTINHO

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

. INFILTRAÇÔES

. O POEMA E EU

. CALADA

. GLOSANDO MARIA DA ENCARNA...

. GLOSANDO HELENA FRAGOSO I...

.arquivos

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds