.UM BLOG SOBRE SONETO CLÁSSICO

Da autoria de Maria João Brito de Sousa, sócia nº 88 da Associação Portuguesa de Poetas, Membro Efectivo da Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores - AVSPE -, Membro da Academia Virtual de Letras (AVL) e autora no Portal CEN, escrito num portátil gentilmente oferecido pelos seus leitores. ...porque os poemas nascem, alimentam-se, crescem, reproduzem-se e (por vezes...) não morrem.
Segunda-feira, 1 de Fevereiro de 2010

SÁBADO, DOMINGO E SEGUNDA FEIRA V

 

 

UM SONETO "A MARTELO"...

 

 

Quis fazer um soneto assim, forçado,

Sem que a vontade ou a inspiração

Viessem conduzir a minha mão.

Com técnica, somente… um mal-amado…

 

Não sei se é bom, se é mau ou se enganado,

Contra a minha vontade, uma ilusão

Chegou a dar-lhe corpo e dimensão,

Porque ainda está só meio acabado…

 

Aqui, quase no fim, já nada sei!

Nem sequer se um soneto eu comecei,

Quanto mais se é só técnica o produto

 

De mim com este meio em que tracei

Palavras que não quis, mas que aceitei…

Só sei que nasce como nasce um fruto.

 

UM SONETO APRESSADO

 

 

E agora outro soneto, feito à pressa,

Como coisa que tem de se fazer

E embora nos não dê nenhum prazer,

Nos serve p`ra cumprir uma promessa…

 

Ao menos fica feito! Eu sou avessa

A criar para além do que eu quiser

Mas, agora, o que importa e tem de ser

É que seja um soneto o que começa…

 

Afinal já está quase, quase pronto…

Aprendi que um soneto, mesmo tonto,

Pode ser exercício de vontade…

 

Mas se quis ou não quis escrevê-lo agora…

Isso não sei dizê-lo e vou-me embora!

Cumpri uma promessa! Isso é verdade…

 

O ÚLTIMO SONETO "PORQUE TEM DE SER"!

 

O último soneto a que me obrigo!

A ver vamos se nasce ou se não nasce…

Um pouco de vontade e a coisa faz-se!

[digo eu… nunca sei é se o consigo…]

 

Eis a primeira quadra! Esta segunda,

Parece mais difícil, com efeito…

Já não sei se o soneto sai perfeito

Porque a mão se me prende e se me afunda…

 

Só faltam dois tercetos… afinal

A coisa não me corre assim tão mal…

Isto é quase um soneto e está no fim!

 

Já vejo, ao longe, a praia, a minha meta!

Sem mais terceto que me comprometa,

Fecho a porta ao que aqui sobrar de mim…

 

IMAGEM RETIRADA DA INTERNET

sinto-me :
publicado por poetaporkedeusker às 12:04
link do post | "poete" também! | favorito
|
23 comentários:
De tardesdeoutono a 1 de Fevereiro de 2010 às 13:59
UM SONETO VELOZ


(resposta ao soneto "a martelo")


Nasce um soneto como nasce um fruto
Ou como nasce a planta que o vai dar;
Soneto para nós é um produto
Da alma, que tal filho vai gerar


Assim, e com quem gosto, eu os permuto
Ao vir ler estes seus... ao seu lugar;
Onde, pr'além da arte, inda desfruto
De música romântica a tocar


E é este romantismo que há em nós
Que vem gerar poemas, vem dar voz
Àqueles que nos dançam cá por dentro


Nasce um... e nasce um outro logo após
Assim me surgiu este hoje veloz
Tão fácil se nos seus eu me concentro...


Beijinho
Joaquim Sustelo

De Vítor a 1 de Fevereiro de 2010 às 14:36
Maria joão...a martelo,ou apressado...está aí... toda a beleza de um ser puro e imaginativo!...o tema músical do blogue emociona-me sempre!

Bj*

De poetaporkedeusker a 1 de Fevereiro de 2010 às 15:13
Vitor, a música ainda está a tocar? Eu, daqui, não ouço porque há mais gente que está a trabalhar neste espaço e não convém nada que eu dê um mau exemplo aos garotinhos a quem os técnicos mandam retirar o som...
mas vejo o Woman sempre no 00.00/00.00...
Bem... mas a intenção de música está lá...
Abraço grande!
De poetaporkedeusker a 1 de Fevereiro de 2010 às 15:08
Já não sei como lhe hei-de agradecer!
Soneto à desgarrada é coisa rara
Neste mundo de pressas, que não pára,
Nem sequer um segundo, de correr...

Porque este "sonetar" com tal prazer,
Desta forma espontânea que me é cara,
Desta forma fluente, urgente e clara,
Não é qualquer um que o vai fazer!

Obrigada, portanto, meu amigo!
Seja este "poetar" porto de abrigo
Pr`a quem esteja mais triste ou menos vivo!

Sempre irei "sonetar" assim, consigo,
Neste metro genuíno e muito antigo
Que há-de existir, pr`a sempre, neste arquivo!


Um abraço GDE!

Maria João
M. João
De tardesdeoutono a 2 de Fevereiro de 2010 às 17:59
Voltei ao seu arquivo novamente
Que aqui a alegria me extravasa;
Admiro-a pois que com a dor num dente
E mais toda a limpeza aí da casa,


Ainda se dispõe alegremente
(E oxalá que o gesto sempre apraza!),
A vir fazer sonetos num repente
Não querendo que a caneta aí lhe jaza


Não agradeça os meus, são pelo gosto
Que os seus pela beleza me hão já posto
E o "bicho" da poesia assim me obriga


Talvez sirvam de "porto" como diz
Ficando alguém ao lê-los mais feliz;
Se não... sejamos nós! Que se consiga.


Beijinho
Joaquim Sustelo

De poetaporkedeusker a 3 de Fevereiro de 2010 às 11:30
Este fica para depois, Joaquim. Neste momento ainda tenho de responder a alguns comments e está quase, quase na hora de ir almoçar... mas fica prometido!
De tardesdeoutono a 3 de Fevereiro de 2010 às 14:04
Fique à vontade, Maria João. O facto de um de nós fazer um soneto, não quer dizer que o outro tenha de responder. Há vários factores (falta de tempo, etc etc) que podem obstar a essa resposta.
Beijinho
Sustelo
De poetaporkedeusker a 3 de Fevereiro de 2010 às 16:11
:) Estou a ser vítima da minha própria invenção, meu amigo! Quem foi que se lembrou de escrever: Poete Também! no sítio onde deveria dizer "comentar"? E quem escreveu: Desgarrada, no sítio onde deveria estar "discussão"? Mas é muito aliciante, Joaquim! Já publiquei, agora mesmo, um soneto com erros métricos, mas adorei escrevê-lo assim, à pressa!
De poetaporkedeusker a 3 de Fevereiro de 2010 às 17:23
Agora é que não vou deixar escapar
Este vislumbre de uma desgarrada!
Vou já ter de sair, não tarda nada,
Mas não sem antes disso "sonetar"!

Gostava de poder por cá ficar,
Mas a sala já está sobrelotada
E embora me sinta incentivada
Terei de ceder este meu lugar...

Amanhã será sempre um novo dia!
Haja esta inspiração, esta energia,
E tudo nascerá naturalmente!

Adeus, poeta amigo e sonetista!
Adeus, até amanhã, até à vista,
Até quando Deus queira, amigo ausente!
De Simbologia do aMoR a 1 de Fevereiro de 2010 às 16:28
Fiquei maravilhada com toda esta técnica e toda esta sua pressa.

Magníficos assim posso dizer
Dois quarteto, dois terceto e vejo
O que teus sonetos vão conter
Leio com o coração todo desejo.

Abraço.
De poetaporkedeusker a 1 de Fevereiro de 2010 às 16:53
Obrigada, minha querida Vera! Como estava com dores de dentes, escrevi... melhor; comecei a escrever só por obrigação... mas depois acho que já estava a escrever com a alma! :)) Mas fui assim até ao final! E hoje o dente dói bem menos...
Abraço grande!
De alfa a 2 de Fevereiro de 2010 às 22:25
Maria João, terei todo o prazer. Pode fazê-lo, quando quiser, pedindo ao Vitor o meu mail ou o meu contacto telefónico.

bj

De poetaporkedeusker a 3 de Fevereiro de 2010 às 11:35
Pois... eu costumava ter o meu endereço de email no perfil, mas um amigo, que prezo, recomendou-me cuidado e eu acabei por retirá-lo... mas eu depois peço ao Vitor, conforme me indicou. O meu tempo online vai estar diminuído durante um período ainda indeterminado mas, depois, tudo voltará ao ritmo habitual.
Abraço GDE!
De Mírtilo MR a 1 de Fevereiro de 2010 às 23:40
Poetaporkedeusker:

São sonetos realmente algo inferiores aos que tanto costuma gerar, como tão prolífera mãe poética de tantos bons filhos sonéticos. Mas toda a mãe pode por infelicidade gerar filhos um pouco menos sadios um dia, que, ainda assim, tem de acalentar no seu seio de mãe de todos os seus sonetos, ainda que os outros os considerem filhos menores.

Um abraço.
Mírtilo

De poetaporkedeusker a 2 de Fevereiro de 2010 às 11:32
Poeta Mirtilo... seja um bocadinho condescendente comigo... :) Eu hoje não páro de sorrir... mas penso que não é muito habitual fazer soneto com dores de dentes e... olhe, foi o que se pôde arranjar... :) o que vou publicar hoje também não é grande coisa... só vale pela persistência! Penso que estou numa fase menos boa em termos de criatividade. Sabe que eu sempre fui muito lenta nas minhas mudanças de "sintonia" e ponho muito amor em tudo o que faço... agora ando em "fase de limpezas". Pode rir à vontade, mas a verdade é que eu não consigo fazer duas coisas bem ao mesmo tempo... estou a investir física e psicologicamente na limpeza e arrumação do meu atelier-zoológico-casa e, se não me concentrar inteiramente nisso, não faço nada de nada... devo ser aquilo que se chama uma mulher "de extremos"... mas sempre fui assim. Quando me dedico a uma coisa, dedico-me mesmo! Por inteiro... e não posso parar agora senão nunca mais consigo limpar e arrumar aquilo tudo...
Eu estou a escrever e a rir-me, mas acredite que tudo o que disse é verdade. Pode não ser muito normal, mas é verdadeiro. Se eu tentar fazer muitas coisas sem essa paixão toda, torno-me num serzinho disfuncionante e aparvalhado... já experimentei e foi sempre assim.
Abraço grande!
De poetabrasil a 2 de Fevereiro de 2010 às 01:17
SONETOS E SONETOS, NÃO OS DIGO QUE TENHAM SAÍDO DA IMAGINAÇÃO FORÇADOS, MAS COM CERTEZA SÃO VERSOS MUITO BEM IMAGINADOS.

Cara poetisa, você ao mesmo tempo em que nos ensina, diverte e nos anima.
Viva a poesia, viva Maria João!
De poetaporkedeusker a 2 de Fevereiro de 2010 às 11:50
Olá Poeta Irmão! Garanto que comecei numa pressa, sem vontade nenhuma de escrever... mas depois... não sei dizer, não sei explicar bem... acho que eles "tomam conta de mim" e pronto! Normalmente as coisas não funcionam assim! Costumam começar de outra forma, com uma necessidade tremenda de escrever nem eu sei muito bem o quê... depois, enquanto chego e não chego ao computador ou enquanto procuro papel e caneta, ele vai-se formando no meu cérebro - acho que é aí... - e depois vai fluindo como se tivesse alguma autonomia... às vezes nascem três e quatro de cada vez, habitualmente com pequenos intervalos de tempo entre si, porque quando termino gosto sempre de verificar se há algum erro métrico... e fico com um cansaço bom, de criança :))
Abraço grande!
De *FreeStyle* a 2 de Fevereiro de 2010 às 06:53
Xiiiiiiiii

Como esta Mulher brinca com as palavras mesmo não estando inspirada IoI.

Como sempre.....amei.



Bêjuuuuuuuuuuu Poeta do mê
De poetaporkedeusker a 2 de Fevereiro de 2010 às 11:54
Free do mê! Eu até sou brincalhona! Juro que sou! Se a dor de dentes não for demasiado forte eu brinco até com ela! :))
Mas acho que não ando numa das minhas fases mais poéticas, sabes? Ando em fase de limpeza do lar! :)) Sou uma "limpadora" desastrada mas cheia de boa vontade... "aquilo" já parece uma casa e tudo!
Bêjuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!
De alfa a 2 de Fevereiro de 2010 às 08:30
Bom dia Maria João, é fantástico ver a facilidade com que as palavras lhe saem, em forma de soneto, mesmo quando não tem vontade ou porque tem de ser. É a mesma sensação que tenho quando vejo um bailado, uma dança moderna, um exercício que se formos tentar fazer é tão dificil, mas que feito por quem sabe parece fácil, fluido, simples, maravilhoso. Gostei muito.

bj
De poetaporkedeusker a 2 de Fevereiro de 2010 às 11:57
Obrigada, Alfa! Eu queria "falar" consigo mas para lhe escrever um email não vai dar... este equipamento não tem o Outlook configurado... bem, esta semana também não será das melhores porque eu vou ter muitas limitações de tempo a partir de hoje, mas depois falaremos!
Abraço grande!
De alfa a 3 de Fevereiro de 2010 às 21:55
Maria João, julguei que você e o vitor tivessem o contacto telefónico um do outro. Afinal, hoje falei com ele e o vitor não tem o seu. O meu email,está no meu perfil. Depois por lá posso dar-lhe o meu contacto.
bj
De poetaporkedeusker a 4 de Fevereiro de 2010 às 12:15
Pois está, Alfa, pois está... mas está configurado para Outlook e eu estou num espaço público e não posso configurar coisa nenhuma... olhe, aqui fica o meu email m.joao-bsousa@sapo.pt ... se algum maluquinho o utilizar para uma partida de mau gosto, aviso já que, desta vez, não vou nem ligar! Mas esta parte não é para si! Nem ligue... :))
Abraço GDE!

Poete também!

.Transparências de...

.pesquisar

 

.Em livro

   O lucro desta edição reverte
   totalmente a favor da Autora

.posts recentes

. SÁBADO, DOMINGO, SEGUNDA ...

. MEMÓRIA(S) DO NÁUFRAGO-PE...

. RUAS

. A PAUTA INVISÍVEL

. GLOSANDO A POETISA MARIA...

. DIÁLOGOS ENTRE MÃE E FILH...

. SETEMBRO(S)

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. CONVERSANDO COM MARIA DA ...

. É a arte, solidão?

. SO(LAS)

. “A Linha de Cascais Está ...

. CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

. Our story in 2 minutes

. «A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

. Novidades a 13 de Dezembr...

. LIMPAR PORTUGAL

. Ler dos outros... (cróni...

.ARCA DE NOÉ

A Arca de Noé Vivapets distinguiu como Animal da Semana

.HORIZONTES DA POESIA


Visit HORIZONTES DA POESIA

.Autores Editora

.A AUTORA DESTE BLOG NÃO ACEITA, NEM ACEITARÁ NUNCA, O AO90

AO 90? Não, nem obrigada!

.subscrever feeds